7 Sinais de que Está na Hora de Trocar de Colchão

Elisabete Figueiredo – HOMIFY Elisabete Figueiredo – HOMIFY
Harbour Inn, Guest House - Projeto SHI Studio Interior Design, ShiStudio Interior Design ShiStudio Interior Design Quartos pequenos
Loading admin actions …

Dormir é uma parte essencial da vida de todos nós. É durante este período que descansamos, repomos as energias e produzimos substâncias fundamentais ao funcionamento do corpo. Assim, uma má qualidade de sono pode realmente pôr em causa a nossa saúde!

Sem uma boa noite de sono, os nossos corpos são incapazes de reparar danos causados pela vida diária e os nossos cérebros lutam para processar emoções e armazenar memórias.

Há muitos factores que podem influenciar a qualidade do nosso sono, mas é sabido que o colchão tem um importância crucial neste processo. Por isso, é importante investir no melhor colchão possível, fazendo uma escolha orientada e bem ponderada segundo as nossas necessidades e gostos. E, depois de algum tempo, é preciso substituí-lo conforme as orientações dos especialistas.

Então, quando é que devemos efectivamente trocar o colchão? A partir de que momento devemos voltar a investir para continuar a dormir bem?

É isso que vamos descobrir no artigo homify de hoje. Acompanhe-nos em nome do seu bem-estar diário!

Nota: as imagens dos nossos profissionais usadas neste artigo são ilustrativas e inspiradoras. Já que estamos a falar de trocar o colchão pode entusiasmar-se e querer remodelar todo o quarto. Estes projectos nada têm a ver com colchões desgastados mas, ao fim de algum tempo, todos os belos colchões acabados de comprar que aqui vê vão sofrer do mesmo mal – e vão ser também substituídos.

1 – O tempo de utilização

Mesmo que o seu colchão lhe pareça estar nas melhores condições pode estar na altura de o trocar. Os especialistas apontam para um decréscimo na prestação dos vários materiais usados na construção dos colchões ao longo do tempo, que se traduz em pequenas mazelas e desconfortos que pode ainda nem notar. Assim, com uma utilização normal, o prazo aconselhado para trocar o seu colchão é de 6 a 8 anos.

2 – A sensação de que está a dormir mal

Se acorda todos os dias com uma sensação de cansaço generalizado e dores no corpo, com a plena noção de que dormiu mal, e já descartou outros problemas físicos e emocionais, a resposta pode estar no colchão.

O nosso corpo e as nossas preferências também mudam com a idade e o colchão pode não estar a desempenhar tão bem o seu papel como antes. Mesmo que não tenham passado ainda os anos referidos para uma utilização genérica, pode estar na hora de mudar o seu colchão.

3 – Há danos visíveis

Há muitos motivos para que um colchão fique com danos mais depressa do que seria de esperar: o peso das pessoas , o números de utilizadores além do descrito nas especificações do colchão (famílias que dormem com as crianças, por exemplo, podem colocar mais pressão sobre os componentes do colchão, porque há vários tipos de movimento a acontecer – mas sabemos que isso é uma coisa tão boa… ), a presença de animais de estimação que gostam de roer ou arranhar, entre muitos outros.

Assim, se o seu colchão se encontra visivelmente flácido ou danificado em certas áreas, deve investir noutro. A flacidez dos tecidos superficiais é um indicador claro de danos nas estruturas de suporte interiores, o que põe mesmo em causa o apoio que o colchão proporciona ao seu corpo enquanto dorme.

4 – Barulhos não causados pela cama

Se já se apercebeu que a sua cama faz mais barulho do que era habitual e já percebeu que não é da estrutura, pode ser do colchão.

Todos os colchões, mas em especial os de molas, começam a fazer ruídos diferentes quando estão a ficar desgastados, pelo que deve proceder à sua substituição.

5 – Dormiu melhor noutro colchão

Se tem um quarto tão agradável e acolhedor como este da TRAÇO MAGENTA – DESIGN DE INTERIORES, e mesmo assim dormiu melhor no hotel ou em casa de amigos, já sabe que o culpado provavelmente é o colchão e que terá de investir noutro.

6 – As alergias dispararam

Tem alergias ou asma, mantém uma limpeza DIY rigorosa do seu quarto e de toda a casa, e mesmo assim os seus sintomas pioraram recentemente? Já sabe quem pode apontar como culpado!

Os colchões, mesmo quando muito bem limpos e mantidos, tendem a ser acumuladores de poeiras e ácaros.

Para quem não sofre de alergias ou doenças respiratórias, essa limpeza de qualidade é suficiente para manter o colchão até ao limite da sua vida útil. Mas para uma pessoa sensível a acumulação natural de pó e ácaros, em áreas não atingidas pela limpeza, pode ser um caminho sem volta para a troca do colchão muito antes dos seis anos de utilização.

7 – Tem dificuldade em dormir, pronto!

Não sabe especificar bem o que é que o incomoda, mas tem dificuldade em adormecer e acorda durante a noite? Mesmo com os maravilhosos têxteis biológicos que comprou recentemente?

Novamente, se já fez o despiste de causas físicas e psicológicas junto de profissionais de saúde, deve experimentar trocar de colchão. O seu colchão actual pode já não corresponder às suas necessidades de suporte, manutenção da temperatura ou conforto geral, mesmo que o tenha comprado há um ou dois anos.

Quer escolher bem o colchão para si e para o seu parceiro, leia também o artigo ’Guia para Escolher o Colchão de Casal + 20 Inspirações de Sonho’.

Então, descobriu aqui que tem de trocar de colchão a curto prazo?

Precisa de ajuda com um projeto em sua casa?
Entre em contacto!

Destaques da nossa revista