Casa em Braga: Cozinhas modernas por CASA MARQUES INTERIORES

Cozinhas com exaustor: como escolher, instalar e manter este aparelho!

Sílvia Cardoso – homify Sílvia Cardoso – homify
Google+
Loading admin actions …

O exaustor é uma peça importante na cozinha. Embora o associemos à remoção do fumo, o aparelho também opera no sentido de eliminar maus odores e na diminuição de humidade e da gordura dos alimentos. Quando está a cozinhar, todos os fumos e vapores estão a “pousar” sobre as superfícies e a deixá-las sujas e engorduradas. Um exaustor evita que isto aconteça, para além de tornar mais agradável a actividade de cozinhar propriamente dita.

Os exaustores podem incorporar dois tipos de sistemas de aspiração: o de evacuação e o de recirculação. O sistema de evacuação transporta o ar da cozinha para o exterior, mas não sem que este passe por um filtro que o purifica. O segundo sistema, de recirculação, devolve, como o próprio nome indica, o ar limpo à cozinha sem o expelir para o exterior.

Uma das características mais importantes do exaustor é a sua potência. A potência mede-se através dos metros cúbicos de ar que o exaustor pode limpar numa hora. Perguntar-se-á: como sei que potência escolher? A potência deve ser determinada em função do tamanho da cozinha, devendo o exaustor absorver o ar de entre seis a oito vezes o volume de uma cozinha.

Saiba mais na continuação do artigo.

​1. O que considerar antes de comprar um exaustor?

Para além da potência, há mais características a considerar antes de escolher um exaustor para a sua cozinha. São elas: 

  1. Ruído: de facto, o exaustor pode ser exaustivo pelo ruído que produz enquanto estamos a cozinhar. Quantos mais decibéis um aparelho tiver, mais ruído vai fazer. Contudo, o ruído nos exaustor é, na maior parte das vezes, ajustável e já há até exaustores mais modernos e silenciosos. Para além disso, em alguns casos, é possível montar o motor no exterior e não na cozinha. Um nível inferior a 60 decibéis é ideal para a cozinha.
  2. Gasto de energia: num mundo com graves problemas ambientais, é nosso dever avaliarmos o gasto de energia de cada um dos aparelhos que temos em casa. Graças à etiqueta de energia com uma linguagem por pictogramas que é, por isso, comum a todos os países da União Europeia, podemos escolher um exaustor que pertença a uma classe eficiente, assinalada a verde. Se tiver dúvidas, peça esclarecimentos na loja onde vai adquirir o produto.
  3. Filtros e limpeza: os exaustores têm filtros de gordura que refreiam as partículas gordurosas presentes no ar. Há tipos de filtros diferentes. Alguns são descartáveis, ou seja, substituíveis e outros reutilizáveis após uma lavagem. Quando o exaustor começa a fazer mais barulho do que o normal, é sinal de que deve substituir o filtro. Contudo, os exaustores mais modernos já possuem um indicador relativo à sujidade dos filtros. Há filtros metálicos permanentes que podem ser lavados à mão ou colocados na máquina de lavar louça entre 60º a 70º.

​2. Tipos de exaustores

Antes de ir escolher o seu exaustor, considere os tipos existentes:

  1. Exaustor de ilha: os exaustores de ilha são montados no tecto e desembocam sobre a ilha de cozinha. Estes exaustores possuem uma chaminé telescópica adaptável a diferentes alturas.
  2. Exaustor de parede: são exaustores instalados na diagonal ou na vertical. Colocam-se na parede quando a placa está encostada à mesma.
  3. Exaustores retráctil horizontal ou vertical: como o próprio nome indica, este exaustor surge embutido, recolhendo-se totalmente e “desaparecendo” da cozinha após cada utilização.
  4. Exaustores sem tubagens: aqui a diferença prende-se ao tipo de instalação do exaustor. Neste caso, a instalação leva os fumos para longe do fogão, mas devolve o ar limpo à cozinha. Os filtros são capazes de filtrar o óleo e outras partículas, assim como dióxido de carbono, soltando ar renovado.

​3. Instalação: distâncias adequadas

A altura a que o exaustor é instalado é determinada, antes de mais, pelo design do mesmo. A distância entre ele e a placa de cozinhar varia, normalmente, entre os 40 centímetros e os 75 centímetros. Para fogões a gás, a distância poderá ter que ser maior. Contudo, deve sempre ver as instruções para cada caso.

O espaço existente entre o exaustor e o fogão deve ser suficiente para que se tenha uma vista desimpedida para o fogão. Se isto não acontecer respeitando os valores que lhe fornecemos, então o exaustor deve ser colocado mais acima. Contudo, não deve exceder a recomendação do fabricante, sob pena de o seu exaustor perder a eficácia.

​4. Alguma tecnologia inerente aos exaustores

Há cada vez mais inovações tecnológicas no que diz respeito aos exaustores. Eis alguns exemplos:

  1. Exaustor de ilha: os exaustores de ilha são montados no tecto e desembocam sobre a ilha de cozinha. Estes exaustores possuem uma chaminé telescópica adaptável a diferentes alturas.
  2. Exaustor de parede: são exaustores instalados na diagonal ou na vertical. Colocam-se na parede quando a placa está encostada à mesma.
  3. Exaustores retráctil horizontal ou vertical: como o próprio nome indica, este exaustor surge embutido, recolhendo-se totalmente e “desaparecendo” da cozinha após cada utilização.
  4. Exaustores sem tubagens: aqui a diferença prende-se ao tipo de instalação do exaustor. Neste caso, a instalação leva os fumos para longe do fogão, mas devolve o ar limpo à cozinha. Os filtros são capazes de filtrar o óleo e outras partículas, assim como dióxido de carbono, soltando ar renovado.

​5. Vantagens em ter um exaustor

  1. Actualmente, os exaustores são já concebidos com desenhos modernos que valorizam o ambiente. Assim, podemos argumentar que lhe está intrínseca uma vertente estética interessante que se junta à funcionalidade;
  2. O exaustor remove gorduras e cheiros do ambiente o que preserva a estrutura da sua casa e garante o seu bem-estar e conforto;
  3. Há vários tipos de exaustores que se adaptam a diferentes estilos de cozinhas com dimensões distintas. Não há desculpa porque, no mercado, a oferta é vasta.

​6. Desvantagens em ter um exaustor

  1. Há poucas desvantagens. Diríamos apenas que deve preparar o seu orçamento pois os exaustores costumam ser caros. Se o seu orçamento for muito limitado pode optar por um depurador em vez de um exaustor.
  2. O exaustor também significa maiores gastos energéticos pelo que deve ter em atenção a eficiência do aparelho no momento da compra.
  3. Terá que gastar algum tempo na manutenção. Se não renovar ou limpar os filtros, o exaustor deixa de produzir efeito.

Ainda assim, cremos que as vantagens são largamente compensadoras pelo que não deve hesitar em equipar a sua cozinha com um exaustor.

​7. Cuidados a ter

Após a instalação do exaustor, tenha em mente os seguintes cuidados:

  1. Confirme a certificação do seu exaustor todos os anos;
  2. Verifique se o ar está a fluir de forma apropriada;
  3. Mantenha os deflectores desobstruídos e intactos;
  4. Mantenha o exaustor desocupado. Não o use para arrumação. É absolutamente necessário que esteja desimpedido para o ar circular com normalidade;
  5. Evite correntes de ar junto aos exaustores. As correntes de ar puxam o ar contaminado do exaustor e devolvem-no à zona de respiração.

8. Que profissionais lhe podem ser úteis?

Para projectar a sua cozinha, não deixe de contar com a ajuda de um designer de cozinhas. Este profissional sabê-lo-á acompanhar e aconselhar ao longo de todas as fases do processo e escolher, tendo em conta o seu gosto, necessidades e orçamento, os melhores materiais e equipamentos. Abra a nossa lista e afunile a sua pesquisa através da adição do código postal ou nome da área servida. 


Recomendado:
- Como projectar uma cozinha pequena em 8 passos

Estas sugestões foram-lhe úteis? Gostou dos exaustores destas cozinhas? Deixe-nos a sua opinião!
Habitações  por Casas inHAUS

Precisa de ajuda com um projecto em sua casa? Entre em contacto!

Peça a sua consulta grátis

Encontre inspiração para casa!