Encontre os Arquitetos de interiores ideais | homify

12,439 Arquitetos de interiores

Arquitectos de Interiores

Não temos dúvidas de que recorrer a um arquitecto de interiores é importante para gerar espaços interiores seguros, funcionais e criativos, que atribuam às casas um valor acrescido. Quem aprecia arquitectura consegue perceber, de imediato, quando uma casa tem o dedo de um arquitecto. Os pormenores de design e as soluções engenhosas que tornam as áreas mais práticas e confortáveis denunciam-no de imediato.

É certo que contratar um arquitecto de interiores aumenta a despesa, a curto prazo, mas não é menos verdade que, hoje em dia, proliferam gabinetes de arquitectura de interiores que procuram oferecer bons serviços dentro de um preço justo. Para além disso, um arquitecto de interiores pode ajudá-lo, de várias formas, a optimizar o seu orçamento.

1. O que fazem os arquitectos de interiores?

Os arquitectos de interiores actuam, como o próprio nome indica, no interior dos edifícios, onde intervencionam os espaços de forma a torná-los mais funcionais, cómodos e apelativos. É um trabalho que merece destaque, pelo impacto que tem na criação de ambientes com qualidade.

A arquitectura de interiores não se dissocia da arquitectura. Pelo contrário, há uma sinergia entre ambas as disciplinas. No entanto, a um serviço de arquitectura de interiores, está também inerente uma componente cenográfica, no sentido em que se procuram valorizar os ambientes através da decoração. Um arquitecto de interiores faz o projecto e intervém estruturalmente nos espaços – pode demolir ou erguer paredes e mudar, totalmente, a configuração do interior de uma casa – mas também se debruça sobre a escolha da paleta cromática, dos móveis, da iluminação, das texturas, dos acabamentos e assim, por diante. Todos estes aspectos devem ser pensados em função das necessidades dos clientes e da disponibilidade financeira dos mesmos. 

Para que o projecto corra da melhor forma, o arquitecto de interiores deve definir prazos para cada tarefa, coordenar os trabalhos de carpintaria, pintura, marcenaria e instalação da iluminação, preparar o caderno de encargos e supervisionar todos os profissionais envolvidos.

2. O que distingue um arquitecto de interiores de um designer de interiores e de um decorador?

2.1. Arquitecto de interiores: os arquitectos de interiores imiscuem-se, desde cedo, nos projectos, tendo uma palavra a dizer sobre o posicionamento de alguns elementos estruturais, que influenciarão a forma como o espaço será utilizado. Os arquitectos de interiores têm um background em Arquitectura e, posteriormente, especializam-se em interiores. 

Cabe ao arquitecto de interiores:

  • Escolher os materiais e os acabamentos;
  • Decidir onde serão colocadas janelas e portas;
  • Definir o tipo de iluminação e o posicionamento dos pontos de luz, bem como dos sistemas de canalização;
  • Pensar o espaço de forma inteligente, do ponto de vista do design estrutural;
  • Optimizar as áreas e facilitar a circulação dentro das mesmas;
  • Estar a par da legislação e dos regulamentos de construção.

2.2. Designer de interiores: os designers de interiores fazem, igualmente, alterações estruturais, embora não tão invasivas como as que são levadas a cabo pelos arquitectos de interiores. Estes especialistas, que têm um curso em Design de Interiores ou Belas-Artes, envolvem-se, sobretudo, na escolha dos acabamentos e dos pormenores estéticos, tendo sempre em conta a função de cada peça. 

Cabe ao designer de interiores:

  • Planear a disposição do mobiliário e de outras estruturas no espaço;
  • Escolher os acabamentos para as paredes e para os pisos, assim como a paleta cromática;
  • Seleccionar as carpetes, os móveis e os tratamentos para as janelas;
  • Desenhar o projecto lumínico;
  • Planear a construção de móveis à medida;
  • Determinar onde cada elemento será colocado no espaço: plantas, peças de arte, entre outros.

2.3. Decorador: a decoração relaciona-se mais com o aspecto dos espaços do que com o modo como eles funcionam. Estes profissionais são, normalmente, consultados quando o trabalho do arquitecto de interiores já está concluído, embora também haja casos em que ambos os especialistas cooperam. A actividade não requer formação obrigatória, mas há muitos cursos de Decoração – por norma, de curta duração – que dão ferramentas úteis e são uma mais-valia para os decoradores enriquecerem o currículo.

Cabe ao decorador:

  • Entender a visão criativa do cliente, definir o estilo do espaço e construir a decoração a partir daí;
  • Escolher cores, tecidos, móveis e peças de decoração;
  • Dispor todos os elementos de forma harmoniosa e cuidada;
  • Pendurar quadros e definir o layout dos ambientes;
  • Introduzir peças de design e escolher papéis de parede;
  • Estar atento às tendências;
  • Refrescar a decoração de um espaço datado.

Como se percebe, estas áreas tocam-se em alguns aspectos. De uma forma geral, os arquitectos de interiores e os designers de interiores fazem mudanças estruturais – os primeiros mais a fundo do que os últimos – e o decorador trata do estilo dos espaços. No entanto, há designers contratados para fazer projectos de decoração e decoradores com competências que lhes permitem modificar os espaços, no que toca à estrutura. As disciplinas não são estanque. 

3. Porquê contratar um arquitecto de interiores?

A contratação de um arquitecto de interiores é vantajosa a vários níveis. Entre eles, destacaríamos os que se seguem:

Poupança de dinheiro e valorização do imóvel: deve encarar a contratação de um arquitecto de interiores como um investimento. A curto prazo, gasta mais dinheiro. Porém, a médio e longo prazo, poderá usufruir de uma casa de alta qualidade, que dificilmente lhe vai causar problemas e trazer despesas. Além disso, se um dia quiser vender a sua casa, pode fazê-lo por um preço muito mais interessante, visto que estes profissionais acrescentam valor de mercado aos imóveis.

Poupança de tempo: projectar uma casa e decorá-la é um processo moroso que envolve tomar decisões, orientar equipas, lidar com imprevistos e fazer escolhas. Imagine, para além da sua vida profissional e pessoal, ainda ter que arranjar tempo para gerir tudo isto. Confie o trabalho a um arquitecto de interiores e liberte-se destas tarefas.

Optimize o seu espaço: um arquitecto de interiores, pela experiência e qualificações que possui, consegue olhar para os espaços e ver muito mais além. Deixe que este profissional explore todo o potencial da sua casa.

Melhore o seu bem-estar e saúde mental: há estudos que apontam para o impacto que os espaços têm no nosso bem-estar e saúde mental. Um espaço escuro, confuso, desordenado e inestético terá uma influência negativa em quem o utiliza, podendo criar constrangimentos a vários níveis.

Acesso a melhores profissionais e produtos: ao contratar um arquitecto de interiores está, também, a contratar todos os profissionais que são necessários à execução da obra: canalizadores, electricistas, carpinteiros, entre outros. Assim, não precisa de estar a procurar um por um. Os arquitectos já têm as suas próprias equipas em quem confiam e com as quais já estabeleceram uma dinâmica de trabalho. Além do mais, podem conseguir-lhe preços mais acessíveis junto de fornecedores de materiais, em lojas de mobiliário e não só!

5. O que considerar antes de contratar um arquitecto de interiores?

Antes de contratar um arquitecto de interiores, deve considerar o seguinte:

Analise portefólios: os clientes e os arquitectos de interiores devem estar na mesma página em termos de estilo. Analise alguns portefólios e seleccione aqueles que incluem projectos que vão ao encontro das suas ideias. Os arquitectos de interiores trabalham, claro está, em função daquilo que o cliente pretende, mas não abdicarão da sua visão criativa e dificilmente se envolverão num projecto com o qual não se identificam.

Converse com os profissionais: é recomendável encontrar-se, presencialmente, com mais do que um arquitecto de interiores. Aproveite estes encontros para tirar as suas dúvidas. Será oportuno levar consigo fotografias de espaços de que gosta para transmitir, com clareza, as ideias e as perspectivas que tem para o projecto. 

Peça orçamentos: não precisa de pedir um sem-fim de orçamentos, mas é conveniente pedir, pelo menos, três orçamentos detalhados para ter termo de comparação e alguma margem de manobra. Não opte pela proposta mais barata só por esse motivo. Veja bem o que está incluído nos preços. Pode ser preferível pagar mais, mas beneficiar de um serviço completo e abrangente.

Informe-se sobre os prazos: é importante saber quanto tempo a obra vai demorar, até mesmo para organizar a sua vida durante esse tempo. É comum surgirem alguns imprevisto, por isso seja flexível (mas vigilante). 

6. Onde posso encontrar um arquitecto de interiores?

Na homify, partilhamos uma panóplia de projectos na área da construção, da arquitectura, do design e da decoração. Todas as imagens que integram a extensa galeria do nosso site estão associadas às páginas dos profissionais por elas responsáveis. Propomo-nos, desta forma, a fazer uma ponte entre os profissionais e os leitores e, em simultâneo, a divulgar o que de melhor se faz em Portugal. Nas páginas dos profissionais inscritos na homify, encontrará todos os contactos de que precisa. Se preferir, pode clicar sobre a etiqueta ’contactar’ para falar com o especialista em questão,  sem ter que sair da nossa página.

É o Google que usamos, normalmente, para pesquisar o que quer que seja. Se inserir as palavras-chave arquitectos de interiores + nome da localidade servida, depressa lhe aparecerão vários resultados. Pode, também, usar as redes sociais para o efeito. Pesquise o nome da categoria ou faça uma publicação no seu perfil, a pedir uma recomendação aos seus contactos.

Indague, igualmente, junto dos seus amigos, familiares e colegas. É provável que já tenham recorrido a este serviço ou que conheçam alguém da área que o possa ajudar.

Pesquisar imagens relacionadas