Salas de jantar  por Daffonchio & Associates Architects

Mesa

Mesa

A mesa é uma das mobílias mais usadas numa habitação. Pela sua funcionalidade é um objecto fundamental para o nosso dia-a-dia, servindo-nos em diversas funções.
A mesa é uma das mobílias mais usadas numa habitação. Pela sua funcionalidade é um objecto fundamental para o nosso dia-a-dia, servindo-nos em diversas funções.

Apesar de se apresentar habitualmente na forma rectangular, a mais comum, este é um objecto que se adapta às mais diversas funções e espaços podendo, por isso mesmo, assumir diversas formas, sempre com o intuito de responder da melhor maneira às nossas necessidades.

Neste artigo, vamos conhecer um pouco mais sobre esta peça, sobre a sua história e a forma como foi evoluindo ao longo dos tempos, acompanhando a evolução da própria sociedade, dos seus hábitos e tradições. Vamos, ainda, deixar-lhe algumas dicas sobre os tipos de mesa que pode encontrar no mercado e utilizar em sua casa e falar-lhe de alguns dos grandes artistas que deixaram o seu nome bem marcado na história deste objecto e fizeram dele uma peça fundamental do design.

Este é um móvel que faz parte do nosso dia-a-dia desde há muito tempo e com o qual temos uma relação de tal forma banalizada que muitas vezes nem percebemos a dimensão da sua importância e valor.

A história da mesa

Diz-nos a história que as primeiras versões de mesas nasceram pelas mãos dos egípcios, não indo além de construções em pedra que serviam para colocar objectos, e pelas mãos dos chineses que se dedicaram a projectar objectos que tornassem mais confortáveis as tarefas da escrita e da pintura.

Mais tarde, foram os romanos e os gregos que elevaram a função do objecto utilizando-o para comer, passando a usar diferentes materiais na sua construção e elevando-o a peça de decoração – nasce aqui a aplicação do ornamento no mobiliário. É a partir desta fase que as mesas começam a ser desenvolvidas em formatos que mais facilmente reconhecemos nos nossos tempos e a ser percepcionadas como objectos ao serviço do Homem e das suas necessidades, o que explica, por exemplo, que a partir de certo momento as mesas de refeições tenham passado a ser maioritariamente circulares ou ovais, contribuindo para uma maior facilidade de comunicação entre as pessoas que se sentam para partilhar uma refeição.

A partir daqui, estava dado o início a uma história que não mais parou e foi acompanhando a evolução do Homem e das sociedades, adaptando-se às mais diversas épocas e culturas, assim como às suas necessidades.

A cada mesa a sua função

As mesas, como muitas outras peças de design de mobiliário presentes no nosso dia-a-dia, são projectadas e construídas com o objectivo de se adaptarem ao utilizador e às necessidades do mesmo. Assim sendo, dependendo do uso a que estão destinadas, surgem em diferentes materiais, estilos e formas. Hoje em dia, são-nos apresentadas inúmeras soluções, produzidas a partir dos mais diversos materiais  e técnicas  que tornam a nossa vida muito mais fácil e confortável.

Que tipos de mesa pode ter em sua casa?

A resposta a esta pergunta é fácil, até porque, na verdade, pode ter em casa todo o tipo de mesa que desejar e destiná-la ao que quiser. É óbvio que alguns tipos de mesa, como as de jantar, de centro ou de cabeceira, se destacam num espaço habitacional e tornam-se obrigatórias em qualquer casa.

Deixamos alguns exemplos de mesas que pode usar em sua casa:

Mesas de jantar: é talvez a mesa mais comum em qualquer casa. Pode estar colocada na cozinha, na sala ou em ambos os lugares e existe nos mais variados formatos e materiais, embora o mais usual seja vê-las em formato redondo ou rectangular e construídas em madeira ou vidro.

Mesas de cabeceira: servem como mesas de apoio para ter ao lado da cama. Ideais para colocar objetos decorativos como livros, relógios, candeeiros e molduras, ajudando a acrescentar valor estético ao ambiente. Este é, possivelmente, o tipo de mesa no qual é mais fácil explorar novos formatos e materiais.

Mesas de apoio: tal como nome indica, são peças que servem de apoio a uma mesa principal ou a uma bancada de cozinha. Devem ser simples, funcionais e fáceis de arrumar.

Mesas de centro: ideais para ajudar na decoração da sua sala e colocar junto dos sofás, onde poderá receber de forma mais confortável os seus convidados. Devem ser aproveitadas como parte importante da decoração por isso utilize-as também como suporte para objectos que lhe sejam queridos.

Mesas de trabalho: nos dias de hoje, são cada vez mais as pessoas que trabalham a partir de casa e, por isso mesmo, estas são mesas que ganham uma maior importância a cada dia que passa. Devem ser simples, funcionais e, acima de tudo, devem-se ajustar na perfeição a quem as usa, de forma a serem o mais confortáveis possível.

Mesas de jardim: estas mesas podem servir de apoio ao seu jardim ou piscina, podem ser para refeições e podem mesmo fazer parte de uma cozinha exterior. Na verdade, estas mesas podem desempenhar as funções que quisermos, o que devem mesmo é ser construídas num material mais resistente, duradouro é fácil de limpar, pois o local onde vão estar colocadas a isso obriga.

Mesas de bilhar: este tipo de mesa é considerado um pequeno luxo e não uma necessidade. Para quem tem espaço disponível, esta pode ser uma interessante opção que garantirá muitas horas de diversão com amigos e familiares.

Artistas que marcaram a história da mesa

Ao longo da História, alguns artistas criaram obras de tal forma impressionantes que fizeram da mesa um objecto fundamental do Design. Foi só a partir do século XX que esse importante passo se deu e muito se deveu à genialidade de homens como Frank Lloyd Wright, Mackintosh ou Le Corbusier.

O que procurar numa mesa?

Tal como referimos anteriormente, as características, o estilo, o formato e o material de cada mesa são definidos de acordo com a função a que ela se destina. Ainda assim, existem detalhes de construção e características base que se mantêm idênticas para todo e qualquer tipo de mesa. Podemos, por isso, dizer que quando procura uma mesa, seja de que tipo for, deve-se assegurar que ela possui estas características:

Durabilidade: a mesa, como qualquer outra peça decorativa que temos em casa, deve ser o mais durável possível. Essa durabilidade está relacionada com o material de que é feita e é menor quanto mais fraco for o material.

Conforto: tendo em conta que estamos perante um objecto com o qual nos vamos relacionar directamente, este deve ser o mais confortável possível, adaptando-se às características do nosso corpo e à forma como o utilizamos.

Resistência: não confunda resistência com durabilidade porque, embora possam estar ligadas, não são a mesma coisa. A resistência estará directamente relacionada com a forma como o objecto foi construído. Parafusos mal colocados, colas mal aplicadas, madeira mal pintada e mal tratada são factores que contribuem para um menor nível de resistência.

Funcionalidade: se todos os itens acima mencionados estiverem a ser respondidos de forma positiva, então significa que estamos perante uma mesa funcional.

Acabamos com uma curiosidade: sabia que as mesas de jantar só existem desde o final do século XIII e que isso faz com que exista uma grande discussão em torno do famoso quadro de Leonardo Da Vinci, A Última Ceia? A verdade é que o quadro retrata o ano 33 d.C., apresentando-nos um cenário típico da época da realização da obra (séc. XV).

Casas  por Casas inHAUS

Precisa de ajuda com um projecto em sua casa? Entre em contacto!