Arquitetos de interiores - Leiria: Encontre os melhores profissionais | homify

1 Arquitetos de interiores

Área servida

Leiria – no coração da zona centro

Situada no litoral centro de Portugal, capital de distrito, nascida entre um castelo antigo e o lindo rio Lis. É assim a cidade de Leiria, cheia de edifícios históricos e beleza natural, e até de áreas comerciais glamorosas e atraentes.

Na arquitectura, o destaque vai para o edifício Garage, um exemplo importante de art noveau, datado da primeira década do séc. XX, da autoria do conhecido arquitecto suíço Ernesto Korrodi, e renovado pela arquitecta portuguesa Sara Saragoça Soares. A Praça Cónego Maia é outro edifício interessante neste estilo, também do início do século passado, idealizado por Augusto Romão. O antigo Palácio Episcopal, um edifício de arquitectura pombalina e o Zúquets, que remonta ao final do séc. XIX, são mais dois exemplos da riqueza arquitectónica da cidade.
Com tanto requinte arquitectónico bem cuidado, é fácil perceber que a vida em Leiria é muito agradável, e ainda é melhorada pela proximidade do mar!

A cidade conta com boas vias de acesso, modernizadas e eficientes, e tem um parque escolar de qualidade, com uma oferta educativa diversificada, que vai do pré-escolar ao ensino superior.

Nesta secção encontra arquitectos de interiores em Leiria, pelo que é fácil inferir que, se o leitor está aqui, é porque está à procura de um profissional desta área para o ajudar num projecto em sua casa. Está no sítio certo!

Na homify encontra centenas de profissionais à distância de um click.
Só precisa de pesquisar por entre os milhares de imagens disponíveis ou por especialidade, fazer um livro de ideias com os seus preferidos, explorar as páginas dos profissionais e entrar em contactos com eles através do link disponibilizado em cada imagem. Mas antes de continuar a sua pesquisa acompanhe-nos mais um pouco e descubra muitas informação sobre estes profissionais, cuja especialização ainda deixa bastantes dúvidas.

Arquitectos de interiores – definições necessárias

Há alguma confusão acerca das atribuições de alguns profissionais ligados à estética e à distribuição dos interiores de edifícios, e este é local certo para as esclarecer.


A figura do arquitecto de interiores confunde-se com a do designer de interiores e por vezes não se percebe onde entra o arquitecto e o decorador, mas apesar desta aparente sobreposição ela não acontece, acabando por se resumir a um simples especialização de funções, se não vejamos:
Arquitecto – profissional capacitado para fazer todo o planeamento de edifícios, desde as fundações até à parte estética, passando por alterações estruturais, se necessárias. Pode fazer também todo o planeamento interior, mas muitas vezes trabalha em parceria com profissionais especializados nesta área.
Arquitecto de interiores – é um arquitecto especializado em planear e executar os interiores de edifícios. A formação de base é de arquitectura, mas normalmente possuem mais sensibilidade para estas áreas, sendo responsáveis por conceber e desenhar espaços coerentes e funcionais, e contando com especializações para saber das mais recentes normas e conhecimentos técnicos em ergonomia, conforto térmico e acústico e iluminação. Por outro lado, os arquitectos de interiores Têm também conhecimentos de arte e design que permitem elaborar decorações magníficas. Como são arquitectos estão autorizados a fazer alterações estruturais na redistribuição dos espaços interiores em remodelações.
Designer de interiores – fazem um trabalho de planeamento e redistribuição dos espaços interiores, intervindo em toda a parte estática e em muita da parte funcional, muito semelhante à dos arquitectos de interiores, mas não podem planear alterações ou obras que exijam alterações na estrutura dos edifícios.
Decorador – os decoradores são profissionais vocacionados para intervir na parte estética dos interiores e exteriores dos edifícios, contribuindo para a melhoria das condições de habitabilidade.

Como posso escolher o profissional certo para o meu caso?

Apesar de parecer confuso, a decisão acaba por ser bastante simples, e está sempre ligada com a complexidade do projecto em questão.

Se quer construir uma casa ou fazer uma remodelação extensa, sobretudo se abrange o exterior do edifício, precisa, sem dúvidas, de um arquitecto.

Se o seu objectivo é reestruturar os interiores da sua casa ou do seu negócio, seja uma loja de roupas ou um escritório, e precisa de fazer alterações à estrutura, nomeadamente acrescentar canalização ou derrubar paredes importantes, precisa de um arquitecto de interiores. Aqui falamos da ampliação de uma sala com paredes-mestras ou da alteração profunda de casas de banho, por exemplo.

Se o seu projecto implica uma alteração da distribuição dos espaços interiores e de uma melhoria estética, pode contratar um arquitecto de interiores, mas se as alterações não implicarem modificações de vulto, pode recorrer a um designer de interiores (sobretudo numa aposta mais na imagem e no design).

Se precisa de dar uma imagem nova à sua casa, com uma intervenção ao nível dos móveis, dos têxteis e da imagem em geral, contrate de um decorador.

Como se processa o trabalho de um arquitecto de interiores?

Obviamente cada profissional tem uma metodologia própria para desenvolver o seu trabalho, mas há algumas etapas que o seu arquitecto de interiores lhe pode propor, e que se revestem de importância elevada:

  • uma reunião prévia consigo e com outras partes interessadas para compreender suas expectativas e necessidades para o trabalho;
  • uma reunião “in loco”, no local a intervencionar, para tomar as notas necessários e obter uma melhor compreensão das dimensões do espaço e das suas potencialidades;
  • proposta dos planos para o projecto, nas suas várias vertentes da iluminação, à canalização. Estes planos são muitas vezes apresentados em plantas e imagens tridimensionais;
  • apresentação do orçamento para o trabalho em função dos materiais escolhidos e da complexidade, dentro do tecto imposto por si;
  • acompanhar e executar os planos, comprando os materiais, contratando e supervisionando as equipas, em função do acordado.

O preço final para o seu trabalho vai ser bastante influenciado pelo profissional escolhido, em especial pelo seu prestígio no mercado. Normalmente escolher um gabinete com grande reconhecimento profissional ou especializado em projectos de luxo é garantia de um projecto mais caro mas, em princípio, se o gabinete estiver interessado no trabalho vai adaptar-se ao limite estabelecido por si.

Há arquitectos de interiores em Leiria? Como posso encontrá-los?

Sim, há arquitectos especializados em interiores na região de Leiria. Aqui mesmo vai encontrar vários, mas se não encontrar o certo para o seu caso há outras alternativas que pode explorar.
Faça uma pesquisa extensa pela internet, através dos motores de busca convencionais (Google, Chrome, Explorer) usando as palavras-chave arquitetos de interiores Leiria e comece a seleccionar a partir das entradas obtidas. Mas não se esqueça das redes sociais. Actualmente praticamente todas as empresas e profissionais estão representadas nestes meios de comunicação. Ferramentas como o LinkedIn, o Facebook ou o Instagram podem revelar-se muito úteis a procurar profissionais, mas também a obter impressões de anteriores clientes acerca do seu trabalho.
Se os meios digitais forem insuficientes utilize também o antigo método de pedir recomendações a familiares e conhecidos.
Contratar profissionais na região do projecto acaba por ter vantagens económicas, pois poupa em deslocações, mas também tem vantagens ao nível dos resultados obtidos, sobretudo se pretende ver replicada uma ideia já posta em prática na região. As modas regionais, que acabam por ser bastante populares e podem fazer a diferença no seu projecto, assim como as eventuais limitações legais serão melhor entendidas por profissionais da zona.

Quanto custa o trabalho de um arquitecto de interiores em Leiria?

Tendo em conta que os arquitectos de interiores são arquitectos com uma especialização e que normalmente o trabalho dos arquitectos representa um valor de cerca de 10% do valor total do projecto, não é desproporcionado contar com este valor num projecto de arquitectura de interiores.