Mudança de casa? Saiba como evitar os erros mais comuns!

Mariana Garcia – Homify Mariana Garcia – Homify
Loading admin actions …

Já sabemos que o período de mudança de uma casa para a outra pode ser uma terrível dor de cabeça - começando para os mais ansiosos logo no dia em que tomam consciência de que é preciso mudar e que se pode prolongar até depois de estarem na nova casa! É uma fase daquele ano mais complicada, onde é preciso procurar o sítio 'ideal' (ou algo que se aproxime disso), fechar contas, mudar moradas, fazer novos contratos… sem nunca esquecer da logística que é carregar e transportar tudo para a nova casa! Chamam-se amigos, fazemos sozinhos ou contratamos pessoal especializado? E os custos que todas as opções têm? E o drama que é acharmos que uma dúzia de caixas chega ’até porque temos malas de viagem onde podemos levar a roupa’ e quando se vai a ver todas essas malas só levam metade dos lençóis que temos? Há que ir comprar mais caixas, pedir emprestadas… e tudo isto a par do trabalho (porque ’nunca é preciso tirar férias para fazer mudanças, não é verdade? vão-se fazendo ou então esforçamo-nos um bocadito mais naquele último fim-de-semana!’). Gerir estes dias cheios de imprevistos e de total alteração da rotina não é para qualquer um e é importante que se tenha noção de que vai ser um período mais complicado. Para isso, é fulcral que se evitem alguns erros comuns para que as mudanças se dêem da melhor forma e com o menor número de problemas possível. Para isso, seleccionámos para si uma pequena lista que com certeza o irá ajudar! Se está prestes a mudar-se ou está a pensar nisso, leia as nossas dicas e fique mais orientado!

1. Não preparar caixas suficientes

Casa  por Pamela Kilcoyne - Homify
Pamela Kilcoyne – Homify

Using Box At Work when moving to Berlin

Pamela Kilcoyne - Homify

Este é daqueles erros clássicos, pois nunca temos bem noção do que guardámos ao longo do tempo lá em casa. Portanto, deve fazer os seguintes cálculos: se acha que precisa de 20 caixas, compre no mínimo mais 5. E nunca ache que vai precisar de menos de 10. A probabilidade de usar todas é enorme, acredite. Além disso, mesmo que haja coisas que não tenham necessariamente de ir encaixotadas, irem acondicionadas desta forma vai facilitar-lhe e muito a vida na nova casa, pois vai conseguir arrumar provisoriamente a confusão, colocando as caixas numa divisão empilhadas. Estando bem identificadas por fora, vai encontrar com maior rapidez o que procura, sendo mais fácil arrumar tudo na nova morada. Não subestime o poder de uma caixa na hora de fazer mudanças!

2. Não ter tempo suficiente

Em época de mudanças, essa deve ser a sua prioridade. Isto é, a par dos seus filhos, dos seus animais de estimação e do seu trabalho (no caso de não tirar férias e de precisar de fazer as mudanças durante a semana), há que estabelecer horários para que todas estas esferas da sua vida neste momento sejam satisfeitas. Se tiver oportunidade, pode deixar os seus filhos com os avós ou com os tios, de maneira a poder ter mais tempo para arrumar e não correr o risco de alterar demasiado a rotina dos mais pequenos (o mesmo se aplica aos seus animais de estimação, nomeadamente a cães). Comece a empacotar com tempo de antecedência, para não deixar tudo para os últimos dias! Acredite: vai ser descobrir uma nova gaveta, uma nova porta que lhe vai levar a imensas coisas que por lá estavam esquecidas… e se resolver fazer tudo sem a ajuda de um profissional, pode entrar em stresse e achar que não dá conta do recado. Se tiver uma boa relação com o seu patrão, fale com ele e diga-lhe que vai estar em mudanças nessa semana ou nos próximos dias. Com certeza que ele será compreensivo se houver um dia ou outro em que esteja mais cansado e não esteja a dar uma para a caixa… e, com jeitinho, ainda lhe dá uma tarde para ir tratar dos novos contratos!

3. Não vender ou dar coisas que já não utiliza

Carpet Sense - Naturally at home: Casa  por Carpet Sense, Lda
Carpet Sense, Lda

Carpet Sense – Naturally at home

Carpet Sense, Lda

Antes de começar a encaixotar tudo, faça uma triagem do que vale a pena ser levado para a nova casa e do que não vale a pena. Há certas coisas que por muito valor sentimental que tenham, só vão atrapalhar nesta nova fase da sua vida. Pode começar por um critério simples: o que não usou uma única vez no último ano e que teima em continuar guardado à espera de dias melhores? Essas são as coisas para despachar. Pode vendê-las, dá-las a alguém necessitado ou doá-las a alguma instituição. Caso não estejam em condições para serem utilizadas, deite-as fora.

4. Não preparar uma mala de sobrevivência

Croké bag: Vestiário  por HR Design Studio

Conseguimos finalmente arrumar tudo… mas eis que nos lembramos: como vou fazer amanhã de manhã para ir trabalhar? Pois, cometeu o nosso 4º erro mais comum: não se lembrar de fazer uma mala como se fosse de fim-de-semana ou de férias! E é só mesmo isso: pense que vai passar uns dias fora para um sítio com o clima da nova morada e faça uma mala com o essencial (mudas de roupa, calçado, pijama, produtos de higiene e medicamentos que costume tomar). Se considerar necessário, adicione lençóis e toalhas para a casa de banho.

5. Não separar artigos

Casa de Banho: Casa de banho  por Escolha Viva, Lda
Escolha Viva, Lda

Casa de Banho

Escolha Viva, Lda

Quando está a empacotar, faça-o por divisões: caixas para a casa de banho, para a sala, para o quarto… e por aí fora. Mesmo que alguma caixa fique mais vazia, não misture artigos de outras divisões, pois a arrumação na nova casa vai ser dificultada por isso. Não irá encontrar tão facilmente as coisas, mesmo que ache que se vai lembrar exactamente do sítio onde as guardou. Além disso, não convém ter caixas muito pesadas, para que não sejam impossíveis de transportar.

6. Fazer tudo sozinho

Casa Caseiros: Casas campestres por SAMF Arquitectos
SAMF Arquitectos

Casa Caseiros

SAMF Arquitectos

Não! E por muitos motivos: primeiro, tem mesmo noção da quantidade de peso que vai ter que aguentar sozinho? Além disso, como irá transportar o frigorífico ou a máquina de lavar roupa sozinho? Esqueça isso. As suas costas vão agradecer! A melhor opção é contratar uma empresa de mudanças, de preferência que empacote tudo e só tenha que pagar no final, mas também há a opção de ser o leitor a empacotar e a empresa a transportar tudo ou então transportarem só o mais pesado e o que é mais difícil de transportar no seu carro (alguma mobília e electrodomésticos grandes). Os preços andam super acessíveis, por isso pondere gastar €100 nisso, poupando luxações ou lesões graves no seu corpo e no recheio da sua casa. No caso de não querer ou não poder investir esse dinheiro, fale com amigos e combinem entre vocês um fim-de-semana em que façam isso. Só não se esqueça depois de retribuir com umas cervejas ou com um jantar quando a casa estiver arrumada!

7. Não limpar a casa vazia

E isto serve para as duas casas: a que deixou e aquela para onde se vai mudar. Aproveite que estão vazias (uma antes e outra depois da mudança) e limpe o chão, pelo menos. Com tudo vazio, é muito mais fácil e será bem mais simpático começar a nova fase, quer para si, quer para quem for habitar a casa anterior!

Agora é só respirar fundo e... boa sorte!
Casas modernas por Casas inHAUS

Precisa de ajuda com um projecto em sua casa? Entre em contacto!

Encontre inspiração para casa!