Jardineiros - Porto: Encontre os profissionais ideais | homify

3 Jardineiros em Porto

Jardineiros no Porto

O Porto é a segunda maior cidade do país e a primeira na Região Norte. No mundo, é conhecida pelo vinho – quem nunca ouviu falar do vinho do Porto? – pela arquitectura contemporânea, pelas pontes (entre as quais se destaca a ponte Luís I, referência incontornável na paisagem da Invicta), pela qualidade da gastronomia e pela Universidade do Porto, uma das 200 melhores universidades do mundo.

A cidade beneficia da existência de duas importantes infraestruturas: o Porto de Leixões – que movimenta cerca de 14 milhões de toneladas de mercadorias por ano, o que representa 25% do comércio internacional português – e, claro está, o Aeroporto Francisco Sá Carneiro, já agraciado com vários prémios pela qualidade das infraestruturas e dos serviços. É, também, no Porto que se situam algumas das mais importantes empresas do país e a sede de inúmeros grupos económicos importantes (Amorim, SONAE, Porto Editora, entre outros).

Esta cidade fervilhante e apelativa é a casa de 214 349 habitantes. Se é, também, no Porto que tem a sua casa e se procura valorizá-la com um belo jardim, então entregue o projecto a um jardineiro, mas não sem antes ler as nossas sugestões para contratar o profissional certo.

1. O que faz um jardineiro?

Um jardineiro pode, na verdade, estar incumbido de uma série de tarefas. A actividade profissional, de uma forma geral, consiste no embelezamento de locais privados ou públicos através do cultivo e da manutenção das plantas que os compõem.

Os jardineiros podem, também, integrar projectos educativos – em jardins botânicos ou jardins zoológicos – e de ordenamento do território. 

Embora esta profissão ainda seja, por vezes, olhada com alguma displicência, o fruto do trabalho dos jardineiros está por todo o lado e, nas grandes cidades, é particularmente importante, na medida em que os espaços verdes são fundamentais para proporcionar qualidade de vida aos habitantes.

Estes profissionais, para conseguirem realizar a sua actividade, utilizam equipamentos e máquinas pequenas próprias para a jardinagem.

 

2. Um jardineiro dedica-se apenas às plantas?

A actuação de um jardineiro num espaço nem sempre se restringe às plantas. Consoante o grau de conhecimento e a habilidade do profissional, é possível que ele consiga ajudar o cliente a organizar a área exterior, o que poderá incluir a escolha de materiais para os revestimentos, a projecção de uma pérgola e/ou de uma piscina, a construção de cercas e de vedações, a definição de caminhos para se poder passear no jardim, sem se pisar a relva e as plantas, a escolha de vasos, a instalação e manutenção de um sistema de irrigação e assim por diante. Por norma, as intervenções com maior amplitude são feitas por empresas de jardinagem e não por um profissional autónomo.

 

3. Que conhecimentos deve ter um jardineiro?

Conhecer as ferramentas: os jardineiros trabalham com ferramentas e equipamentos específicos para cada tarefa. É expectável que tragam tudo o que é necessário para levarem a cabo os trabalhos que lhes são pedidos e que saibam manusear estes instrumentos.

Analisar e preparar o solo: antes de se plantar o que quer que seja, é importante testar o solo e, se necessário, tratá-lo através de fertilizantes, de adubos, de água, do aumento ou da diminuição da alcalinidade, entre outras coisas. Se o solo for descurado, as plantas não vingarão, tampouco atingirão o seu potencial máximo. 

Plantar: a plantação é o momento mais aguardado para o cliente que começa a ver o projecto a ganhar forma. É importante o jardineiro conhecer bem as espécies e, subsequentemente, a forma como cada uma deve ser plantada.

Adubar: para crescerem, as plantas requerem uma fertilização cíclica que é feita por via da adubação ou da pulverização de macro e micronutrientes. A adubação dá resposta às necessidades nutricionais das plantas, ao longo de todo o ano. Podem ser utilizados, para o efeito, produtos orgânicos e químicos. Os primeiros são, claro está, os mais aconselháveis.

Podar: os jardins precisam de três tipos de podas: a poda de limpeza (feita sempre que necessário, ao longo do ano), a poda de formação (que, como o nome sugere, dá a forma adequada às plantas) e a poda de produção (para reduzir a folhagem e abrir espaço para o surgimento de flores e de frutos).

 

4. O que considerar antes de contratar um jardineiro no Porto?

Determine o serviço de que precisa: não contrate ninguém antes de saber exactamente que tipo de serviço procura. O seu jardim precisa de uma manutenção geral? Quer um relvado novo? As suas plantas estão a morrer por causa de uma praga? Contrate um jardineiro que tenha à-vontade para trabalhar na área de que precisa.

Faça um moodboard: Se a ideia é criar um jardim de origem, é oportuno recolher algumas imagens de jardins que fazem o seu estilo para mostrar ao profissional que lhe vai fazer o projecto. Aqui, na homify, temos projectos de jardins que percorrem diferentes estilos: minimalista, rústico, mediterrânico, entre outros. Guarde as imagens, folheie revistas e certifique-se de que transmite a sua ideia com clareza. As imagens ajudá-lo-ão nesse sentido.

Entreviste mais do que um profissional: estar presencialmente com os profissionais para poder colocar todas questões e tirar dúvidas, é uma mais-valia. Pode pedir para ver fotografias de projectos já executados, solicitar referências de antigos clientes, indagar sobre as qualificações e perceber se está perante uma pessoa disponível e com uma boa ética de trabalho.

Peça estimativas: numa primeira abordagem, é possível que o jardineiro já lhe consiga dar uma estimativa de quanto vai custar o trabalho. Todavia, só deve avançar depois de analisar mais do que um orçamento (peça, idealmente, três orçamentos) para poder comparar o que cada jardineiro ou empresa de jardinagem oferece e por quanto. Note-se que pode valer a pena pagar mais se o serviço for completo e o profissional tiver qualidade.

Aborde a questão dos prazos: se pretende que o projecto comece de imediato, então é conveniente conferir se o jardineiro ou a empresa de jardinagem têm disponibilidade para tal. Pode dar-se o caso de terem marcações iminentes e só poderem dedicar-se ao seu jardim mais tarde. Aproveite a deixa para abordar a questão dos prazos e verifique, ao longo do projecto, se eles estão a ser cumpridos. 

 

5. Onde encontrar um jardineiro no Porto?

Encontrar uma empresa de jardinagem ou um jardineiro no Porto não será difícil. Estamos, afinal de contas, a falar da segunda maior cidade portuguesa, onde a oferta de serviços é abundante e variada.

Como pode, afinal, fazer a sua pesquisa?

Sugerimos que comece pelo online. Hoje em dia, uma simples pesquisa no Google leva-nos a uma panóplia de resultados. Os mais bem posicionados, ou seja, os que aparecem em primeiro, deverão corresponder aos profissionais e às empresas mais requisitadas e conceituadas. Ainda no domínio do online, tire partido das redes sociais, nomeadamente, do Facebook e do Instagram, para procurar profissionais na área e para fazer uma publicação a pedir sugestões aos seus contactos.

Na homify, divulgamos projectos de jardineiros que trabalham em vários pontos do país. Sem ter que sair da nossa plataforma, pode aceder aos álbuns com as fotografias e aos contactos telefónicos e de e-mail

Outra boa forma de encontrar jardineiros é pedindo recomendações em estufas, em floristas e em lojas que vendam produtos e utensílios de jardinagem.

 

6. Quanto custa um jardineiro no Porto?

  Os serviços nas grandes cidades tendem a ser mais caros, mas há outros factores que influenciam o preço, como o prestígio do profissional ou da empresa, a dimensão do projecto ou a qualificação da equipa que vai intervir.

O custo médio para um serviço de jardinagem pode andar entre os 7€/hora e os 30€/hora. O valor médio é de cerca de 15€/hora. No entanto, estes valores são apenas referenciais!

Pesquisar imagens relacionadas