Espaço de terror vira alojamento único

Maria Miranda – HOMIFY Maria Miranda – HOMIFY
Loading admin actions …

A criação de hostels tem sido a principal intervenção no tecido urbano das grandes cidades portuguesas. O turismo tem vindo a intensificar-se e com ele o investimento sobretudo na recuperação de imóveis antigos com bastante centralidade. Este fenómeno descreve entre muitos outros, o projecto que lhe mostramos hoje. Localizado no Porto, na rua de Belmonte, freguesia de São Nicolau, o edifício é composto por seis pisos, a cave e os pisos 0 a 4.

Neste cenário de reabilitação intensa os arquitectos são chamados a intervir, neste caso, o atelier Teresa Pinto Ribeiro  arquitectura, do Porto teve a seu cargo essa tarefa! O edifício apresentava bastantes características com potencial para serem mantidas e recuperadas. Ainda assim, os arquitectos optaram por trazer elementos mais modernos, que falam do tempo e usos presentes não deixando que se perdesse a leitura do passado. Confira abaixo todos os detalhes.

Áreas degradadas

Algumas área da habitação apresentavam já um estado de degradação considerável, mas os traços, os materiais, os limites do espaço mantinham-se, características que viriam a trazer imenso charme ao espaço moderno como poderá verificar. Nesta imagem um dos elementos a considerar são as paredes em pedra, que contam o modo de construção e arquitectura da época.

Fachada – Alçado

Este é o alçado do edifício e envolvente imediata. Como vê a fachada é bastante tradicional, de uma arquitectura muito comum em casa antigas no centro urbano da cidade do Porto. Quatro pisos de pé direito alto, dois com varandim. todos eles com portadas ou janelas que permitem imensa entrada de luz no espaço.

Intervenção

Estas são as plantas dos diferentes andares, onde é possível perceber melhor a organização do espaço

A proposta promove a reabilitação geral de todo o edifício, procurando manter as suas características singulares. De acordo com os arquitectos, as demolições necessárias para a instalação do programa espacial e organizativo foram as mínimas possíveis, sempre numa procura em conseguir articular o existente com as exigências espaciais.

No piso 0 está a área de recepção assim como as zonas de serviços como escritório ou instalações sanitárias e dois espaços de estar. Este piso desenvolve-se em dois meios pisos, respeitando, assim, as pré-existências e as cotas de entrada das fachadas frontal e tardoz.

Na cave existe um espaço de refeições, com cozinha uma instalação sanitária. Nos pisos 1, 2, 3 e 4localizam-se os quartos e as instalações sanitárias com duches. 

Hall de entrada – antes

Assim seria o hall de entrada quando os arquitectos conheceram a casa. Tudo se encontrava erguido mas o aspecto do passar dos tempos era presente, sendo que alguns revestimentos por exemplo estariam em estado de degradação.

Hall de entrada – depois

Tirando o máximo partido das características do passado os arquitectos renovaram o hall tonando-o um espaço aconchegante que dá as boas vindas a quem entra no edifício. Recuperaram o granito, colocaram um novo painel de azulejos à semelhança do anterior, pintaram as paredes e as portas criando um ambiente mais intimista e colocaram ainda aquecimento, todos os elementos necessários para tornar este espaço confortável.

Vão de escadas à antiga

Um vão de escadas magnífico, à antiga existia no edifício. As escadas revestidas a madeira e o corrimão ritmado também em madeira. De cima para baixo o vão de escadas cria uma ideia de espiral que se desenrola até ao piso térreo do edifício, uma arquitectura magnífica de outros tempos. Este vão de escadas foi renovado mantendo-se a sua arquitectura assim, também neste espaço o edifício será mais rico, revelando a sua antiguidade temporal e traços de uma arquitectura de outros tempos. Conheça outros espaços de escadas aqui.

Sala

Nesta sala identificamos o granito e a altura do pé direito como elementos que recordam o passado do edifício, é uma sala moderna onde se respira também um pouco do estilo vintage. Duas compridas janelas permitem a entrada de luz natural, um bonito tapete cobre o chão tornando a divisão mais confortável o que também é conseguido pelo bonito sofá cinzento. O espelho, uma peça diria de estilo vintage, cumpre a sua função transmitindo a ideia de maximização do espaço. A iluminação, também criadora de um ambiente especial, está resolvida de modo muito subtil e moderno. através de uma calha na parede.

Pormenores, relação do passado com o presente

São espaços como este que revelam o charme do contraste moderno e antigo. O mobiliário como por exemplo as cadeiras, são peças vintage e a envolvente, em branco, são elementos muito modernos, que contribuiram para a criação do ambiente especial deste cantinho da casa.

Zona de convívio

Nesta zona de convívio é evidente a relação entre o antigo e o moderno. Em que a pedra usada na parede terá sido recuperada mas mantida, lembrando a antiguidade do edifício e trazendo um charme especial. As cadeiras também serão de estilo vintage mas o branco envolvente mostra novas peças e separações muito modernas introduzidas pelos arquitectos. Este é um óptimo espaço para tomar um chá em convívio.

Contrastes ricos

Houve uma grande preocupação em relação à arquitectura existente, a proposta pretendeu valorizar o existente, evidenciando o carácter representativo desta tipologia habitacional e construtiva do Porto do séc. XIX. Mas, simultaneamente, segundo os arquitectos, não descura a intenção de marcar a nova intervenção, com recurso a elementos distintos e com uma gramática contemporânea. Com a introdução destes novos elementos e materiais, os arquitectos quiseram marcar a intervenção de hoje, não comprometendo a leitura dos espaços originais; 

Esta dualidade é bastante clara nesta imagem onde vemos várias características do passado, arquitectónicas ou de mobiliário de que é exemplo a cadeira em primeiro plano coexistindo com elementos modernos como o ripado branco.

Quarto twin

Em termos de quartos à opções para vários públicos e objectivos. Este é um quarto de camas de solteiro separadas, tem um ambiente muito vintage e cozy. 

Quarto beliche

Outra opção é dormir em beliche, esta zona tem já um caracter bastante moderno, o chão e o beliche são em madeira e têm aspecto de novinhos. Conheça outros quartos com beliche aqui! 

Quarto vintage

O valor do traçado de pormenor do passado está à vista sobretudo no mobiliário, com detalhes bastante trabalhados. Apesar de, como virmos ser agora um edifício com a simplicidade e conforto dos dias de hoje. Arquitectura que procura evidenciar o melhor de duas épocas.

Gostou?! Deixe o seu comentário!
Casas modernas por Casas inHAUS

Precisa de ajuda com um projecto em sua casa? Entre em contacto!

Encontre inspiração para casa!