8 Arquitetos paisagistas em Seixal

Área servida

Seixal – Arquitectos Paisagistas

É do conhecimento geral que as populações sempre se fixaram junto à água, pela necessidade de sobreviver e por todas as vantagens que um recurso hídrico acarreta. O Seixal começou, precisamente, por se desenvolver em torno da baía. A cidade é, aliás, conhecida por ser terra de pescadores e de quintas senhoriais, tendo evoluído sempre com uma íntima ligação ao rio. Era através do rio que os produtos, como o peixe, o sal, o vinho, o azeite, a fruta ou os cereais, eram levados para a capital, a partir de onde eram exportados.

 

O tempo passou e as unidades fabris que surgiram foram determinantes para o desenvolvimento económico do concelho, que deixou de ser rural para se transformar num concelho industrial. Houve, por este motivo, um boom populacional. A partir daí, melhoraram-se os equipamentos sociais e surgiram novas empresas e estabelecimentos.

 

Actualmente, o concelho tem cerca de 160 mil habitantes e tem excelentes indicadores no que toca ao progresso educativo, social, cultural e económico.

Tem uma casa com jardim no Seixal e deseja valorizar o espaço exterior? Então, não deixe de contactar um arquitecto paisagista.


1. Os espaços verdes no Seixal

Os cidadãos mais atentos concordarão connosco quando dizemos que as cidades portuguesas cresceram de forma desordenada. Algumas delas transformaram-se em verdadeiras selvas de betão, onde os espaços verdes são quase como uma miragem no deserto.

 

Cientes deste problema, as autarquias – entre elas, a do Seixal – têm vindo a abraçar alguns programas que visam criar espaços verdes e preservar ou melhorar os que já existem. Os espaços de lazer e de recreio melhoram a qualidade de vida e o bem-estar das pessoas que, por sua vez, têm um papel importante, na medida em que devem ser sensibilizadas e consciencializadas para a conservação da natureza, qualidade ambiental e para a salvaguarda do património natural.

 

No Seixal, segundo as informações providenciadas pela Câmara Municipal, destacam-se três árvores classificadas como interesse público: a azinheira, o dragoeiro e a árvore-da-borracha. Uma das preocupações dos arquitectos paisagistas deve, precisamente, passar pela utilização de espécies que singram na região.

 

2. O que faz um arquitecto paisagista?

O arquitecto paisagista faz o aconselhamento, o planeamento e o design das áreas exteriores, públicas ou privadas, estando também responsável por supervisionar a obra. Este profissional combina habilitações artísticas com o conhecimento da actividade humana e do meio-ambiente, tendo um papel crucial no que toca à protecção deste último. 

 

Num projecto residencial, o trabalho do arquitecto paisagista deverá percorrer as seguintes etapas:

 

  • Uma visita ao local, para proceder a uma análise detalhada do mesmo (tipo de solo, irrigação, exposição solar, dimensão, etc.);
  • Uma conversa com o cliente para compreender aquilo que ele espera que o espaço inclua;
  • O aconselhamento em relação à conservação ambiental e às melhores espécies de vegetação a usar na região;
  • A orientação no que toca a possíveis questões atinentes à legislação;
  • A elaboração de um contrato, com os custos detalhados;
  • A produção de uma folha de prazos, que deve ser aprovada pelo cliente;
  • A criação de um projecto com o auxílio de um programa de computador;
  • A contratação e a coordenação de uma equipa que inclua todos os profissionais necessários, para concretizar o trabalho;
  • O acompanhamento e o supervisionamento atento da obra, até à sua conclusão, para verificar os progressos feitos.

 

Depois do término do projecto, pode haver uma combinação entre o cliente e o arquitecto paisagista para que este fique responsável pela manutenção do espaço, no futuro.

 

3. Que habilitações e qualidades devem ter os arquitectos paisagistas?

Os arquitectos paisagistas possuem uma licenciatura em Arquitectura Paisagista, podendo, como é óbvio, complementar a formação com um mestrado e doutoramento. O curso superior, com tudo o que proporciona, é, na verdade, aquilo que distingue um arquitecto paisagista de um designer paisagista. Este último não precisa de um curso superior e intervém em projectos de escala menor, nomeadamente em projectos residenciais.

 

Para além da habilitação universitária, é importante que estes profissionais tenham as seguintes qualidades:

 

  • Uma veia artística, que lhes permita ver todo o potencial do espaço e encontrar soluções astutas e criativas;
  • Um interesse pelo meio-ambiente e pelas ciências da vida, assim como uma preocupação em desenvolver  projectos sustentáveis;
  • Uma boa comunicação verbal e escrita, para que o entendimento entre profissional e cliente seja absoluto;
  • Uma boa capacidade para negociar, para gerir e para liderar;
  • Um sentido de rigor, para cumprir o projecto e os prazos;
  • A capacidade de pensar o espaço como um todo, sem descurar os pormenores;
  • A habilidade para trabalhar com programas de computador e a vontade de estar em permanente actualização, no que respeita às tendências e às novidades tecnológicas.

 

4. Quanto custa contratar um arquitecto paisagista?

O orçamento dependerá sempre da dimensão da obra e do tipo de terreno, que pode apresentar melhores ou piores condições. Os serviços prestados pelo arquitecto paisagista também ditarão o valor total. Se, por exemplo, ele for o responsável pela contratação de equipas e pela compra de materiais, o orçamento será mais avultado. Pelo contrário, o arquitecto pode apenas criar o projecto, ficando a execução a cargo do cliente. Neste caso, o projecto será menos dispendioso, embora também dependa do prestígio do atelier em questão.

 

Como mera referência, podemos adiantar-lhe que um arquitecto paisagista ganha entre 10% a 20% do valor total do projecto. Dito isto, num projecto de cerca de 20 000€, o arquitecto ganha entre 2 000€ a 4 000€.

 

Seja como for, aconselhamo-lo a pedir sempre mais do que um orçamento (três seria o ideal). Quando receber os orçamentos, analise-os com atenção e tome uma decisão baseada na proposta que lhe parecer mais razoável. Note-se que o orçamento mais barato não é necessariamente o melhor. Tudo depende do que está incluído no preço e da qualidade do profissional. Pode valer a pena investir mais e aumentar, desta forma, o valor da sua casa.

 

5. Como posso encontrar um arquitecto paisagista no Seixal?

Comece a sua pesquisa pelo Seixal e alargue-a aos concelhos vizinhos, se não encontrar o arquitecto paisagista que lhe encha as medidas na sua cidade.

 

Na homify, reunimos uma vasta lista de arquitectos paisagistas, com gabinetes em várias zonas do país. Sem ter que sair desta plataforma, pode consultar os projectos concretizados pelos arquitectos paisagistas do Seixal e tomar nota do contacto e/ou da morada daqueles cujo estilo mais se aproxima do seu.

 

Da homify pode passar para as redes sociais, como o Facebook, o Instagram e o Twitter, onde se conseguem sempre boas referências. Pode pesquisar pelas palavras-chave ou, tão-somente, lançar o repto: Alguém conhece arquitectos paisagistas no Seixal ou nas imediações?. Estamos certos de que, entre os seus contactos, alguém lhe vai dar uma boa indicação.

 

Tem amigos, familiares ou colegas que já recorreram a este serviço? Pergunte-lhes se têm contactos úteis! Aliás, mesmo que não tenham levado a cabo um projecto desta natureza, podem conhecer alguém que tenha ou que esteja a par do assunto.

 

Em lojas de jardinagem, de construção e de bricolage, é provável que consiga saber alguma coisa. São lojas às quais os arquitectos paisagistas recorrem com frequência, pelo que as pessoas que lá trabalham já devem estar familiarizadas com alguns nomes.

 

Depois de fazer a sua pesquisa e chegar a algumas conclusões, marque encontros presenciais com os arquitectos paisagistas. Discuta a ideia que tem para o projecto e tente perceber se está perante um profissional aberto, disponível para esclarecer as suas dúvidas e se partilha do seu estilo. Comunique as suas ideias com clareza, mas não se feche a sugestões.