Henrique Barros-Gomes – Arquitecto

Henrique Barros-Gomes – Arquitecto

Henrique Barros-Gomes – Arquitecto
Henrique Barros-Gomes - Arquitecto
Número incorreto. Por favor verifique o indicativo do país, da cidade ou número de telefone.
Ao clicar 'Enviar' eu confirmo que li os Política de privacidade e aceitei que a minha informação seja processada para responder a um pedido.
Nota: Poderá anular o seu consentimento enviando email para privacy@homify.com com efeito futuro.
Enviado!
Este profissional irá responder-lhe brevemente!

Apartamento II em Lisboa

Apartamento II em Lisboa

O apartamento, na sua situação original, tinha uma área muito apreciável, mas era mal dividido e desequilibrado. Com 3 frentes, boa exposição solar e boas vistas, era bastante compartimentada e com muitos quartos, resultando num interior desnecessariamente escuro e complicado. A organização da área social e íntima da casa também não fazia muito sentido – Considerou-se desde o primeiro momento que a casa ganharia muito se a sua organização fosse completamente invertida. A decoração original, em que os elementos de carpintaria eram em madeira escura, e as paredes estavam revestidas por uma profusão de papeis de parede da época da construção da casa, não a valorizava nada, antes contribuía para a aparência escura, antiquada e pouco interessante. Contudo, percebia-se de que se tratava de uma construção sólida, com um pé-direito generoso, com bons materiais e grande potencial de intervenção.

Como linha orientadora de projecto, foi procurada uma solução que simplificasse a organização interior, valorizasse a amplitude, a fluidez espacial e potenciasse a entrada de luz natural. Da construção original foi aproveitado o pavimento de madeira, que é muito bonito e típico da época da construção da casa. Procurou-se manter um elemento forte que constituísse uma memória da pré-existência, e que servisse também para unificar os diferentes espaços, dando-lhes continuidade. Foram de igual modo aproveitadas a maioria das janelas e roupeiros originais e algumas das portas interiores. O seu desenho foi simplificado, foram reparadas, pintadas e dotadas de novas ferragens. Esta opção teve 2 motivos, de ordem económica e de ordem ecológica. Por um lado, não faz sentido gastar dinheiro desnecessário em elementos novos se os existentes são de boa qualidade e aguentam perfeitamente ser reformulados. Por outro, é uma questão de consciência e de boa prática reaproveitar as coisas, em vez de as deitar simplesmente fora.

Em termos de organização, a casa passou a apresentar uma distinção muito evidente entre a área social e a área privada. A dita área social, de grande fluidez, ocupa agora integralmente um dos lados da casa. Tem na sua zona central a sala de estar e nos topos uma sala de jantar e um escritório. Estes elementos organizam-se num único espaço rectangular, muito comprido e flexível, compartimentável apenas com recurso a mobiliário. Do lado oposto da casa criou-se uma ampla cozinha, resultado da união da cozinha original com o antigo quarto de empregada e a respectiva instalação sanitária. A cozinha passou a ter uma área mais técnica e uma confortável zona de refeições, separadas por uma península. A sala e a cozinha abrem-se para o hall de entrada, funcionando todo o conjunto de forma fluída, quase à maneira de um loft.

No miolo da casa criou-se um núcleo de serviço, composto por uma IS social relacionada com o hall de entrada e uma IS de apoio aos quartos das crianças. Este núcleo é circundado pela circulação dos quartos, permitindo a criação de percursos e circuitos alternativos na casa, algo que lhe confere alguma complexidade e alegria. Na zona mais remota da casa desenvolve-se uma suite, equipada com uma IS com luz natural.

Nas zonas de circulação rebaixou-se o tecto para facilitar a passagem de infraestruturas e resolver o impacto visual das numerosas vigas da construção, aproveitando-se ainda para incorporar iluminação embutida. Nestas zonas incluíram-se portas pivotantes do pavimento ao tecto e criaram-se alguns armários adicionais e nichos. A cor branca utilizada nas paredes, tectos e carpintarias proporciona à casa grande frescura e luminosidade, para além da desejada continuidade espacial.

Apartment II in Lisbon

Complete refurbishment of a late 60´s apartment in Lisbon.

Facing 3 streets, the apartment has great sun exposure and nice views to the surrounding areas. However, its original condition showed a very spacious, but also poorly divided and unbalanced interior, with many partitions, resulting in a needlessly intricate and dark plan. Social and private areas arrangement did not make much sense either – It was felt from the first moment that the house would gain if its organization was completely reversed. Nevertheless, it was a solid construction with a generous ceiling height, and great potential for intervention.

As the main project guideline, a solution was sought that would simplify the inner organization, provide amplitude, spatial fluidity and the use of natural light. From the original finishes was seized the wooden floor, which is very beautiful and typical of the building’s construction era. Maintaining this strong constructive element is a memory of the pre-existence, and also serves to unify the different spaces, giving them spatial continuity. Most of the original windows and closets and some of the interior doors were similarly reused. The design of these elements, which have been repaired, was simplified, painted and fitted with new hardware. This option had 2 motifs, economic and ecological: On the one hand, it makes no sense to spend money on new construction elements if the existing ones are of good quality and hold up perfectly well to be refurbished. On the other, it is a matter of conscience and good practice to reuse things rather than just throw them out.

Upon work completion, the house presents a very clear distinction between social and private areas. A very fluid social area now fully occupies one side of the house. It has at its center the living room and, in its extremes, a dining room and an office. These functions are organized in a single rectangular space, very long and flexible, with furniture elements acting as room dividers. On the opposite side of the house a large kitchen was created, a result of the union of the old original kitchen with maid's room and toilet. The kitchen includes a more technical area and a comfortable dining area, separated by a peninsula. The living room and kitchen open onto the foyer, providing a continuous and fluid space, almost in the manner of a loft.

The heart of the house includes a service core, consisting of a guest bathroom and another bathroom for children's bedrooms. This core is surrounded by the room circulation, allowing the creation of alternative paths and circuits in the house, something that gives it a degree of complexity and joy. In the most remote area of the house is located the master suite, fitted with a bathroom with natural light.

In circulation areas the ceiling was lowered to solve the visual impact of the numerous existing beams and allow the passage of plumbing, water drains and sewers and other technical services, including recessed lighting. In these areas were included floor to ceiling pivoting doors and were created some additional cabinets and niches. The white color used on walls, ceiling and woodwork offers the house great luminosity and freshness in addition to the desired spatial continuity

  • Apartamento II em Lisboa:   por Henrique Barros-Gomes - Arquitecto

    Apartamento II em Lisboa

  • Apartamento II em Lisboa:   por Henrique Barros-Gomes - Arquitecto

    Apartamento II em Lisboa

  • Apartamento II em Lisboa:   por Henrique Barros-Gomes - Arquitecto

    Apartamento II em Lisboa

  • Apartamento II em Lisboa:   por Henrique Barros-Gomes - Arquitecto

    Apartamento II em Lisboa

  • Apartamento II em Lisboa:   por Henrique Barros-Gomes - Arquitecto

    Apartamento II em Lisboa

  • Apartamento II em Lisboa:   por Henrique Barros-Gomes - Arquitecto

    Apartamento II em Lisboa

  • Apartamento II em Lisboa:   por Henrique Barros-Gomes - Arquitecto

    Apartamento II em Lisboa

  • Apartamento II em Lisboa:   por Henrique Barros-Gomes - Arquitecto

    Apartamento II em Lisboa

  • Apartamento II em Lisboa:   por Henrique Barros-Gomes - Arquitecto

    Apartamento II em Lisboa

  • Apartamento II em Lisboa:   por Henrique Barros-Gomes - Arquitecto

    Apartamento II em Lisboa

Admin-Area