34,111 Arquitetos

Área servida

Arquitectos

Por muito que o processo de construção de uma casa possa variar, compreende, no geral, etapas essenciais que necessitam de profissionais especializados nas mais diversas áreas. 

O arquitecto está entre esses profissionais e é o responsável pelo desenvolvimento do projecto de arquitectura. Tem, por isso mesmo, a responsabilidade de ir ao encontro do que foi idealizado e pedido pelo cliente, equilibrando as perspectivas do mesmo com o orçamento disponível. Deve, em razão disso, ser o primeiro a ser procurado, com vista a auxiliar o cliente ao longo de todo o percurso.

Durante o processo, o arquitecto é responsável pela elaboração da planta (que posteriormente deverá ser aprovada) e por todo o projecto de construção, supervisionando, juntamente com o engenheiro responsável, a obra e garantindo que esta chegará a bom porto.

1. Por que devo contratar um arquitecto?

É um arquitecto necessário para todos os projectos? Depende daquilo que pretende. Se o projecto que tenciona levar a cabo diz respeito a uma estrutura simples – como a construção de uma casa de arrumos no jardim, por exemplo – pode abrir mão do arquitecto e contratar apenas um construtor ou fazê-la você mesmo. Esta lógica poder-se-á também aplicar a projectos como pequenas reparações ou remodelações até porque, para muito arquitectos, não será interessante abraçar um projecto de tão pequena envergadura.

Fora estas excepções, recomendamos, fortemente, a contratação de um arquitecto por vários motivos, entre os quais destacaríamos os seguintes:   

São criativos: os arquitectos são profissionais que encontram soluções criativas para dar resposta aos desejos do cliente e contornar possíveis obstáculos. Um dos pontos principais da função do arquitecto passa por conciliar a beleza e a funcionalidade. Quando confrontado com desafios, o arquitecto avalia as alternativas de forma a criar uma casa ou espaço com um design atraente e que responda a todas as necessidades de quem dela vai usufruir.

São engenhosos: os arquitectos têm experiência em fintar os problemas que surgem ao longo das várias etapas de projecção e de construção, conseguindo fazer aquilo que muitas vezes pensamos ser impossível (e dentro do orçamento). Fruto do seu conhecimento e traquejo, têm a capacidade de antecipar as contrariedades, descobrir soluções e libertar-nos, assim, de preocupações.   

Sabem aproveitar o orçamento: a contratação de um arquitecto pode ajudá-lo a poupar algum dinheiro e a maximizar o seu investimento. Um projecto bem feito e uma casa bem construída aumenta o valor de mercado e pode ajudar a reduzir custos adicionais de construção e, principalmente, de manutenção. No fundo, o gasto inerente à contratação de um profissional de arquitectura deve ser visto como um investimento, com valorização e recompensa a longo-prazo e não como uma despesa.

Optimizam o tempo da obra: o arquitecto, pela sua capacidade de gestão e de coordenação do projecto, ajudá-lo-á a economizar tempo em todas as fases do processo, desde os primeiros esquissos até ao resultado. Pense em todas as complicações e preocupações que um projecto lhe pode trazer e repare quão útil será ter um arquitecto a auxiliá-lo e/ou a fazer coisas por si, desobrigando-o de tarefas chatas (procura de materiais, contratação de construtores, escolha de fornecedores, comparação de preços, entre outras coisas).

2. O que devo considerar antes de contratar um arquitecto?

Saber o papel do arquitecto no projecto: antes de avançar para a contratação de um arquitecto, deve ter presente qual é o papel dele no projecto. Considere as competências deste profissional para saber o que pode exigir dele.

Conhecer o portefólio do arquitecto: o portefólio é o cartão de visita do arquitecto e é a partir dessa selecção de trabalhos que vai poder conhecer melhor o profissional, o seu estilo, as suas valências, a sua qualidade e aquilo que o pode tornar a escolha certa.

Pedir referências: contratar um arquitecto é um investimento. No processo de escolha, leia opiniões de antigos clientes. Nas páginas de Facebook dos gabinetes de arquitectura, é possível que encontre feedback, assim como em fóruns. Não deixe, também, de pedir recomendações a amigos e família. 

Ter noção do orçamento e dos custos: uma das coisas mais importantes a ter em conta antes de avançar para a contratação de um arquitecto é o orçamento que tem disponível para o projecto. Pondere quanto quer gastar, tendo sempre em conta que existe a possibilidade real de haver derrapagens e imprevistos (por muito boas que sejam as pessoas envolvidas na obra). O arquitecto pode ajudá-lo a perceber o que é realista ou não, mediante o seu orçamento.

3. Que questões devo colocar a um arquitecto?

Antes de tomar uma decisão, sugerimos que se encontre pessoalmente com mais do que um arquitecto e que coloque algumas questões para perceber que profissional tem à frente e se há empatia entre ambos.

Há quanto tempo trabalha como arquitecto? A experiência é fundamental para qualquer profissional e, como seria de esperar, na arquitectura não é diferente. Procure saber qual o nível de experiência que o arquitecto possui e em que áreas específicas da arquitectura tem trabalhado. A resposta a esta questão vai-lhe dar uma noção do tipo de mais-valia que ele pode trazer ao seu projecto.

Como mantém o trabalho actualizado? É importante perceber como o trabalho desenvolvido pelo profissional tem evoluído com o passar dos anos. A adaptação às novas tecnologias, técnicas e materiais será sempre benéfica para um projecto. Um arquitecto que tem a preocupação de se actualizar e completar a sua formação dar-nos-á mais confiança.

Recomenda ou contrata consultores ou especialistas externos (como os escolhe e como são pagos)? Esta pode ser uma questão muito importante na hora de contratar um arquitecto. A experiência acima referida, assim como a constante actualização em relação aos novos processos, oferece aos profissionais de arquitectura um conhecimento muitas vezes vasto no que concerne a profissionais de áreas essenciais aos projectos. Assim sendo, é muito possível que o arquitecto recomende ou contrate outros profissionais para trabalhar no projecto, assumindo, assim, uma responsabilidade adicional. Desta forma, é nele que recai a tarefa de procurar por trabalhadores num mercado muito vasto e de pedir e estudar orçamentos, garantindo-lhe um serviço prestado com qualidade e uma coordenação mais eficiente entre todos os profissionais envolvidos.

4. Quanto custa contratar um arquitecto?

Não há uma resposta certa para esta questão. O preço pago por este serviço pode variar imensamente consoante o tipo de obra, o prestígio do gabinete de arquitectura, a localização, e assim por diante. 

Porém, a Ordem dos Arquitectos criou uma ferramenta importante: um simulador do custo de obra. O simulador dá-lhe um preço médio com base num universo de obras licenciadas, em construção ou concluídas nos últimos 3 anos nas áreas metropolitanas de Lisboa, Porto e Algarve. A ferramenta está em constante actualização. Pode utilizá-la aqui.

5. Que tipos de arquitectos existem?

Arquitecto paisagista: trabalha em projectos que se focam nas áreas verdes e em tudo o que interfere com a paisagem, actuando, principalmente, nos espaços ao ar livre. A ordenação do espaço exterior e a ligação entre o ser humano e o ambiente é fundamental nesta área da arquitectura, sendo necessário um conhecimento abrangente e que englobe as áreas da geologia, da biologia, da botânica, do urbanismo e da topografia.

Arquitecto de interiores: é um profissional fundamental para garantir a comodidade e a qualidade dos espaços. Este ramo da arquitectura desenvolve-se, em paralelo, com a arquitectura tradicional, sendo um complemento desta na criação de ambientes. A chave do sucesso desta área da arquitectura está no diálogo entre a funcionalidade, o conforto e a estética de cada espaço interior. Para que tudo isto seja possível, é necessário perceber o espaço, o usuário e os elementos da composição. A escolha e o planeamento do mobiliário, das peças de decoração, dos equipamentos, das cores, das texturas e da iluminação, estão ao cuidado do arquitecto de interiores.

Arquitectos de design ecológico: a informação a que temos acesso hoje em dia e a degradação do planeta, bem patente nas mudanças climáticas, que tem sido visível ao longo dos anos, tornou mais importante o papel dos arquitectos de design ecológico. O seu trabalho foca-se, fundamentalmente, no desenvolvimento de projectos de arquitectura ecológicos e energeticamente eficientes, com um mínimo impacto ambiental.

Arquitectos/designers urbanos: a arquitectura urbana (ou design urbano) é uma área que engloba todas as outras vertentes da arquitectura. Os arquitectos urbanos são responsáveis pelo trabalho de projecção e organização dos edifícios, espaços urbanos, equipamentos e redes das ruas das cidades em que vivemos. É fundamental que estes profissionais tenham a capacidade e a sensibilidade de perceber e contactar com as comunidades que vivem na cidade, estudando e percebendo as questões relacionadas com a cultura, a política e a economia da população.