Designers de interiores e decoradores - Oeiras: Encontre os melhores profissionais | homify

92 Designers de interiores e decoradores em Oeiras

Área servida

Designers de interiores e decoradores em Oeiras

Oeiras pertence à Grande Lisboa e é o quinto concelho mais densamente povoado de Portugal. A cidade desenvolve-se ao longo de uma pequena baía na zona mais atlântica do Estuário do Tejo e beneficia de um excelente clima temperado marítimo que convida à prática de actividades ao ar livre e a muitas ideias aos jardins e às praias que abundam no concelho.

Trata-se de um dos municípios mais ricos e desenvolvidos da Península Ibérica e até mesmo da Europa. É o concelho com maior concentração de pessoas com estudos superiores, o que tem um impacto muito positivo na economia. Oeiras acomoda inúmeras multinacionais e concentra cerca de 30% da capacidade científica do país. A actividade empresarial dinâmica valeu-lhe a designação de Silicon Valley da Europa.

O conhecido Passeio Marítimo de Oeiras, que se desenvolve ao longo de 3500 metros, é o local perfeito para a prática de desporto ou, tão-somente, para passear e desfrutar da paisagem que inclui, entre outras coisas, as robustas e centenárias fortificações marítimas.

Se tem a sorte de morar em Oeiras e procura um decorador ou um designer de interiores para o ajudar a projectar a casa dos seus sonhos, então leia, atentamente, as informações detalhadas que reunimos neste texto. Fique a conhecer melhor estes profissionais e saiba como pode encontrar um perto de si.

1. O que faz um designer de interiores e um decorador?

Apesar de, na homify, estes profissionais surgirem agrupados sob a mesma categoria, é importante perceber que a área de actuação de cada um é diferente. São, por outro lado, profissões que se tocam em alguns aspectos e cuja abrangência depende muito da experiência e das qualificações de cada especialista.

Ainda assim, e para que perceba melhor o que cada um faz e qual deve contratar para levar a cabo o seu projecto, clarificamos, abaixo, os conceitos:

1.1.  Designer de interiores:

Os designers de interiores são, como o próprio nome sugere, formados em Design de Interiores, um curso que lhes proporciona as ferramentas e as competências necessárias para planear as áreas interiores dos edifícios, tendo em conta a funcionalidade, o conforto, a estética e, acima de tudo, as necessidades do cliente.

São os designers de interiores que escolhem os materiais para os revestimentos e para os acabamentos, que definem o projecto lumínico, que planeiam a construção de móveis à medida, que determinam onde cada elemento será colocado no espaço, que elegem a paleta cromática e que fazem alterações estruturais e na configuração. Se, por exemplo, desejar abrir a cozinha para sala, criando um open space, o designer de interiores é a pessoa indicada para concretizar o projecto. O trabalho dos designers envolve o contacto com construtores, arquitectos, carpinteiros, pintores, electricistas, canalizadores, entre outros.

Os designers de interiores estão ao corrente das normas e dos regulamentos de construção, sabem gerir equipas e prazos e, hoje em dia, trazem uma grande mais-valia que diz respeito ao uso de softwares de modelação 3D que permitem gerar representações tridimensionais dos espaços e mostrar, de antemão, aos clientes, como eles vão ficar. Além do mais, estes softwares possibilitam que se experimentem várias opções em termos de cores, de materiais, de têxteis, de texturas ou da disposição do mobiliário, o que é muito conveniente para se analisarem todas as hipóteses antes de se fazerem escolhas definitivas.

1.2. Decorador

O trabalho de um decorador é menos abrangente do que o do designer de interiores, o que não significa que seja menos importante. A decoração está mais relacionada com o aspecto dos espaços do que com o modo como eles funcionam. Os decoradores não costumam ser consultados no que concerne à estrutura dos ambientes. Não se espera que um decorador faça planos para demolir paredes ou abrir janelas, mas sim que ajude os clientes a melhorar, visualmente, uma ou mais divisões. Para que tal aconteça, devem trocar ideias com os clientes e definir um estilo e, a partir daí, escolher as cores, os tecidos, os acessórios de iluminação, os quadros, as peças de mobiliário e de decoração, os papéis de parede, entre outras coisas.

Como estes profissionais estão focados na decoração, são donos de um forte sentido estético e não necessitam de um curso para trabalhar na área. No entanto, perante um mercado competitivo, é uma mais-valia os decoradores fazerem formações que lhes proporcionem uma base mais sólida. Podem, ainda, tirar cursos orientados para domínios específicos como é o caso da modelação digital 3D de que acima lhe falámos.

2. Designer de interiores ou decorador: qual devo contratar?

Agora que dissipámos algumas dúvidas, estamos em crer que se tornará mais fácil, para os nossos leitores, saber que profissional escolher.

Em jeito de conclusão, diríamos o seguinte:  

Os designers de interiores têm um papel importante no design do espaço. Isto significa que podem demolir ou erguer paredes, aumentar ou diminuir o tamanho de janelas e até alterar o local onde estão as escadas para criar uma área mais funcional. Os decoradores, por sua vez, decoram e mobilam espaços já acabados. Os designers de interiores assumem amiúde o papel de decoradores, mas os decoradores não se envolvem, por norma, no design.

Ainda assim, sugerimos que consulte os portefólios de profissionais de ambas as áreas para perceber se já desenvolveram um projecto dentro daquilo que pretende. A experiência que possuem acaba por ser o mais importante. 

3. O que ter em conta antes de contratar um decorador ou um designer de interiores em Oeiras?

Não é incomum haver clientes que, por várias razões, deixam os projectos ao critério do profissional que contratam e preferem ser surpreendidos no final. Para que tal aconteça, é necessário haver uma relação de profunda confiança.

Se não for o seu caso e quiser envolver-se no projecto, do início ao fim, sugerimos que tenha em mente as questões que se seguem:

Determine o seu estilo: quando se começa um projecto desta natureza, é importante ter uma linha orientadora. Definir o estilo da decoração ou escolher um tema que a caracterize – urbano, boémio, marítimo, etc. – é uma boa forma de impedir que haja uma dispersão. Se, por exemplo, se identificar com uma decoração de estilo escandinavo ou moderna com apontamentos rústicos, o designer ou o decorador pode eliminar, de imediato, algumas hipóteses e focar-se naquilo de que o cliente gosta.

Crie um moodboard: os moodboards são painéis de referências visuais que ajudam a estruturar o processo criativo e a comunicar ideias. O seu moodboard pode incluir muitas coisas como, por exemplo, fotografias retiradas de revistas e de sites de decoração, amostras de tecidos e de papéis de parede, ideias para esquemas cromáticos, imagens de móveis e sugestões para a disposição dos mesmos, entre outras coisas. Os designers e os decoradores apreciam este empenho por parte dos clientes e dão uma ajuda preciosa no sentido de filtrar toda esta informação e aquilo que acham que não vai funcionar.

Decida o que é importante para si: antes de começar a trabalhar com um designer ou com um decorador, deve decidir aquilo que é importante para si. Pode ser, por exemplo, um móvel ou elemento de decoração que já esteja na sua família há gerações. Estes profissionais estão habituados a incorporar peças pré-existentes nas novas decorações, sendo que estas podem até servir como ponto de inspiração para todo o espaço. Não se esqueça, porém, do outro lado da moeda: aquilo de que pode abdicar. Os seres humanos têm uma tendência inata para acumular, mas é saudável sabermo-nos desfazer daquilo que já não usamos ou de que deixámos de gostar. Aproveite a deixa para se livrar de tralha e começar uma página em branco cheia de novas oportunidades.

Defina o orçamento: não é fácil cumprir um orçamento pré-estipulado, mas os decoradores e os designers de interiores estão preparados para fazer uma gestão cirúrgica e sensata dos meios que lhes são disponibilizados. O orçamento estipulado deve ser realista. No caso de ser demasiado limitado e de isso poder ter um impacto considerável no resultado, pode valer a pena poupar durante mais algum tempo para, mais tarde, não haver tantas restrições. Lembramos que, quantas mais tarefas delegar ao profissional, mais caro lhe sairá o trabalho. Uma das maneiras de poupar pode, precisamente, passar por ter um maior grau de envolvimento no projecto.

4. Quanto custa o serviço de um decorador ou de um designer de interiores em Oeiras?

Os decoradores e os designers de interiores podem cobrar à hora ou apresentar-lhe um valor total que pode variar largamente consoante a experiência que possuem, o prestígio do gabinete, a complexidade do projecto, a dimensão da área a ser intervencionada e a localização. Seja como for, não deve pedir apenas um orçamento. O ideal é pedir três para, assim, ter margem de comparação. Os orçamentos devem ser redigidos com clareza e, posteriormente, bem analisados. Veja o que cada um inclui e opte pela proposta que lhe parecer mais justa.

Como mera referência, partilhamos, consigo, alguns valores praticados em Portugal. São preços médios que, como já mencionado, podem oscilar em função de inúmeros factores.

O custo médio de um serviço de design de interiores rondará os 600€, num intervalo que vai dos 250€ aos 1000€. Os serviços de decoração de interiores andam à volta de 500€, mas podem oscilar entre os 250€ e os 2500€.

5. O que considerar antes de contratar um designer de interiores ou um decorador em Oeiras?

Há alguns passos que deviam ser obrigatórios antes de se contratar um designer de interiores, um decorador ou qualquer outro profissional para executar um projecto em nossa casa.

São eles:

  • Leve o seu tempo a pesquisar e a analisar os portefólios de profissionais que trabalham na sua área de residência. Escolha os três portefólios de que mais gostou e que incluam projectos dentro do estilo daquele que quer levar a cabo.
  • Encontre-se com esses profissionais para conhecê-los melhor. Para ter a certeza de que não se esquece de nada e que aproveita ao máximo esta reunião, pode fazer uma lista com todas as questões que gostava de colocar. Ao fazer a sua escolha, não se baseie apenas em questões técnicas. É fundamental contratar alguém com quem simpatize. Não é aconselhável trabalhar com pessoas que não sejam simpáticas, disponíveis e comunicativas. 
  • Consulte as referências deixadas pelos antigos clientes. As empresas sabem a importância de ter presença on-line, pelo que não deverá ser difícil aceder ao feedback deixado por antigos clientes no Facebook ou no Google My Business, por exemplo.
  • Informe-se sobre as garantias que os ateliers oferecem. Imagine que, pouco depois de a obra estar concluída, há um revestimento que começa a fissurar: quem assume o conserto? Os problemas podem acontecer e os profissionais com brio não terão problemas em assumi-los.
  • Informe-se sobre os seguros de acidentes de trabalho. Certifique-se de que todas os trabalhadores envolvidos na obra – carpinteiros, canalizadores, electricistas, entre outros – estão assegurados e que trabalham com o equipamento de segurança necessário. Se alguém se magoar e não tiver seguro, o contratante pode ver-se a braços com um problema sério.

6. Onde encontrar um designers de interiores ou um decorador em Oeiras?

A homify é uma plataforma que se debruça sobre as áreas da construção, da arquitectura, do design e da decoração. Não desenvolvemos projectos de decoração e de design, mas damos-lhe a conhecer alguns dos melhores decoradores e designers portugueses. No nosso site, e por via dos artigos que partilhamos, diariamente, no Facebook, tem acesso a uma panóplia de trabalhos assinados por especialistas de excelência que percorrem diversas categorias.

Note-se que cada profissional inscrito na homify tem a sua própria página onde partilha os projectos que concretiza, os contactos telefónicos e a morada. No canto superior direito dessa página, encontra uma etiqueta onde se lê ’contactar’. Se clicar sobre ela, abre-se, automaticamente, uma caixa de mensagens que lhe permite escrever para o profissional sem ter que sair da homify

Uma boa forma de encontrar profissionais destas áreas é indagar junto dos funcionários das suas lojas de decoração favoritas. Se um decorador ou designer de interiores costuma comprar coisas nessas lojas, então é porque o estilo dele se aproxima do seu. Além do mais, as próprias lojas podem ter equipas que prestem este serviço.

Não deve, claro está, deixar de fazer uma pesquisa no Google e nas redes sociais que são fontes de informação quase inesgotáveis. Utilize as palavras-chave decoradores em Oeiras ou designers de interiores em Oeiras. Ser-lhe-á, de imediato, apresentada uma miríade de resultados. No Twitter, no Instagram e no Facebook, faça uma publicação a pedir uma recomendação.

Peça, também, uma indicação aos seus amigos, familiares e colegas.