3 Designers de cozinhas em Lisboa

Área servida

Designers de cozinhas – Lisboa

Lisboa está nas bocas do mundo. Afinal de contas, reúne uma mão cheia de qualidades que não deixam ninguém indiferente. É bonita, tem um clima ameno e aquela luz que lhe é característica, deixa todos de água na boca, com a excelente gastronomia e os novos restaurantes que vão surgindo em catadupa – não estivéssemos nós em Portugal – e oferece, aos olhos dos estrangeiros, preços acessíveis. É certo que também tem algumas dores de crescimento, que a todos nos preocupam mas não é menos verdade que se tornou numa cidade muito interessante para morar.

 

Para além do turismo, não nos podemos esquecer da importância de Lisboa a uma escala global. O estigma de país pequenino vai ficando de parte, à medida que nos afirmamos como peões importantes no que concerne ao aspecto financeiro, artístico, comercial, mediático e educacional. Lisboa tem o maior porto de contentores na costa atlântica europeia e um aeroporto que, todos os anos, recebe cerca de 20 milhões de passageiros. Além do mais, está bem ligada, por meio de autoestradas e ferrovias, às principais cidades portuguesas.

 

Cabe ainda destacar as cidades que orbitam em torno da capital e que são igualmente populosas. Essas cidades vão-se desenvolvendo, de mãos dadas com Lisboa, e transformando-se em centros financeiros e pólos tecnológicos dinâmicos.

 

Bem sabemos que arrendar casa ou apartamento em Lisboa é, hoje em dia, um pesadelo. Por isso mesmo, muitas pessoas apostam em casas antigas, que compram a preços mais simpáticos para, posteriormente, remodelarem. Para isso é, no entanto, necessária uma equipa de profissionais competentes. Entre eles, estão os designers de cozinhas.

 

1. O que fazem os designers de cozinhas?

Ter uma cozinha de sonho é o desejo de muitos proprietários, sobretudo pela forma como o espaço é hoje encarado. Mais do que uma divisão com um propósito meramente utilitário, as pessoas vêem a cozinha como um ambiente de partilha e de convívio. Neste sentido, deve estar bem preparada para proporcionar conforto e funcionalidade a quem a utiliza. Um designer de cozinhas é capaz de transformar o sonho em realidade e intervir no espaço de várias formas: pode ser uma simples remodelação, uma construção de raiz ou o conserto de problemas estruturais. O designer ajudá-lo-á a planear o layout da cozinha, a escolher os materiais, os móveis, as cores, os padrões e terá em conta detalhes que parecem irrelevantes mas que fazem toda a diferença, como a localização das tomadas ou a incorporação de novas tecnologias.

2. Por que é que devo contratar um designer de cozinhas?

Uma cozinha também pode ser projectada por um arquitecto ou designer de interiores, mas a verdade é que optar por um designer de cozinhas é optar por alguém que conhece esta divisão como ninguém, já estando, por isso, habituado a lidar com contrariedades e a encontrar soluções astuciosas para as contornar.

 

Que razões específicas justificam recorrer ao serviço de um designer de cozinhas?

 

Destacaríamos as seguintes:

 

    ·    Os designers de cozinhas cooperam e coordenam equipas que integram os profissionais que são necessários ao projecto. Desta forma, libertam-no da chatice de ter que recrutar as pessoas de que precisa e de se preocupar em relação à fiabilidade das mesmas;

    ·    Um designer ajudá-lo-á a escolher os melhores materiais para o espaço. Nem tudo aquilo de que gostamos é o melhor para a divisão, por vários motivos. Esteja aberto a sugestões e confie na experiência do profissional. Lembre-se, também, que apostar num material caro e com melhor qualidade pode evitar problemas no futuro;

    ·    Ter alguém responsável por todo o planeamento é uma enorme mais-valia. Gerir equipas, estar atento aos prazos, lidar com imprevistos, escolher materiais e acessórios e controlar o orçamento é, quase sempre, areia a mais para quem não é especialista na matéria;

    ·    Um designer, seja de que área for, consegue ver para além do óbvio e apresentar propostas inesperadas que tornam as cozinhas especiais. A experiência é determinante para que isso aconteça;

    ·    Os designers de cozinhas são excelentes aliados para fazer projectos personalizados. Se idealiza um espaço com algumas especificidades, tem no designer a pessoa certa para o ajudar a alcançar o seu desejo;

    ·    Estes profissionais estão preparados para o que der e vier. Contratá-los não significa que tudo correrá na perfeição, mas sim que pode contar com alguém que sabe lidar com os imprevistos, sem atrasar a obra em demasia e gastar mais do que o esperado;

    ·    Os designers sabem optimizar os orçamentos, isto é, fazer mais com eles do que o expectável. Além disso, têm um conhecimento abrangente sobre os tipos de materiais e respectivos preços, podendo trazer para cima da mesa soluções surpreendentes e criativas;

    ·    A cozinha é uma divisão que combina instalações eléctricas com canalização, sistemas de ventilação e, não raras as vezes, gás. Cada um destes elementos deve funcionar correctamente e coexistir no mesmo espaço. Deixe um profissional tratar disso e garanta a segurança da sua família.

      

 

3. Como escolher um designer de cozinhas?

Antes de contratar um designer de cozinhas, considere as questões que se seguem:

 

    ·    Procure saber se o designer está qualificado enquanto tal. Não espere encontrar uma pessoa licenciada em Design de Cozinhas porque esse curso não existe. Porém, o designer pode e deve apresentar certificações ou ter no currículo pequenos cursos que o tornem apto a desenvolver esta actividade com mestria;

    ·    Reflicta sobre o grau de envolvimento que quer ter no projecto. Há quem faça questão de acompanhar cada passo, mas há, também, quem prefira delegar a tarefa, confiando-a ao profissional na totalidade. Diríamos que, como a cozinha se deve adequar às suas necessidades e propósitos, é oportuno tornar as suas ideias claras e ir, a par com o designer, percorrendo cada etapa;

    ·    Estabeleça o orçamento à partida, até porque é preciso saber se o designer consegue trabalhar dentro do valor apresentado. Defina um tecto de gastos e mantenha-se firme em relação a ele;

    ·    As referências são importantes. Tente obter feedback de antigos clientes. É possível que o encontre nas páginas de Facebook dos gabinetes de Design;

    ·    É recomendável trabalhar com um designer que está ciente dos prazos e trabalha com o máximo de rigor, com vista a cumpri-los. O projecto pode variar em complexidade, mas estabeleça, com o designer, um prazo que pareça razoável a ambos;

    ·    Analise, atentamente, o portefólio do designer e contrate alguém que partilhe o seu estilo e visão.

4. Há designers de cozinhas em Lisboa? Como encontrá-los?

 

Se há cidade onde não faltará oferta nesta área, essa cidade é Lisboa. Porém, é provável que os preços praticados sejam um pouco inflacionados, comparativamente aos das cidades mais pequenas.

 

Pode iniciar a sua pesquisa através da homify. Se é leitor assíduo, então sabe que temos milhares de projectos, levados a cabo por profissionais de todo o país. Para além de poder conhecer estes projectos, é também possível aceder aos contactos destes profissionais, às moradas e até às respectivas páginas de Facebook e sites: isto tudo numa única plataforma. 

 

Para além da homify, recorra à Internet, a revistas de arquitectura, de decoração ou da especialidade (cozinhas), a lojas que vendam linhas, acessórios e utensílios de cozinha e peça sugestões às pessoas que lhe são próximas.

 

Seja como for, privilegie designers na sua cidade, para poupar em deslocações e trabalhar, directamente, com uma pessoa que já conhece a realidade local (os fornecedores, os preços mais competitivos, os materiais da região que são, por isso, mais baratos, entre outras coisas).

5. Quanto custa renovar a cozinha?

Há um ponto que deve ter assente: a cozinha é a divisão mais cara da casa, mas o preço de uma remodelação varia amplamente, de acordo com inúmeros factores. 

Uma obra profunda pode custar, em média, 3 500€, mas se a obra passar apenas pela alteração de alguns elementos – novos armários ou pintura, por exemplo – o preço rondará os 1 600€. 

Note-se, porém, que uma cozinha muito boa e com excelentes acabamentos e electrodomésticos pode chegar aos 10 000€.

Sugerimos que peça vários orçamentos para ter termo de comparação e sustentar a sua decisão numa proposta com uma relação qualidade-preço que lhe pareça razoável.