273 Arquitetos em Gondomar

Área servida

Gondomar: o Douro e o ouro

Gondomar pertence ao Distrito e à Área Metropolitana do Porto, sendo um dos municípios mais populosos com 234 027 habitantes. A cidade per se tem, no seu perímetro urbano, 30 mil habitantes.

 

Por Gondomar, passam o Rio Douro, o Rio Tinto, o Rio Torto, o Rio Sousa e o Rio Ferreira. O Douro impõe-se entre os demais, acompanhando a cidade, ao longo das suas margens, por cerca de 32 quilómetros. É assim fácil de ver que falar de Gondomar é falar sobre este poderoso recurso que se traduz numa miríade de possibilidades na área do Turismo Náutico e da Natureza. As praias fluviais que pululam no distrito são extremamente atractivas durante a época balnear. 

 

Mas nem só os rios e as serras definem Gondomar. Sabia que a cidade é conhecida como a Capital da Ourivesaria? O património cultural rico mantém artes ancestrais como a filigrana e o trabalho a talha. 

 

Gondomar fica a cerca de 20 minutos de carro da cidade do Porto pelo que pode ser uma boa opção de habitação para quem trabalha no Porto, mas prefere morar num sítio mais calmo ou para quem quer morar numa cidade mais pequena, mas ter um grande centro urbano por perto. Evitar o Porto pode significar evitar preços de compra e arrendamento que extravasam o orçamento.

 

Gondomar: arquitectura e património

No que à arquitectura concerne, existem no concelho inúmeros solares seculares. A Casa de Montezelo, em Fânzeres, é paragem obrigatória. Neste solar, classificado como Imóvel de Interesse Público, pode conhecer a sublime magnólia centenária que se ergue no átrio.

 

As belas igrejas existentes na região beneficiaram da riqueza da mesma e possuem interiores minuciosamente enriquecidos com talha dourada e azulejaria. Sugerimos uma visita à Igreja de São Cosme e São Damião, de estilo Barroco, que remonta ao século XVII e se destaca pela talha dourada do altar e dos retábulos.

 

Gondomar orgulha-se, ainda, do conjunto de painéis existentes na Estação de Caminhos de Ferro de Rio Tinto pintados por João Alves de Sá e provenientes da Fábrica Viúva Lamego. Portugal é conhecido pela azulejaria e há exemplos de excelência por todo o país, mesmo onde não nos lembramos de procurar. Os azulejos que compõem o painel desta estação datam de 1936.

Não podíamos deixar de escrever sobre Gondomar sem fazer menção à tradição agrícola da região. É ainda possível lá encontrar casas de lavoura – que exibem a traça original – e os famosos espigueiros. Os espigueiros são, como o próprio nome indica, pequenas construções em madeira e granito onde se acondicionam as espigas de milho. Num passeio pelo Douro e pelo Minho, encontrará muitos: uns ainda em utilização e outros fora de uso, mas preservados. Não raros são os arquitectos que se debruçam sobre projectos de requalificação e tiram partido do espigueiro para valorizar e enaltecer a casa: o espigueiro pode passar a fazer parte da mesma ou surgir enquanto volume independente diferenciador e pejado de carácter.

Gondomar: incentivos à habitação

Em Portugal, são muitos os municípios que têm vindo a iniciar programas de apoio mensal para o pagamento de renda ou crédito habitação. Esses programas têm, por norma, um período de candidatura e repetem-se anualmente. Em 2018, Gondomar teve em vigor o programa + Habitação destinado aos residentes no município há, pelo menos, 12 meses, com uma renda ou crédito habitação superiores a 150€.

 

O município, apesar de ter à disposição um parque habitacional composto por 29 conjuntos habitacionais, está a trabalhar no sentido de dar resposta aos milhares de pedidos de habitação que são, em grande parte, fruto da conjuntura económica actual.

Gondomar: preços (terrenos e IMI)

O preço por metro quadrado de venda, em Gondomar, no início de 2018, rondava os 929€/m².

 

No que toca ao IMI, a autarquia criou, em 2017, taxas diferenciadas conforme o número de dependentes da família. No que respeita aos prédios de habitação permanente, em 2018, a redução variou entre 20€ – no caso de um dependente a cargo do agregado familiar -, 40€ para dois e 70€ para três ou mais dependentes.

 

A taxa de IMI fixou em 0.42% nos prédios urbanos sitos em Baguim do Monte e Rio Tinto, assim como nas uniões das freguesias de Fânzeres e São Pedro da Cova e Gondomar, Valbom e Jovim. Na zona do Alto Concelho (Melres, Lomba e Medas) a taxa é de 0.37%. Já os prédios degradados viram a taxa a ser agravada em cerca de 30%.

Devo contratar um arquitecto com gabinete em Gondomar?

Se procura construir, remodelar ou recuperar casa em Gondomar, não deixe de recorrer ao serviço prestado por um arquitecto da cidade. Gondomar, como já vimos, insere-se numa paisagem com serras e rios, pelo que a contratação de um profissional que conheça a região, com todas as suas especificidades geográficas, pode ser uma mais-valia aquando da projecção e construção de casa. Para além disso, um bom arquitecto saberá tirar partido dos recursos naturais e, possivelmente, incorporará no projecto materiais regionais que já conhece e que poderão apresentar um custo mais baixo visto que não têm que ser importados. 

O arquitecto, com o seu know-how e experiência, sabê-lo-á aconselhar em relação às melhores zonas para construir e, no caso de recuperar uma propriedade antiga, terá em atenção as características arquitectónicas e património locais (como é o caso dos espigueiros).

No mais, um arquitecto com gabinete em Gondomar já conhece outros profissionais da zona – empreiteiros, colocadores de piso, electricistas – que pode envolver no projecto, libertando-o dessa tarefa. Aliás, por trabalharem em proximidade com esses profissionais de uma forma recorrente, é possível que consigam negociar os preços. Não menos importante é o arquitecto estar familiarizado com a Câmara Municipal e com quem lá trabalha, o que significa que pode também tratar da parte burocrática ou, pelo menos, acompanhá-lo nessa etapa, agilizando o processo. 

Como encontrar o arquitecto ideal em Gondomar?

Se nas grandes cidades não faltam gabinetes de arquitectura, as pequenas cidades, sobretudo as que se encontram em torno dos grandes centros urbanos, como Gondomar, podem pecar pela escassez dos mesmos. 

Ao procurar um arquitecto para levar a cabo o seu projecto, comece pelos que estão mais perto, mas se não estiver satisfeito com o resultado da pesquisa, alargue-a para as zonas adjacentes até porque há muitos arquitectos que conhecem e trabalham em todo o concelho, ou seja, o facto de o gabinete não ser no centro da cidade não significa que um arquitecto não conheça bem a zona. 

No que toca ao processo de escolha, as regras são transversais a qualquer localidade. Deve consultar portefólios para estar ao corrente dos projectos por completados pelos gabinetes de arquitectura e certificar-se de que partilham a mesma visão e estilo. 

Aconselhamo-lo, também, a pedir referências a antigos clientes, a pedir um orçamento e, posteriormente, a compará-lo com outros para ter a certeza que toma a decisão que mais lhe convém. 

Coloque todas as questões relacionadas com o projecto sejam elas de que natureza forem e tentar perceber se tem à sua frente um profissional criativo, preocupado em cumprir prazos, eficaz nas soluções propostas e, acima de tudo, que esteja presente e tenha a preocupação de supervisionar a obra no local.

Aqui na homify, reunimos vários projectos de arquitectos de vários pontos do país. A nossa base de dados está à sua disposição. Pode ver os projectos, aceder à página de cada profissional e entrar em contacto mesmo a partir do nosso site.