Casas campestres por DMP arquitectura

65 m² aproveitados ao máximo

Sílvia Cardoso – homify Sílvia Cardoso – homify
Google+
Loading admin actions …

Por muito pequena que seja uma casa, uma boa mudança pode transformá-la por completa e fazer dela o lugar onde sempre quisemos viver. O gabinete DPM Arquitectura, liderado pelo arquitecto Daniel Martí, foi o responsável pelo projecto que integra este livro de ideias. Após um exaustivo trabalho de análise em todos os aspectos, a atenção ao detalhe é a melhor garantia que oferecem aos clientes.   

Hoje, mostrar-lhe-emos uma pequena casa em Onil, Alicante. Reabilitada há dez anos atrás, a sua proprietária queria maximizar as suas condições de habitabilidade e melhor a forma de desfrutar da sua moradia. A reforma anterior realizou-se, segundo os arquitectos, criteriosamente, tendo-se conseguido aproveitar de forma inteligente o pouco espaço de que dispunha e dando-se importância à zona de estar. Esta segunda remodelação procurou melhorar a funcionalidade e a qualidade dos espaços através de mudanças subtis de distribuição e da utilização de novos materiais.

Uma fachada de pedra harmoniosa

Eis o exterior da recém-renovada casa. A escada de pedra dá acesso ao primeiro piso onde se situa a moradia. Por fora, o edifício é muito apelativo: a pedra da fachada junto ao verde da vegetação colocada em canteiros, também eles de pedra, cria um jardim muito acolhedor.

A disposição da cozinha mudou por completo

Após a reforma, alterou-se a disposição original da mesa que agora divide a cozinha. Os electrodomésticos e a área de preparação de alimentos foram colocados contra a parede do fundo. A mesa transforma-se aqui numa ilha de cozinha improvisada que serve para comer e para trabalhar sobre ela. Trata-se de uma cozinha aberta para sala e, por isso, de um layout moderno e agradável.

Do outro lado

Na parte interior da cozinha, oculta na fotografia superior, encontra-se a pia. Os materiais eleitos para o novo desenho trazem uma sensação de elegância e sobriedade a toda a casa, sendo, ao mesmo tempo, modernos e luminosos. O candeeiro traz charme à decoração. É um detalhe bonito que não costumamos encontrar numa cozinha, mas que fica tão bem. Vê a estante ao fundo? Vai-nos ajudar a entender melhor a distribuição desta vivenda.

A sala de estar do espaço compartilhado

Vemos, por fim, a zona de estar. O tecto inclinado para ambos os lados acolhe a área da sala que chega até ao sofá azul. Como pode comprovar, o pavimento foi colocado sem rodapés e as madeiras foram tratadas com óleos e vernizes naturais de poro aberto, acentuando a naturalidade que se respira no espaço. O piso de toda a casa é em madeira maciça de castanheiro colada sobre o pavimento anterior. Junto ao quarto, à esquerda da estante, há uma porta que leva ao quarto.

Do outro lado da estante

Do outro lado da estante, aparece a superfície envidraçada da casa de banho. Para lhe garantir privacidade, é possível fechar um estore. Nesta zona, deixou-se o pavimento em madeira e encontramos um elegante mármore branco.

A casa de banho é moderna e foi bem aproveitada

A casa de banho divide-se em dois espaços. A zona de higiene mais íntima encontra-se ao fundo da área completamente revestida a mármore. O lavatório integra o quarto e funde-se com ele. Utilizou-se madeira tanto no pavimento, como na cuba do lavatório.

Uma cabeceira muito especial

Da casa de banho, passamos para o quarto. A única directriz que a proprietária deu aos arquitectos foi voltar a cabeceira da cama para que a sua orientação fosse norte sul e fosse ao encontro das regras do Feng Shui. Desta forma, decide-se eliminar o armário aberto existente e integrá-lo dentro de um painel de madeira que serve, ao mesmo tempo, de cabeceira.

Detalhes que fazem toda a diferença. Adorámos a forma como se distribuiu o quarto. O que achou?
Casas modernas por Casas inHAUS

Precisa de ajuda com um projecto em sua casa? Entre em contacto!

Encontre inspiração para casa!