Argentina, minimalista e fabulosa

Rita Paião – Homify Rita Paião – Homify
Google+
Loading admin actions …

O artigo de hoje é sobre um projecto perto do Rio Limay na Patagónia, Argentina. O projecto é do estúdio DMS Arquitectura e merece sem sombra de dúvidas ser visto e revisto.

Com o máximo de aproveitamento do terreno e com vistas que procuram emergir-se na paisagem natural que a rodeia, a casa desenrola-se em duas plantas que se relacionam por meio de uma zona de altura dupla.

Nesta proposta os dois volumes sobrepostos compõem a estrutura onde o cimento é o material favorito. Plantas livres e uma conjugação de geometrias distribuem-se nas distintas áreas do projecto de forma ordenada e funcional. Resta destacar que DMS Arquitectura é um gabinete jovem na cidade de Neuquén. Ao longo da sua existência, tem vindo a desenrolar diversos projecto de vivendas, edifícios de apartamentos, oficinas comerciais, centros de saúde, hotéis, entre outros. 

Segue um projecto onde o uso do pensamento modernista é o pontapé para o desenvolvimento do espaço arquitectónico e com este projecto demonstram-no com facilidade.

Fachada posterior

A partir desta perspectiva pode-se apreciar a fachada posterior da vivenda. No piso térreo, um volume abre-se de forma generosa sobre o imenso jardim. Um espaço sublime nesse mesmo volume foi criado com intuito de se poder desfrutar do ar livre, com banhos de sol na relva e até com um banho de piscina, que no momento da foto se encontrava demasiado verde.

Se o exterior já o deixou com curiosidade, espere até ver os interiores…

Cimento à vista, o material de eleição

Entramos nos interiores e o espaço para que se abre para nos receber. Uma moderna lareira a lenha é o único objecto que encontramos no imenso espaço. O revestimento do piso é em madeira e as paredes e tectos são em cimento exposto. A ligação criada com o exterior permite uma iluminação adequada e uma ventilação natural. 

De acordo com a DMS o desenho da planta geral caracteriza-se por uma rotação do eixo longitudinal procurando assim alargar visualmente os interiores da casa até ao exterior.

Jogo de luzes

Entre as diversas paredes de cimento exposto, existe uma que realmente se destaca mais e o porquê está bem à vista. A parede que acompanha toda a escada de acesso ao piso superior liga os dois pisos com um jogo de cheios e vazios, com círculos de vidro que permitem a passagem de luz. Quando a luz natural é intensa é possível verem-se formas arredondadas reflectidas no chão.

Altura dupla

Uma ponte estende-se no piso superior e comunica duas áreas distintas. Ao centro uma zona de pé direito duplo é destacada por dois grandes candeeiros de estilo moderno. A dimensão do espaço é aqui totalmente enfatizada, tal como a percepção das diferentes zonas e materiais.

O material cimento aplicado como neste projecto leva-nos totalmente para um estilo industrial, frio, enquanto que a madeira nos dá a sensação oposto, mais conforto e um espaço mais quente.

Ortogonal vs

A laje/tecto é interrompida por uma sucessão de formas circulares que alimentam os interiores com luz natural. Essas clarabóias contrastam com a natureza ortogonal do piso, paredes e parapeitos. Inclusive, no exterior essa linguagem mantém-se e é visível na forma do relvado.

Se gostou do aspecto do cimento, agora nos exteriores, espreite este mega projecto português!

Que tal o cimento nos interiores? É fã ou ainda não o conseguimos convencer?
Casas modernas por Casas inHAUS

Precisa de ajuda com um projecto em sua casa? Entre em contacto!

Encontre inspiração para casa!