A incrível transformação de um apartamento antigo

Sílvia Cardoso – homify Sílvia Cardoso – homify
Google+
Loading admin actions …

No dia em que começamos a habitar uma casa, começamos a escrever uma história para ela. Se a tela ainda estive em branco, tanto melhor. Mas, nem sempre isso acontece. Quando entramos num espaço já habitado, é normal que não nos identifiquemos com o ambiente e as opções decorativas. Nesse caso, torna-se ainda mais importante pormos mãos à obra para personalizarmos o local onde vamos viver.

Assim é o projecto de hoje. Saltou-se uma geração e a neta da proprietária herdou o apartamento da avó. O interior, apesar de não se encontrar em mau estado, estava obsoleto, esteticamente pouco acolhedor e, não menos importante, pouco funcional. Urgia uma intervenção para se recuperar a sua vitalidade e se adaptar o espaço ao estilo de vida contemporâneo. Para além disso, era necessário resolver pequenos defeitos como a falta de iluminação.

A arquitecta Teresa Pinto Ribeiro abraçou o desafio e elaborou um projecto de restauro e decoração de interiores que lhe vamos mostrar neste livro de ideias. Curioso? Apostamos que sim!

Antes: um lugar escuro

Para além do estilo antiquado, aquilo que mais se destaca antes da reforma, é a falta de luz natural e artificial. Surgia assim uma das principais prioriedades para este projecto: aproveitar a luz natural e acrescentar luz artificial, potenciando ambas até ao limite. De resto, os móveis são  escuros, os têxteis pesados e o chão alcatifado pouco apelativo. Há uma miríade de objectos aleatórios e de pequenas informações que criam ruído. Procurou-se um desenho cromático mais de acordo com a sua geometria. O resultado está na seguinte imagem.

O resultado

Após a reforma, o espaço converteu-se em pleno. Mudou-se a materialidade, as cores, a configuração e, finalmente, ganhou-se luz e aconchego. Entre outras mudanças, constatamos que o antigo solo foi substituído por um piso moderno em madeira. Adeus, alcatifa! O tecto foi também transformado. Incorporou-se um tecto falso no qual se incluiu um novo sistema de iluminação artificial perimetral e diferentes lâmpadas halogéneas embutidas. As grandes janelas já não estão resguardadas pelas cortinas da avó. Literalmente. A luz entra agora sem qualquer constrangimento.

De outra perspectiva

Nesta fotografia, conseguimos ver a sala de outra perspectiva. O espaço tem um desnível e tectos baixos o que, aliado aos móveis escuros e à pintura branca com marcas do tempo, o tornava claustrofóbico e escuro. A comodidade e a fluidez não eram qualidades que encontrássemos nesta casa. Como contornar esta situação? Vamos ver.

Móveis à medida

Assim ficou após a intervenção. Devido à estrutura inusitada do apartamento, os móveis foram feitos à medida. Se tiver essa possibilidade, é uma boa opção para contornar possíveis limitações provocadas pelos detalhes arquitectónicos do espaço. O tijolo que serve de base e emoldura a lareira foi mantido, mas está agora limpo e clareado. O móvel compartimentado onde aparece a televisão embutida desenha-se sobre um pano de fundo pintado num moderno tom verde acinzentado.

Uma distribuição diferente

Não raras são as vezes em que recorremos a estruturas pesadas para separar ambientes. Hoje em dia, das duas, uma: os espaços são totalmente abertos e comunicam entre eles ou aparecem subtilmente divididos, como é o caso do que vemos na imagem. Nesta casa, utilizou-se bambu para demarcar a zona da entrada. Desta forma, a luz flui e as áreas parecem maiores, contrariamente ao que acontece quando se erguem paredes. Para além disso, esta é uma opção esteticamente agradável e original que aporta um elemento natural e rústico para um conjunto que se define pela modernidade.

Cozinha

A dimensão da cozinha requeria a utilização de recursos estilísticos que lhe oferecessem amplitude. Para tal, introduziram-se armários brancos com superfícies lisas que reflectem a luz. A nota de cor passa pelo verde das paredes que rompem a homogeneidade. O pavimento em madeira que vimos nas outras divisões prolongou-se até à cozinha.

Casa de banho

O verde foi também a cor de eleição para a casa de banho. Podemos, assim, dizer que há uma coerência estética entre os espaços. O tom de verde da pastilha é moderno e refrescante, ideal para a divisão em causa.

Planta de intervenção

Terminamos o nosso livro de ideias com a planta do apartamento. Desta forma, conseguirá compreender melhor a disposição de cada espaço e as soluções encontradas pela arquitecta para obter um apartamento com coesão e funcionalidade. Analise-o com atenção e inspire-se para os seus projectos.

Que grande transformação. Não concorda? Gosta dos nossos artigos "antes e depois"?
Casas modernas por Casas inHAUS

Precisa de ajuda com um projecto em sua casa? Entre em contacto!

Encontre inspiração para casa!