357 Arquitetos em Almada

Área servida

Almada – o Tejo e Lisboa 

Almada é a continuação de Lisboa a sul do Tejo… Não é exatamente assim, mas Almada é realmente um dos principais aglomerados populacionais na cintura de Lisboa, o lar de milhares de pessoas que, trabalhando na outra margem, todos os dias fazem a travessia do rio por carro, comboio, autocarro ou barco. A ponte 25 de Abril, essa robusta e bela criação suspensa, em aço e betão, da autoria da companhia de Pontes Americana, marca a paisagem de ambas as margens, ligando-as indelevelmente. 

Mas Almada vale-se por si mesma! Séculos de história atestam a sua importância estratégica na defesa e vigilância das rotas comerciais da região: – desde a mais remota instalação humana, passando pela ocupação árabe e posteriormente já no reino de Portugal, Almada sempre foi uma importante praça militar de defesa do Tejo e do seu comércio. Infelizmente deste glorioso passado pouco resta arquitetonicamente… Almada sofreu danos irreparáveis com o terramoto de 1755, que fez ruir praticamente todas as residências, nobres ou não. 

No século XIX o caráter militar, agrícola e piscatório das populações locais sofre uma mudança de paradigma com a instalação da indústria. Ali se fixaram tecelagens, indústria naval, moagens e fábricas de transformação de cortiça, atraindo cada vez mais pessoas que acabaram por se estabelecer na povoação. 

O Cristo Rei domina o Tejo, e abençoa Almada, desde 1959, e é impossível escrever ou pensar em Almada sem lhe fazer referência. 

Arquitetonicamente Almada foi sempre condicionada pela pressão populacional e a sua paisagem é forjada de prédios mais ou menos modernos, mas também existem alguns exemplos de arquitetura mais antiga, como o Solar do Zagallos ou o Palácio da Cerca. 

Atualmente o objetivo da cidade é reabilitar as antigas zonas industriais, ribeirinhas, onde se desenvolviam as atividades industriais ligadas à cortiça, moagem, conservas, pesca, construção e reparação naval, que se têm apresentado bastante degradadas, tirando beleza à cidade.

Restrições à construção em Almada 

Em Almada a construção não está sujeita a grandes constrangimentos, sendo na sua maior parte seguida a legislação mais generalista, a não ser que o edifício a construir fique nas proximidades de algum edifício de interesse histórico ou municipal. Em virtude da escassez de edifícios nestas condições, construir num lote aprovado uma casa à sua maneira será relativamente simples. 

Em relação às obras de pequena dimensão, em especial no interior das habitações, ou que não interfiram com o seu aspecto exterior, estas ficam isentas de comunicação ou licenciamento. 

As obras destinadas a manter os edifícios nas condições já existentes (desde a data da sua construção e em conformidade com o projeto aprovado), nomeadamente obras de pintura e limpeza de edifício, substituição da caixilharia, reparação de fissuras e substituição do telhado, estão sujeitas a licenciamento camarário. 

A construção de raiz está, obviamente sujeito ao licenciamento municipal, e esse processo de licenciamento e construção é legislado nos seguintes diplomas gerais: 

Dec.-Lei nº 136/2014, de 9 de setembro – Regime jurídico da urbanização e edificação. 

Portaria nº 113/15, de 22 de abril – Elementos instrutórios das operações urbanísticas. 

Decreto-Lei nº220/08, de 12 de novembro. 

Portaria 1532/08, de 29 de dezembro – Regulamento técnico de segurança contra incêndio em edifícios.

É importante considerar que muitos dos aspetos da construção, desde a área da casa à ocupação de solo, e à instalação de estruturas de apoio, como as garagens, são avo de taxas camarárias, como em vários outros municípios, sendo que em Almada as taxas podem ser elevadas.

Quanto custa construir ou comprar casa em Almada? 

O preço médio por metro quadrado de habitação vendida em Almada até setembro de 2017 foi à volta de 1600 Euros, e tem apresentado tendência para subir. Estes valores, embora pareçam altos à partida, são no entanto bastante mais convidativos do que os mais de 3000 Euros praticados logo ali ao lado em Lisboa, o que justifica bem a imensa mole populacional com casa na margem sul, mas que trabalha na capital. 

Os preços dos terrenos variam muito conforme a localização: – um terreno para construção na cidade de Almada pode custar-lhe mais de 200 Euros por metro quadrado, enquanto nas freguesias limítrofes o valor pode ser mais baixo. No entanto quando começamos a chegar à orla próxima do mar os valores voltam a aumentar. 

Comprar um apartamento usado T3 em Amada vai custar-lhe seguramente mais de 90000, com o aumento do preço a depender diretamente da zona onde o prédio está localizado e da área útil oferecida. Comprar uma vivenda nova ou usada, com a mesma tipologia, fica com certeza em mais 200000 Euros.

A taxa de Imposto Municipal sobre Imóveis para 2017 em Almada foi de 0,37%, o que não é excessivo, nem se aproxima do teto máximo permitido.

Vantagens de contratar um arquiteto de Almada para elaborar o seu projeto de construção 

Não tem necessariamente de ser um gabinete sediado em Almada para lhe proporcionar um bom serviço de arquitetura, pois nas proximidades há um grande número de gabinetes de arquitetura à sua disposição, mas optar por um da região é sempre vantajoso. 

Ao contratar um gabinete de arquitetura na região onde pretende construir significa menos despesas nas deslocações à obra, e parcerias com empreiteiros e outros fornecedores de materiais e serviços também nas proximidades, agilizando as entregas e minimizando os atrasos à conclusão da obra.