José Adrião, arquitecto lisboeta

Rita Gouveia (homify) Rita Gouveia (homify)
Google+
Loading admin actions …

José Adrião é mais um dos casos de sucesso da Arquitectura portuguesa da actualidade. Licenciado em 1991 pela Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto e, mestre pela UPC/CCCB Barcelona em 2001, onde participou no programa Metropolis sob a coordenação do afamado arquitecto catalão Ignasi de Solà-Morales Rubió. Adrião foi ainda bolseiro num projecto de investigação levado a cabo em Graz, Áustria, intitulado 4th European Artists Pépinières. Em 1997 abre um atelier em parceria com o também arquitecto Pedro Pacheco, de nome JAPP, e em 2003 funda outro atelier em nome próprio.

Estabelecido em Lisboa, Adrião tem vindo a acumular cargos como o de Vogal no Conselho Directivo e co-responsável pelo Pelouro da Cultura entre 2001 e 2004, na Ordem dos Arquitectos, Secção Regional Sul; nos anos noventa foi co-responsável pela Coordenação Editorial da Revista D.A. – Documentos de Arquitectura; actualmente é co-responsável pela direcção da equipa editorial do Jornal dos Arquitectos , Revista de Arquitectura da Ordem dos Arquitectos portugueses e, é também assistente na cadeira de Projecto do 5ºano na Universidade Autónoma de Lisboa. Entre 2002 e 2004, participou ainda em diversos SIA, Seminários Internacionais de Arquitectura da Universidade Autónoma de Lisboa, como assistente de projecto. 

Do seu repertório fazem parte projectos de habitação, equipamentos, planeamento e ainda projectos efémeros, tais como os de reabilitação, protótipos, escolas, espaços públicos ou serviços. Venha connosco conhecer em pormenor um dos seus projectos para um apartamento na baixa lisboeta.

Ideia original

Situado no gaveto da Rua dos Fanqueiros com a Rua da Conceição, em plena baixa lisboeta, este projecto de reabilitação teve como objectivo, a adaptação e recuperação de um edifício pombalino para uma unidade de apartamentos em regime de aluguer de curta duração. Uma ideia eficaz e proveitosa, numa altura em que Lisboa recebe mais e mais turistas a cada ano que passa, fenómeno esse impulsionado pelo aumento de voos para a Capital (sobretudo das companhias Low Cost) e pela abertura do recente porto de cruzeiros. Lisboa é também uma cidade ainda relativamente barata para os turistas estrangeiros, sendo capaz de aliar os grandes chavões da atracção turística: boa gastronomia e a preços muito acessíveis, bom clima, proximidade com praias, ambiente cultural e histórico, amabilidade do povo português e ainda a dinâmica social da própria cidade.

Espaços

Na imagem ao lado é possível ver duas divisões do apartamento: uma sala de estar e a casa de banho. Mantendo em parte da traça original do edifício, optou-se por manter o pavimento original em madeira assim como o tecto, e renovar por inteiro a casa de banho numa linha arquitectónica mais contemporânea, utilizando linhas geométricas minimais e materiais nobres como o mármore, proporcionado assim um ambiente elegante e sofisticado. As paredes foram todas pintadas de branco, neutralizando o espaço e difundido a luz lisboeta, tão preciosa e invulgar, que entra pelas janelas.

Sala de estar

A eliminação de portas divisórias de cada espaço foi abolida permitindo um uso do espaço de uma forma fluída e dinâmica. Nesta imagem é possível ver melhor a sala de estar, e parte da cozinha. Simplicidade e bom gosto são elementos-chave deste projecto. O mobiliário destaca-se pelo seu bom gosto, que alia uma vez mais tradição com contemporaneidade: objectos vintage mesclados com modernos como se observa na escolha das poltronas, mesas de apoio e candeeiros.

Cozinha

A cozinha foi totalmente renovada e adaptada aos hábitos da sociedade actual. É assim possível usufruir de um espaço totalmente equipado com tudo o que necessita para uma breve estadia. Existe uma longa bancada em mármore desimpedida para que possa preparar as suas refeições tranquilamente, e um fogão e fornos novos em folha, prontos a utilizar. Como apoio decidiu-se colocar também uma mesa de jantar, onde pode desfrutar calmamente das suas refeições enquanto admira o espaço e a luz magnífica que entra pela janela.

Caixa de escadas

A caixa de escadas é uma espaço fabuloso e imponente em todo o esqueleto do edifício, protagonizado pela enorme clarabóia que deixa entrar grandes jarros de luz, iluminando assim grande parte do edifício. Uma vez mais optou-se pela pintura das paredes em branco para enfatizar esse aspecto. Para além disso mantiveram-se os corrimões originais, aqui também eles pintados de branco e fundidos no espaço.

Quarto

Nesta última imagem é possível observar o aspecto do último andar. Um quarto que é um grande open space, onde para além da zona de descanso é possível usufruir de outras pequenas áreas para leitura, lazer ou trabalho. O aspecto mais fabuloso desta divisória é a cobertura que foi deixada exactamente como a original, num estado entre o bruto e grotesco e, o belo e contemporâneo. A conjugação cromática também escolhida na perfeição. 

Em resumo neste projecto as principais acções determinadas inicialmente foram: a alteração da tipologia, a introdução de um elevador, a substituição de todas as infra-estruturas e a conservação de uma parte substancial dos seus elementos construtivos tais como os soalhos, os tectos em saia e camisa, as caixilharias de madeira, os azulejos do exterior e interior e as portas interiores. Os remates necessários e os “remendos” foram assumidos como tal.

O que lhe pareceu este projecto? Deixe-nos ficar a sua opinião.
Casas modernas por Casas inHAUS

Precisa de ajuda com um projecto em sua casa? Entre em contacto!

Encontre inspiração para casa!