Pintores - Lisboa: Encontre os melhores profissionais | homify

6 Pintores em Lisboa

Área servida

Pintores em Lisboa

Lisboa é a capital e, naturalmente, a cidade mais populosa de Portugal. É, também, a região mais rica do país, com uma economia que assenta, designadamente, no sector terciário. Estão concentradas, em Lisboa, multinacionais de grande relevância, assim como uma boa parte das empresas nacionais mais importantes.

A Área Metropolitana de Lisboa é altamente industrializada, sobretudo na margem sul do Tejo. O maior porto de contentores da costa atlântica e o aeroporto, que recebe mais de 20 milhões de passageiros todos os anos, colocam Lisboa numa posição relevante a nível europeu.

Em 2018, Lisboa recebeu 17 prémios atribuídos pelos World Travel Awards. É a segunda cidade europeia com maior crescimento turístico e uma das mais pesquisadas no mundo, tendo passado à frente de cidades como Londres e Roma.

O crescimento do turismo e o desenvolvimento da cidade trouxeram alguns constrangimentos à população, que se vê agora confrontada com preços de arrendamento e de compra de terreno cada vez mais altos. 

Ainda assim, aquilo que Lisboa oferece convida muita gente a ficar. Se é o seu caso e procura um pintor em Lisboa, então anote as informações que incluímos neste texto e contrate um profissional à sua medida e à medida da sua casa.   

1. O que fazem os pintores?

Os pintores são profissionais imprescindíveis na construção civil. Têm como principal propósito a aplicação de tintas nas paredes, melhorando-as do ponto de vista estético e não só. Consoante as propriedades das tintas utilizadas, as superfícies ficam protegidas em relação à acção da água, dos fungos, das bactérias, dos insectos e assim, por diante. É importante os pintores estarem a par das inovações tecnológicas – que também chegaram a esta área – para poderem proporcionar um serviço de excelência aos clientes.

Os pintores podem, além do mais, ser contratados para pintar móveis e elementos estruturais de uma casa, como janelas, portas, caixilharia, vigas, traves, divisórias, entre outros. 

Hoje em dia, os pintores de construção civil debruçam-se, designadamente, sobre a pintura de interiores, a pintura de exteriores e a pintura decorativa. Uma boa parte das empresas presta todos estes serviços, mas o cliente pode procurar um pintor especializado naquilo que pretende.

2. Que tipos de pintores existem?

Antes de contratar um pintor, o cliente deve ter uma noção concreta do tipo de trabalho de que precisa. Os pintores são, por norma, polivalentes, isto é, estão habituados a ser requisitados para trabalhos distintos. No entanto, e para se obter uma pintura perfeita, pode tentar perceber qual é a principal valência de um pintor.

Os pintores podem dividir-se em três categorias. 

São elas:

Pintores artesãos: começamos por uma categoria mais de nicho. Estes pintores são chamados quando se pretende aplicar uma técnica decorativa na parede. Uma parede pode ter um padrão floral, um padrão geométrico ou até uma frase ou palavra escrita à mão. Para tal, é importante contratar um pintor com uma veia artística, que já tenha experiência em desenvolver estes trabalhos mais específicos.

Pintores de manutenção: depois de pintadas, as paredes devem ser mantidas. À semelhança do que acontece com todas as outras superfícies da casa, também as paredes se sujam com pó ou com manchas, provocadas por fumos e gorduras. A manutenção pode passar apenas por uma limpeza das superfícies, com os produtos adequados, ou por refrescar a cor, passando mais uma demão de tinta na parede.

Pintores de construção: os pintores de construção são os mais requisitados e pintam as paredes interiores e exteriores dos edifícios. Há empresas e pintores mais orientados para pinturas residenciais e outros para a pintura de edifícios de grande dimensão.

 

4. Como posso economizar na contratação de um pintor?

Por norma, quanto mais tempo o pintor passar em sua casa, mais cara lhe sairá a intervenção do mesmo. As tintas não são particularmente caras, mas a mão de obra pode ser.

Deixamos-lhe, abaixo, algumas indicações para poupar na contratação de um pintor:

Peça mais do que um orçamento: antes de contratar um pintor, deve pedir vários orçamentos e indagar, junto dos profissionais, quantas horas pensam precisar para preparar as paredes e aplicar as tintas, quanto custam os produtos que vão usar e que custos adicionais estão previstos.

Celebre um contrato: os orçamentos devem ser apresentados de forma detalhada e o contrato deve incluir todas as questões pertinentes (o que vai ser feito, por quanto vai ser feito, quais são os prazos, se os profissionais têm seguro, etc.). Certifique-se de que tem tudo por escrito. Um contrato apalavrado de nada lhe valerá. 

Prepare o espaço: antes de receber o pintor, adiante algum trabalho. Assim, este profissional pode começar de imediato, quando chegar. Uma das coisas que pode fazer é retirar todos os móveis e as peças de decoração do espaço, bem como as tomadas e os puxadores de portas, caso estas últimas também sejam pintadas. Pode, ainda, aplicar fita de pintura em torno das caixilharias e proteger o chão com lonas, lençóis ou jornais. As paredes devem ser limpas, antes da aplicação da tinta. Passe-lhes um pano seco para remover a poeira, depois um pano húmido e, no fim, volte a passar um pano seco. Não deixe este trabalho de preparação para a última. Planeie tudo com alguns dias de antecedência.

Não adie a pintura em demasia: faça uma manutenção com regularidade e evite que os problemas das paredes cheguem a ser visíveis. Quando surgem manchas de humidade ou a superfície começa a descascar, significa que há problemas estruturais preocupantes, o que resultará numa despesa mais significativa.

Escolha, criteriosamente, as cores e as tintas: se pretende economizar, então, em vez de mudar a cor das paredes, considere aplicar apenas uma demão para refrescar o aspecto das mesmas. Se o seu objectivo for alterar a atmosfera de determinado espaço através do uso de cores fortes e vibrantes, lembre-se que podem ser necessárias três ou quatro demãos para se alcançar o aspecto pretendido. Para o exterior, privilegie cores claras, visto que as escuras vão perdendo a vivacidade com a acção do sol. No que toca à escolha das tintas, recordamos que escolher as mais baratas nem sempre é a melhor opção. Por norma, são as que têm menos qualidade e as que se vão desgastar mais rápido. Pode, por esta razão, valer a pena investir mais à partida, para gastar menos no futuro. 

5. Quais são as etapas do trabalho de um pintor?

Os pintores executam trabalhos distintos, que exigem uma preparação e um processo, também eles, diferentes. Além do mais, cada profissional tem o seu método.  

Porém, num trabalho de pintura mais genérico, serão estas as etapas percorridas pelo pintor:

  • Se o cliente não o fizer, é o pintor que está incumbido de proteger o espaço que vai pintar. Esta questão deve ser previamente esclarecida com o profissional para que não haja atrasos.
  • De seguida, o pintor debruçar-se-á sobre a preparação das paredes que implica, como acima mencionado, a limpeza das mesmas e o conserto de todos os problemas estruturais que estas possam exibir. Este é um passo extremamente importante para se obter um resultado de alta qualidade.  
  • O pintor pode e deve auxiliar o cliente no que concerne à escolha das tintas. A oferta é, hoje em dia, tão vasta que o aconselhamento de um profissional é sempre uma mais-valia. Os critérios da escolha abrangem as cores, os acabamentos e as propriedades das tintas. 
  • Concluída a fase de preparação, o pintor começa por aplicar um primário. O primário facilita a aderência da tinta, garante a durabilidade da mesma e faz com que a cor se aproxime ao máximo daquilo que é. Depois, começa-se a pintar com a ajuda de rolos e de pincéis de diferentes tamanhos e formatos para se conseguir ir aos detalhes.
  • Os acabamentos não devem ser descurados. As zonas em torno das tomadas ou junto aos rodapés devem ser corrigidas, se necessário. 
  • A menos que o cliente dê indicações em contrário, um profissional com brio fará questão de não abandonar o local intervencionado sem que, primeiro, este seja limpo e arrumado.

5. Quanto custa um pintor em Lisboa?

O preço de um trabalho de pintura pode, como é natural, variar amplamente. O orçamento dependerá da dimensão da área a pintar, da complexidade do serviço, do tipo de tinta, do prestígio da empresa contratada, entre outras coisas.

Porém, o preço médio, para um trabalho de pintura, em Portugal, anda à volta dos 800€, podendo oscilar entre os 500€ e os 2400€. Contudo, uma pintura de interiores tenderá a ser menos dispendiosa. O valor médio para pintar os interiores, especificamente, é de 400€, num intervalo que vai dos 150€ aos 1150€.

6. Como posso encontrar um pintor em Lisboa?

Procura um pintor em Lisboa? Pode começar a sua pesquisa pela homify! A homify é uma plataforma de arquitectura, de design e de decoração que pretende dar a conhecer projectos levados a cabo por profissionais das mais diversas áreas. O nosso propósito passa por divulgar o que de melhor se faz em Portugal e no mundo. Não estamos envolvidos, de forma alguma, nos projectos que aqui lhe mostramos. Propomo-nos, no entanto, a estabelecer uma ponte entre os profissionais registados no nosso site e os nossos leitores. Se, por exemplo, gostou da decoração de uma sala de estar que viu aqui na homify, basta clicar sobre a imagem para tomar conhecimento do decorador ou do designer que está por trás do projecto. Na página desse decorador ou designer, estarão todos os contactos de que precisa. Aliás, se clicar sobre a etiqueta contactar, abre-se uma caixa de mensagens que lhe permite, sem que tenha que sair da nossa plataforma, entrar em contacto com o profissional em questão.

Lembramos que se pode registar gratuitamente na homify e criar os seus próprios álbuns. Se está a pensar pintar a sua casa, guarde fotografias de espaços que lhe chamaram a atenção pela cor das paredes. Mais tarde, pode mostrar essas imagens ao pintor ou na loja onde vai comprar as tintas.

Esperamos que encontre aquilo de que precisa. Se não for o caso, utilize outros meios como o Google, o LinkedIn e outras redes sociais. Há muitos pintores e empresas de pintura com páginas nestas redes. Além do mais, pode fazer uma publicação a pedir uma recomendação aos seus amigos e/ou seguidores.

Indague, igualmente, junto de lojas de tintas. Algumas destas lojas prestam serviços de pintura.