M I R E M: Espaços de trabalho  por Maia e Moura Arquitectura

Descubra que tipos de vidro pode ter em sua casa

Elisabete Figueiredo – HOMIFY Elisabete Figueiredo – HOMIFY
Loading admin actions …

A construção ou a remodelação de uma casa é um processo repleto de termos complicados e escolhas difíceis. Desde o estilo e tamanho da casa em si, até ao detalhes dos materiais de acabamento, há todo um mundo para decidir.

As aberturas, sejam elas para o exterior ou de divisão para divisão, são apenas um desses elementos, mas revestem-se de importância capital pois definem, não só o layout das divisões, mas toda a sua habitabilidade, sendo as responsáveis pela entrada de luz natural e ventilação. E, claro, quando falamos de aberturas falamos nas maneiras de as fechar!

O vidro é a escolha quase universal para as janelas, mas já muitas vezes mostrámos como pode ser vital também em portas. Como interface entre o interior e o exterior, ou como divisão entre compartimentos, a utilização do vidro garante a total penetração da luz solar e uma grande proximidade entre os ambiente sem pôr em causa o isolamento necessário. 

Mas escolher o vidro certo pode não ser assim tão simples… Há várias opções, com características, preços e aplicações diferentes, e é importante conhecê-las para fazer a escolha mais segura.

Para o ajudar a homify põe à sua disposição este pequeno artigo onde pode encontrar muita informação útil sobre os tipos de vidro que pode incluir na sua casa. Se procura informação não pode perder!

O que é o vidro?

A transparência faz parte da sua própria essência do vidro, mas como é possível criar um material assim tão translúcido e simultaneamente tão resistente? É importante compreender como é feito o vidro simples, uma vez que é aí que começam todos os outros usados na construção de casas!

O vidro simples, ou float, é produzido a partir de areia (70%), sódio (14%), cálcio (14%) e outros componentes químicos, como o óxido de alumínio, usados sobretudo para dar cor (2%). Os componentes são misturados homogeneamente e aquecidos a uma temperatura de cerca de 1500 ºC, altura em que se fundem e liquidificam numa pasta moldável. Essa pasta é colocada nos moldes e deixada a arrefecer muito lentamente. Quando arrefece totalmente temos o vidro como o conhecemos.

O vidro, apesar de parecer um sólido, é na realidade um sólido amorfo, que une características e um sólido e de um líquido, sabendo-se que as suas moléculas de movem muito lentamente ao longo do tempo.

Este procedimento é muito antigo, pensando-se que foi descoberto pelos Fenícios ao acender fogueiras nas praias onde aportavam, e tem sido utilizado há milhares de anos.

Esta é a base de todo o vidro, mas encontramos no mercado muitas variedades. 

O vidro tem tantas potencialidades decorativas como funcionais, e os ladrilhos são um bom exemplo disso.

Neste artigo falamos de tipos vidros para janelas e de tipos de vidros para fachadas. Vamos conhecê-los? 

O simples float

A Casa do Ricardo: Salas de estar escandinavas por Homestories
Homestories

A Casa do Ricardo

Homestories

As janelas não precisam de se debruçar para o exterior. Podemos simplesmente abrir janelas no interior para deixar passar a luz natura entre divisões e isso é uma solução perfeita para casas com pouca luz natural, uma ideia de design intemporal.

O vidro simples é muito utilizado em janelas e portas interiores, e em paredes de vidro, onde a transparência é fundamental, podendo-se dispensar o custo que os vidros mais resistentes ou mais específicos representam.

O vidro float, como já referimos é o vidro mais simples, a partir do qual todos os outros são feitos. Não tem qualquer tratamento especifico para além do corte para se adaptar ao modelo de janelas onde será incorporado. Quando parte forma fragmentos grandes, irregulares e cortantes, pelo que não é adequado para áreas muito movimentadas, onde haja risco de embates. É muito adequado para janelas de interior.

O vidro duplo

Casa dosTerraços: Janelas   por dacruzphoto
dacruzphoto

Casa dosTerraços

dacruzphoto

O vidro duplo é muito conhecido nas casas mais recentes ou renovadas. É muito resistente e oferece boas condições de isolamento térmico e acústico ao interior, sendo muito utilizado em janelas exteriores, porções de fachada em vidro e fechamento de varandas.

É construído com duas ou placas de vidro float paralelas, separadas por câmaras de ar estanque, em alumínio ou PVC, cheias de gás desidratado (argon ou cripton), e isoladas com silicone. 

O gás é o principal responsável pelas características isolantes térmicas pois é um mau condutor de calor, podendo aumentar a eficiência do isolamento em quase 20%. Por ser inerte,o gás não é reactivo com outras substância, tornando-se perfeitamente seguro, mesmo na quebra.

Vidro temperado

O vidro temperado é conhecido pela sua resistência, sendo muito indicado para a fachada ou para áreas onde a segurança na quebra é fundamental, muito frequentadas e com grandes probabilidades de impactos fortes. É muito utilizado em fachadas e exteriores, como portas, guardas ou coberturas de varandas.

É produzido através de um tratamento térmico específico, também chamado de têmpera. Este tratamento acontece depois de o vidro ser cortado à medida, altura em que é submetido a uma temperatura de cerca de 600ºC, seguida de um arrefecimento rápido que baixa a temperatura do exterior, enquanto o interior permanece quente por muito mais tempo. Este método produz um vidro mais resistente à quebra, e quando esta se dá o material fragmenta-se ao invés de estilhaçar e grandes lâminas, como o vidro comum.

Vidro termo-endurecido

Fotografia de arquitetura - Moradia Unifamiliar: Habitações  por ARKHY PHOTO
ARKHY PHOTO

Fotografia de arquitetura – Moradia Unifamiliar

ARKHY PHOTO

O vidro termo-endurecido é fabricado com um método parecido ao do vidro temperado, e tem características funcionais parecidas, mas neste caso o tratamento térmico é menos severo, sendo utilizada uma temperatura um pouco inferior. É

Oferece melhores características de resistência e flexibilidade do que o vidro float, mas à semelhança do vidro temperado, não pode ser cortado após o tratamento térmico. É menos resistente do que o vidro temperado e não pode ser usado como vidro de segurança. Como pode ser mais barato é adequado para superfícies grandes onde é necessária resistência física, sem os requisitos que as altas probabilidades de choques representam.

​Vidro laminado

O vidro laminado é um vidro com extraordinárias capacidades de resistência à quebra e de isolamento acústico. Ele é fabricado unindo duas ou mais placas de vidro com uma tela de polivinil burital, ou PVB e é essa película que lhe confere a maior resistência e segurança.  este material oferece boa segurança contra impactos acidentais, e um bom isolamento acústico, além de mais protecção contra os raios ultravioleta. A sua segurança para os utilizadores advém do facto de não estilhaçar quando quebra, além de que os fragmentos ficam presos na malha da rede de PVB. 

É muito recomendado para exteriores com condições climatéricas severas e zonas de passagem sobre o vidro.

​Vidro de controlo solar e de controlo acústico

O vidro de controlo solar é tecnologia de ponta no que ao vidro se refere. Ao vidro de base (float, laminado,temperado, etc.) é adicionada em fábrica um capa reflectora metálica que limita a quantidade de luz que entra no edifício, ajudando a fazer uma melhor manutenção da temperatura interior. É muito utilizado em fachadas de edifícios modernos como este que vemos da autoria do gabinete Maia e Moura Arquitectura!

O vidro de controlo acústico é fabricado com um tratamento específico sobre o tipo de vidro necessário para o dotar de características que proporcionam a redução do som vindo do exterior, ao mesmo tempo que continua a permitir a entrada de luz com total transparência. Pode ser aplicado no exterior, em fachada e coberturas.

Vidro impresso e vidro jacteado

O vidro impresso e o vidro jacteado são vidros de privacidade. São muito usados em janelas e portas de casas de banho para impedir quem passa na rua de ver o que se passa no interior e e divisórias interiores, quando é preciso manter alguma privacidade. Tanto um como outro podem ser feitos a partir de qualquer tipo de vidro, o que faz deles a opção certa para janelas, interiores ou exteriores, e fachadas de vidro quando é preciso entrada de luz mas não visibilidade.

O vidro impresso é produzido através de impressão no vidro quando ele ainda está quente e oferece boas possibilidades decorativas, para além de privacidade. É muito utilizado em fachadas com finalidade publicitárias de de marca.

O vidro jacteado é produzido por abrasão da superfície do vidro com um jacto de areia. Também é conhecido por vidro fosco ou vidro esmerilado. Este vidro distorce a visão através dele sem afectar a entrada de luz.

Vidro serigrafado

O vidro serigrafado, ou vidro pintado a quente, é um vidro que recebeu desenhos ou cores com uma tinta especial, cujo conteúdo é fixado no vidro a altas temperaturas, ou seja a pintura é feita no processo de têmpera.

Este processo, como referimos produz um vidro muito resistente a riscos, embates e quedas, e até manchas de gordura. Ou seja é basicamente um vidro temperado colorido, com enormes potencialidades decorativas, que pode ser utilizado tanto no interior como em fachadas.

Agora que já sabe muito mais sobre este material fabuloso chamado vidro não deixe de ver sugestões para a sua utilização no artigo ’10 terraços modernos com tecto em vidro’.

Sabe que tipos de vidro tem em sua casa?
Habitações  por Casas inHAUS

Precisa de ajuda com um projecto em sua casa? Entre em contacto!

Peça a sua consulta grátis

Encontre inspiração para casa!