Plantas trepadeiras: o que são e como utilizá-las | homify | homify
Error: Cannot find module './CookieBanner' at eval (webpack:///./app/assets/javascripts/webpack/react-components_lazy_^\.\/.*$_namespace_object?:3566:12) at at process._tickCallback (internal/process/next_tick.js:189:7) at Function.Module.runMain (module.js:696:11) at startup (bootstrap_node.js:204:16) at bootstrap_node.js:625:3

Plantas trepadeiras: o que são e como utilizá-las

Patricia Smaniotto – homify Patricia Smaniotto – homify
Jardins campestres por Fabio Camargo Paisagismo Campestre
Loading admin actions …

As plantas trepadeiras podem transformar um jardim em um verdadeiro paraíso de cores e flores. Com a ajuda de um bom profissional paisagista, essas plantas vão preencher áreas verdes e cobrir estruturas de apoio como treliças, arcos e pérgolas, tornando o jardim vistoso e atraente. Neste livro de ideias, você vai conhecer os nomes e as características principais das trepadeiras e falsas trepadeiras mais utilizadas no paisagismo, tanto aquelas mais indicadas para revestir muros externos quanto aquelas que dão destaque às flores e seus buquês nos variados suportes. Confira!  

“Trepadeiras verdadeiras” e “trepadeiras falsas”

Em um projeto de paisagismo, as plantas trepadeiras encontram um lugar de honra graças à sua beleza e atemporalidade. Elas são extremamente versáteis nos suportes, podendo cobrir tanto muros e paredes, quanto pérgolas, arcos nos mais variados materiais, treliças, portões, cercas e até troncos de árvores. E também são muito ricas em variedades de flores e cores para ornamentação do jardim. Para complementar, elas têm baixo custo, não demandam manutenção exaustiva e se prestam a composições em pequenas e grandes áreas verdes.

“Trepadeiras verdadeiras” e “trepadeiras falsas”

Uma forma de classificá-las é pensá-las como “trepadeiras verdadeiras” ou “trepadeiras falsas”. As primeiras são plantas que, por precisarem trepar para alcançar a luz do sol, desenvolvem formas de se agarrar a outras plantas e estruturas de apoio. Entre essas formas estão:

  • Raízes adventícias aéreas – Emitidas ao longo dos caules, elas são capazes de se fixarem às estruturas de apoio e de absorver água e alimento de qualquer superfície. Um exemplo é a hera, perfeita para muros. 
  • Gavinhas – Ao prolongarem os caules flexíveis que se enrolam em qualquer lugar, elas garantem a estabilidade da planta. É o caso do maracujá, do kiwi, da glicínia e da madressilva. 
  • Pequenas ventosas – Um sistema de pequenas ventosas que se colam à parede é desenvolvido nos caules da planta.
  • Espinhos ou acúleos – Os caules apresentam prolongamentos pontiagudos que fixam a planta à estrutura de apoio, além de protegê-la. A roseira é um exemplo disso.

As trepadeiras “falsas” são arbustos com caules lenhosos e compridos que crescem melhor quando apoiados e, por isso, precisam ser conduzidos como trepadeiras. A alamanda amarela e a tumbergia azul são espécies desse tipo.

Trepadeiras e arbustos escandentes

Outra classificação das plantas trepadeiras as divide em trepadeiras sarmentosas, volúveis, do tipo cipó e arbustos escandentes.  

1. Trepadeiras sarmentosas – São aquelas com se fixam em suportes ou estruturas de apoio por meio de gavinhas, raízes adventícias, ventosas ou espinhos. São exemplos delas:

  • Cipó de São João – Trepadeira perene e densa que pode atingir mais de seis metros de altura e apresenta flores tubulares alaranjadas que aparecem no inverno.
  • Amor Agarradinho – Trepadeira de crescimento rápido que chega a cinco metros de altura e apresenta flores duráveis rosa ou brancas entre a primavera e o verão. 
  • Unha de gato – Trepadeira perene de folhas pequenas indicada para revestir muros.
  • Hera – Trepadeira perene também indicada para revestir muros, podendo fechar a superfície completamente.

2. Trepadeiras volúveis – Plantas que se enrolam subindo em espiral quando os seus ramos tocam em um obstáculo, especialmente os mais estreitos como fios de arames e tubos de plástico ou metal. Uma característica deste tipo de trepadeira é que, quando ela não tem mais para onde subir, seus ramos ficam pendentes.

  • Madressilva- Trepadeira com folhagem densa que pode chegar a nove metros de altura e apresenta flores brancas e amarelas entre a primavera e o verão.
  • Ipomeia Rubra – Trepadeira com flores grandes e brilhantes em forma de funil e na cor vermelha que aparecem na primavera. Também pode ser uma planta pendente, formando cachos na vertical.
  • Lágrima de Cristo – Trepadeira perene de até três metros de altura que dá flores brancas em forma de cálice o ano todo.
  • Suzana de Olhos Negros – Trepadeira de crescimento rápido com flores amarelas de centro escuro que surgem entre o final do verão e o início do outono.
  • Sapatinho de Judia – Trepadeira de até 20 metros de comprimento com muitas flores amarelas e marrom-avermelhadas que aparecem na primavera e no verão.
  • Tumbergia azul – Trepadeira perene e vigorosa com flores azuis de centro claro que surgem quase o ano todo.
  • Trepadeira Jade – Trepadeira perene que pode chegar a 20 metros de comprimento e que apresenta flores azul-esverdeadas em cachos pendentes que aparecem na primavera e no verão.
  • Trepadeira Jade Vermelha – Trepadeira de crescimento rápido com flores pendentes vermelho brilhante que surgem na primavera.
  • Jasmim de Madagascar – Trepadeira perene que atinge cinco metros de altura com perfumadas flores tubulares brancas que aparecem entre a primavera e o verão.
  • Dipladenia – Trepadeira perene que pode chegar a três metros de altura com flores em forma de trombeta que aparecem na primavera e no verão.
  • Glicínia – Trepadeira perene com muitas flores pequenas nas cores branca, lilás e rosa que aparecem na primavera.

3. Trepadeiras do Tipo Cipó – São plantas com caules rijos e longos que precisam ser direcionados para subir nas estruturas de apoio e que, depois de subirem bastante, arqueiam sob o peso das próprias folhas e flores.

  • Sete Léguas – Trepadeira de crescimento rápido com flores rosadas e estrias avermelhadas que surgem o ano todo, em especial na primavera e no verão.
  • Jasmim dos Poetas – Trepadeira de crescimento rápido com flores perfumadas nas cores rosa e branca que aparecem entre o outono e o inverno.
  • Congeia – Trepadeira lenhosa com pequenas flores brancas que aparecem no final do inverno e que mudam de cor para o rosa, o roxo e o cinza. 
  • Flor de Cera – Trepadeira que pode chegar a cinco metros de altura com flores pendentes e perfumadas que surgem entre a primavera e o verão.

4. Arbustos escandentes - São plantas de caule lenhoso com ramificações desde a base dele e que podem ser conduzidas como trepadeiras por meio de contenções e podas. Utiliza-se também estruturas de apoio como treliças, pilares e colunas.

  • Bela Emília – Arbusto escandente perene com flores brancas ou azuis em forma de buquê que surgem quase o ano todo. 
  • Rosa Trepadeira – Arbusto escandente perene com flores de várias cores que aparecem na primavera e no verão.
  • Alamanda – Arbusto escandente com flores amarelas em forma de funil que aparecem quase o ano todo.
  • Primavera ou Buganvília – Arbusto escandente de médio a grande porte com flores vistosas que surgem quase o ano todo.

As favoritas

Algumas trepadeiras, além de se prestarem melhor a determinados suportes, são as favoritas de muitos projetos de paisagismo.

A Alamanda Amarela, por exemplo, é uma espécie de planta que se adapta facilmente a pérgolas e arcos, em especial os de ferro batido. Esta trepadeira tem folhas verdes e flores amarelas que aparecem da primavera ao outono. Ela é indicada para regiões de clima ameno ou quente e é pouco resistente a baixas temperaturas.

A Primavera ou Buganvília também fica maravilhosa em pérgolas e arcos mais fechados. Também conhecida como Três Marias, este arbusto trepador com caules espinhentos tem folhas verdes e lisas e cachos com flores delicadas em diferentes cores, como branca, rosa claro, coral, carmim, púrpura, alaranjado e amarelo ouro. Como o nome já diz, a floração ocorre na primavera e, esporadicamente, em outras épocas do ano.   

O Sapatinho de Judia também é bastante utilizado na cobertura de pérgolas, pois se destaca pela folhagem ornamental verde escura em contraste com os cachos de flores amarelas com nuances marrom-avermelhados, que aparecem entre a primavera e o final do verão. A espécie se adapta bem a diferentes climas, mas é pouco resistente a baixas temperaturas.

Algumas espécies de trepadeiras, em um projeto de paisagismo, também são mais indicadas do que outras para revestir muros e paredes, de modo a se obter uma cobertura homogênea ao longo do desenvolvimento da planta. A espécie Unha de Gato ou Fícus, por exemplo, tem crescimento rápido e se desenvolve melhor em superfícies planas, que dão suporte à sua formação e ramificação.

Já a Falsa Vinha, cujas folhas lembram as da uva, é excelente para cobrir muros e cercados. Ela tem crescimento rápido e se adapta bem a regiões frias. Suas folhas verdes e brilhantes mudam para uma coloração avermelhada durante o outono.

E quem prefere uma opção com flores pode escolher a Trombeta Chinesa, que tem folhas verde-escuro e flores vermelho-alaranjadas que aparecem entre o verão e o outono. Ela é indicada para regiões com clima ameno a frio.

Casas modernas por Casas inHAUS Moderno

Precisa de ajuda com um projecto em sua casa?
Entre em contacto!

Encontre inspiração para casa!