Arquitetos paisagistas - Almada: Encontre os profissionais ideais | homify

13 Arquitetos paisagistas em Almada

Almada – a paisagem ribeirinha recuperada

A vida e o crescimento de Almada estão intimamente ligados a Lisboa, como seria de esperar, mesmo com um rio a separá-las.
Se antes Almada era um ponto de defesa e vigilância das rotas comerciais do Tejo, no século XIX passa a importante pólo industrial, com a fixação de várias indústrias transformadoras, como tecelagens, indústrias navais, de transformação de cortiças, entre outras. Este crescimento industrial trouxe também crescimento populacional, pois as fábricas atraíram trabalhadores que ali acabaram por se fixar.
Não se pode falar de Almada sem fazer referência à ponte 25 de Abril e ao Cristo Reis, construídos na segunda metade do século XX, e que marcam fortemente a paisagem almadense. A ponte abriu, definitivamente, o caminho entre as margens, facilitando a deslocação para Lisboa, trazendo consigo ainda mais população e desencadeando os conhecidos problemas de construção habitacional (muitas vezes) ilegal, que acabam por estar fortemente visíveis na paisagem urbanística.
Adicionalmente aos problemas de ordenamento que a densidade populacional trouxe, também as antigas empresas das zonas ribeirinhas começaram a degradar-se, tornando-se num problema paisagístico. Actualmente o grande desafio é proceder à sua reabilitação, o que tem vindo a ser feito, paulatinamente, com sucesso, devolvendo a estas maravilhosas paragens algum do seu esplendor original.
Mas Almada não é só a cidade. Este concelho engloba algumas das mais bonitas paisagens da periferia de Lisboa, com a praia ali tão perto, desde a Cova do Vapor à Fonte da Telha. Tem também bonitas localidades mais ou mesmos campestres, de vegetação rasteira e sobro (nas zonas da Charneca da Caparica, Sobreda e Caparica). Nestas paragens, o paisagismo tem como principal função a reabilitação e a inserção de construções na envolvente natural.

Arquitectura paisagística – a arte e a ciência ao serviço da paisagem

A Arquitectura Paisagística é uma área muito mais complexa do que pode pensar, à partida. É multidisciplinar e reúne ciência e arte, num só curso superior.
A paisagem é o foco desta área de conhecimento, mas sob uma perspectiva intervencionista, na tentativa de adaptar os espaços naturais às necessidades humanas. Para isso a arquitectura paisagística estuda as características geográficas, orográficas, hidrográficas, biológicas, climáticas e humanas do espaço a intervencionar, procurando aí atingir o equilíbrio estético entre os vários elementos que o compõem (áreas plantadas, áreas construídas e espaços de circulação). Neste trabalho entram, também, as ciências sociais e humanas, com o objectivo de unir a estética à funcionalidade, tendo em conta as tendências da época e das populações do local, buscando a harmonia entre os vários elementos.
A arquitectura paisagística desenvolve-se em consonância com a arquitectura tradicional, complementando-se. No entanto, são ciências diferentes e importa distinguir cada uma delas:

   
 - Arquitecto – é responsável por desenhar toda a estrutura de uma construção para que ela não seja apenas bela, mas também segura. Pode também ser responsável por desenhar as estruturas interiores para tirar melhor partido destes espaços e, inclusivamente, sugerir detalhes estilísticos e decorativos. Por vezes, fazem o prolongamento da arquitectura interior da casa para o exterior e até projectos de paisagismo, embora seja cada vez mais raro.

     
 - Arquitecto paisagístico – estes profissionais são responsáveis por projectar e fazer a gestão de espaços públicos urbanos, de pequena e média dimensão, criar, manter e recuperar estruturas verdes (em parques e jardins públicos e privados), fazer arranjos paisagísticos exteriores para habitações (em pequena ou grande escala), entre outras. Estas actividades são fundamentadas por conhecimentos metodológicos e técnicos, adquiridos em licenciatura.

A arquitectura paisagística e a jardinagem

Por vezes, há a tendência de confundir estas duas áreas, mas na realidade são coisas bem distintas, embora se interliguem.
Enquanto a arquitectura planeia a paisagem, integrando a área construída, incluindo elementos já existentes e desenhando as áreas ajardinadas, os jardineiros são os responsáveis por executar esse planeamento, feito para esses mesmos espaços.

Vantagens de ter um arquitecto paisagista a tratar do seu projecto

  1. Método e planificação – quantas vezes vemos uma casa bonita mas os exteriores não correspondem? Ervas, árvores raquíticas, paredes sujas… Tudo isto pela falta de jeito, mas também por não haver uma abordagem sistematizada do espaço. O que falta? Método e planificação, precisamente o que obtém com a contratação de um arquitecto paisagístico.
  2. Acompanhamento da execução – não tem tempo para seguir de perto os trabalhos no seu terreno? Quer algo mais do que uma planificação? Um arquitecto paisagístico pode acompanhar todo o processo.
  3. Poupança – tempo é dinheiro e escolhas bem feitas também. Embora possa parecer um gasto (e ao princípio pode mesmo ser), vai ver que, no final, vai valer a pena. E, no futuro, este gasto irá transformar-se em investimento.
  4. Personalização, com boa inserção na envolvente – quantas vezes o nosso gosto pessoal choca com a envolvente? Um arquitecto paisagista vai ajudá-lo a encontrar o equilíbrio perfeito entre o seu gosto e as obrigações legais.
  5. Valorização do imóvel – esta é talvez a vantagem mais apetecível. Um bom projecto paisagista pode valorizar a sua casa em mais de 16%!

Como posso encontrar Arquitectos paisagísticos em Almada?

É fácil! Comece por fazer uma pesquisa aqui mesmo na homify, guarde as fotos num livro de ideias e depois só tem de contactar os profissionais através dos contactos ali disponibilizados.
Mas não se fique por aí! Faça uma pesquisa generalista na internet, fale com amigos e vizinhos que tenham projectos do seu agrado e procure, até, nas páginas amarelas.
É importante saber que, muitas vezes, estes profissionais trabalham para empresas de paisagismo ou de arquitectura, além de poderem trabalhar sozinhos, portanto inclua este tipo de empresas na sua pesquisa.
Se reside em Almada, contratar nesta região pode ser uma mais-valia para o sucesso do seu projecto, ao facilitar transportes, deslocações e verificação de referências.

Seja qual for o tipo de empresa escolhido, é fundamental estabelecer o alcance do serviço que esta lhe vai prestar. Verifique as suas necessidades e defina se precisa que o serviço acabe na entrega do projecto ou se deve continuar. Não se esqueça de que há empresas que tratam de tudo, desde o plano à contratação de equipas, fazendo o acompanhamento total e oferecendo serviços de manutenção, após a conclusão do projecto.


Informe-se bem acerca do tipo de serviços prestados pelo profissional que seleccionar.
Se está a construir uma casa e precisa de entregar o plano de arranjos exteriores como projecto da especialidade para o licenciamento, terá vantagens em contratar um arquitecto paisagístico da confiança do seu arquitecto, embora também possa contratar à parte.

Quanto custa o trabalho de um Arquitecto Paisagístico em Almada

Embora, muitas vezes, se considere a percentagem entre 10% e 20% do valor pago ao arquitecto paisagístico, esta indicação só é válida para casos específicos. Os graus de envolvimento deste profissional, em cada projecto, são tão variados que se torna muito difícil estabelecer preços. Por outro lado, é impossível determinar este valor em casos onde o profissional trabalha em parceria ou com contrato, para uma determinada empresa.

Pesquisar imagens relacionadas