1 Jardineiros em Cascais

Área servida

Jardineiros em Cascais

A ocidente do Tejo e entre a Serra de Sintra e o oceano Atlântico está Cascais, uma vila que associamos, invariavelmente, ao luxo. Esta percepção tem razão ser. Cascais, já no século XIX, era um destino muito procurado pelas elites portuguesas e estrangeiras que ali se fixavam durante o Verão. Por esta razão, a imagem de marca do concelho, que ainda hoje se mantém, é a arquitectura de veraneio, que lhe valeu a alcunha de Riviera Portuguesa.

A actividade turística intensa levou ao crescimento de estabelecimentos ligados ao comércio e aos serviços. Cerca de 80% da população activa de Cascais está empregada neste sectores. O sector da construção registou um crescimento significativo, aquando do aumento do parque habitacional e das intervenções, ao nível dos equipamentos públicos e das infraestruturas. E, como é sobre jardineiros de que lhe falaremos neste texto, cabe mencionar que houve um aumento da procura, por parte de empresas de manutenção de jardins e espaços verdes. Estes últimos escasseavam no concelho, devido ao crescimento rápido, desordenado e disperso.

Se mora em Cascais ou pretende mudar-se para a vila e tem o privilégio de ter um jardim, então não deixe de contratar um jardineiro para explorar e desfrutar deste espaço ao máximo.

1. O que fazem os jardineiros?

O jardineiro é o responsável pelo cultivo e pela manutenção dos jardins de casas, de condomínios ou de espaços públicos. Este profissional deve ser capaz de analisar o solo e de saber como tratá-lo, de fazer o plantio, de adubar as plantas e de as podar (com a poda, remove-se a ramagem ou a folhagem desnecessárias, dá-se às plantas a forma pretendida e promove-se o nascimento de frutos e de flores). O jardineiro tem, além do mais, de saber prevenir, identificar e tratar as pragas e as pestes. Para esta actividade, o profissional precisa de ferramentas e de equipamento específicos.

O trabalho de um jardineiro é necessário ao longo de todo o ano. Por vezes, as pessoas descuram o jardim durante as estações mais frias. No entanto, é preferível fazer uma manutenção contínua do que, mais tarde, ter despesas avultadas para devolver o garbo ao jardim.

2. Por que é que os jardins são importantes?

Os espaços verdes, sejam eles privados ou públicos, são sempre benéficos para as pessoas. Numa casa particular, um jardim convida os moradores a passar mais tempo ao ar livre e, quem sabe, a começar a desenvolver um gosto pela jardinagem. Esta conexão com a natureza é especialmente importante, numa época em que a tecnologia parece ter tomado conta de demasiadas horas da nossa vida.

Há, além do mais, estudos que indicam que os jardins são terapêuticos para pessoas com deficiências cognitivas, físicas ou mentais. Um jardim é muito mais do que um espaço verde ao ar livre. É uma área de lazer, de recreação e, em certa medida, de libertação. Não raras são as pessoas que utilizam o jardim para criar uma pequena horta e para cultivar frutos e ervas aromáticas. Desta forma, podem consumir o que plantaram, o que é saudável e gratificante.

É, assim, fácil deduzir a importância do trabalho dos jardineiros, perante a imprescindibilidade dos jardins para o bem-estar e a qualidade de vida das populações.  

 

3. Quando é que se deve contratar um jardineiro? 

Há pequenas coisas que quase todas as pessoas sabem fazer num jardim ou que vão aprendendo ao longo do tempo, por vezes com o aconselhamento e ensinamento do próprio jardineiro. Todavia, há alturas em que recorrer à ajuda de um profissional é mesmo a melhor opção. 

Quando é que se deve, então, contratar um jardineiro?

Quando não se tem tempo: um jardim, por mais pequeno que seja, dá muito trabalho. Entre a actividade profissional, a família e todos os outros afazeres, é provável que não sobre tempo para se cuidar dele. Nestes casos, não deixe o seu jardim ao abandono e contrate um jardineiro para fazer a manutenção.

Quando não se tem jeito: se não foi agraciado com jeito para a botânica e não tem quaisquer conhecimentos sobre a área, então é melhor não arriscar. Cuidar de plantas é uma tarefa de precisão. É preciso ter jeito e atenção ao detalhe.

Quando não se gosta da actividade: não é impossível, mas é difícil sermos realmente bons quando fazemos uma coisa sem prazer. Se não se imagina a ler e a aprender sobre as características de cada planta, os cuidados para nutrir o solo, as formas de combater as pragas, entre outras coisas, então é recomendável entregar o trabalho a um jardineiro.

Quando as plantas adoecem: as pragas e as pestes alastram-se rapidamente. Um jardineiro evitará que elas surjam, mas, no pior dos cenários, saberá qual é a melhor forma para travá-las. Além disso, pode dar-lhe dicas para prevenir o problema no futuro. Se detectar algo de estranho numa planta, aja depressa.  

Quando se passa mais tempo a tratar do jardim do que a desfrutar dele: esta questão é ambígua visto que há pessoas que gostam mesmo de tratar do jardim. Contudo, se sente que passa pouco tempo a desfrutar dele, na companhia dos seus, então não hesite e contrate um jardineiro para, pelo menos, fazer algumas das tarefas mais chatas e morosas.

Vale realçar que um jardim minimalista, com espécies resistentes, como os cactos e as suculentas, são a melhor escolha para pessoas que querem um espaço fácil de manter e passível de ser utilizado ao longo de todo o ano.

 

4. Devo contratar um jardineiro autónomo ou uma empresa de jardinagem?

O tipo de projecto poderá ditar o profissional a contratar. Se o seu jardim é pequeno ou de tamanho médio e o trabalho que precisa não transcende aquilo que, normalmente, é pedido a um jardineiro, então pode optar por um profissional autónomo.

Por outro lado, um espaço de grande dimensão, eventualmente problemático e que careça de uma intervenção a fundo, beneficiará do trabalho de uma empresa que disponha de mais e melhores meios para levar a cabo a empreitada.  

Optar por uma empresa com presença online, pode constituir um motivo de segurança. Através de um site ou das páginas de Facebook ou de Instagram, pode ver os projectos já executados e aceder ao feedback de antigos clientes. Em contrapartida, a empresa deverá cobrar mais por hora.

Seja como for, o mais importante é contratar alguém em quem confie, que seja experiente e que faça bem o trabalho. 

 

5. O que considerar antes de contratar um jardineiro em Cascais?

Faça a sua pesquisa e guarde os contactos dos jardineiros e/ou das empresas de jardinagem cujos trabalhos mais gostou. Não opte pela primeira que lhe aparecer. Reúna três ou quatro referências para ter margem para escolher.

É importante ler as opiniões dos antigos clientes. Se não as encontrar online, deve perguntar ao profissional como pode ter conhecimento delas ou se é possível pô-lo em contacto com alguém que já tenha recorrido ao seu serviço. Para além do feedback dos antigos clientes, uma boa forma de testar a capacidade de um jardineiro é contratá-lo, primeiro, para fazer uma pequena tarefa que permita avaliar a qualidade do trabalho.

Lembramos que é importante informar-se sobre os seguros contra acidentes de trabalho. Por Lei, todos os trabalhadores devem estar assegurados. Não negligencie esta parte apenas para poupar algum dinheiro porque, se houver um acidente, as consequências são graves e recaem em cima do contratante.

 

6. Onde encontrar um jardineiro em Cascais?

Se procura um jardineiro em Cascais, comece a sua pesquisa pela homify. No nosso site, estão registados jardineiros de vários pontos do país. Abra os álbuns para ver os projectos e anote os contactos telefónicos e de e-mail das empresas que mais gostar.

Para além da homify, use a Internet. As redes sociais, designadamente o Facebook e o Instagram e sites como o LinkedIn são úteis para o efeito. 

As estufas, as floristas e as lojas que comercializam plantas, ferramentas e utensílios para jardinagem são sítios onde também pode pedir recomendações.