Modelos de cozinhas: qual é o seu ideal?

Sílvia Cardoso – homify Sílvia Cardoso – homify
Google+
Loading admin actions …

Estamos em crer que cozinhar está na moda. Há chefs jovens e dinâmicos adorados por todos. Há livros acutilantes pejados de receitas rápidas e económicas. Há canais de televisão exclusivamente dedicados ao tema. É, assim, natural que, mesmo os jovens, estejam mais atentos ao assunto, mais não seja para fazer aquela partilha no Instagram que vai deixar todos de água na boca. 

Em boa verdade, a cozinha nunca deixou de ser um dos espaços principais da casa. É lá que muitas famílias se reúnem ao fim do dia para preparar as refeições e comer enquanto partilham um muito precioso – e até raro – momento de convívio. Por estes e outros motivos, é importante que nos preocupemos com a decoração desta divisão que há muito deixou de ser básica. 

Deixamos sugestões para os que gostam de cozinhas mais modernas ou mais rústicas. Para os que adoram cozinhar, mas têm pouco espaço em casa, para os que gostam de trazer sentido de humor a qualquer que seja a divisão, para os mais arrojados que têm um fraco por materiais improváveis. 

Veja com atenção as nossas dez sugestões e, já sabe, no fim diga-nos de qual mais gostou!

Preto no branco

Cozinhas modernas por Stellati Rénovation
Stellati Rénovation

Rénovation d'un appartement à Lyon 6e

Stellati Rénovation

Numa casa grande onde habita uma família numerosa, o espaço de refeições ganha mais importância. É lá que, muitas vezes, as famílias conseguem estar juntas para confraternizar e partilhar as peripécias do seu dia-a-dia. Na fotografia, vemos uma cozinha com dois espaços distintos: o da confecção de alimentos e o de convívio. Toda construída em tons de preto e branco – o que funciona sempre bem – esta cozinha explora a forma de dividir espaços através das cores sem que tenhamos a noção de nos encontramos em divisões diferentes. 

No espaço da confecção de alimentos, o tom predominante é o branco – que transmite a sensação de brilho e limpeza – salpicado por apontamentos em preto – como as cadeiras altas do balcão. Por outro lado, no espaço de convívio prevalece o preto, por via da mesa que contrasta com as altas paredes brancas. Para que estes espaços vivam das suas próprias características mas continuem a fazer parte um do outro, a fina e elegante parede de vidro e madeira negra é um pormenor delicioso que facilita a comunicação. 

Uma cozinha rústica

Cozinhas rústicas por deVOL Kitchens
deVOL Kitchens

The Cotes Mill Shaker Kitchen

deVOL Kitchens

Aproveitar os elementos rústicos da sua casa – como as paredes caiadas, as janelas de guilhotina ou os tectos com robustas traves em madeira – é sempre uma forma inteligente de lhe manter o carácter. Não deite tudo abaixo para fazer de novo. Há detalhes únicos que jamais encontrará em novas construções. Na imagem, temos o exemplo perfeito de uma cozinha integrada numa arquitectura rústica. Ainda assim, acolhe pormenores e elementos modernos que, sem chocar com o perfil da casa, lhe propiciam uma imagem mais jovem. A rusticidade tem vindo a aparecer, com frequência, na decoração das casas. Porém, surge de uma forma subtil para que o aconchego e textura das madeiras que a caracterizam sobressaiam sobre um fundo simples e em tons neutros. 

A parede em lousa

Para dar vida à sua cozinha, a decoração e a própria construção do espaço são fundamentais. Pode jogar com vários elementos para a tornar mais jovem, mais clássica, mais rústica ou moderna. A escolha é sua. 

Na imagem, vemos uma cozinha elegante onde pormenores decorativos fazem toda a diferença. A paleta cromática divide-se entre o branco, o preto, os castanhos texturados da madeira e alguns tons de cinzento que ajudam a contrabalançar e a fazer ligações. Assim se brinca com os contrastes. Repare na parede lateral em lousa que pode personalizar com giz, alterando o sentido da decoração conforme o seu estado de espírito. Se tiver jeito para a coisa, pode fazer desenho engraçado,  se andar mais inspirado, pode escrever uma frase bonita ou, tão-somente, rabiscar a lista de compras para o dia seguinte. Esta parede em lousa serve, igualmente, como pano de fundo ao candeeiro em bronze, um material que lhe traz refinamento. 

Espaço aberto

Salas de jantar  por Anna & Eugeni Bach
Anna & Eugeni Bach

Salon – comedor Reforma Urgell

Anna & Eugeni Bach

Por uma questão de economia de espaço é muitas vezes útil – até mesmo fundamental – fazer conviver duas áreas com propósitos distintos na mesma divisão. Na imagem, temos um perfeito exemplo de uma cozinha que liga directamente com a sala. A cozinha desenha-se em U e dispõe de um balcão, tornando-a aberta para a zona de refeições e para a sala de estar. Todavia, os móveis suspensos prolongam-se pela parede lateral até à janela, funcionando não só enquanto elemento de ligação, mas também como amplo espaço de arrumação. O chão, em mosaico antigo, é o mesmo em toda a assoalhada. No entanto, em sua casa, pode usar o mosaico para revestir a parte da cozinha, deixando o resto em soalho de madeira. Ambas as alternativas funcionam se, claro está, tiver sensibilidade no que toca à escolha de materiais. Por fim, aposte numa paleta em que o branco prevaleça. Será mais fácil trabalhar tudo o resto sobre um pano de fundo neutro. 

A mais pequenina

Se, anteriormente falávamos em aproveitamento de espaços reduzidos, agora vamos levar esse conceito ao extremo. 

Podem ver, nesta imagem, o projecto de um loft criado por Beriot, Bernardini Arquitectos. Trata-se de uma área exígua em que a prioridade é, manifestamente, a funcionalidade. Partindo da cozinha como elemento primordial e central, todo o estúdio se constrói em torno dela num aproveitamento de espaço muito bem conseguido que nos faz lembrar um jogo de Tetris.

A cozinha – que, em boa verdade, é uma kitchenette – ocupa o piso principal e vão-se construindo, em madeira, todos os espaços de arrumação e lazer de que a casa precisa. Das escadas, sai uma mesa e respectivas cadeiras. Por cima, encontramos um pequeno quarto que quase parece continuação dos móveis de cozinha. Sob ele, há armários de portas brancas para que não falte arrumação. 

Viveria num espaço tão pequeno?

No exterior

Terraços  por INSIDE Création
INSIDE Création

Cuisine d'été

INSIDE Création

Se a sua casa lhe permite usufruir do ar livre, nada como aproveitar os dias de sol ao máximo, passar o dia com a família e/ou os amigos na piscina, fazer as suas refeições na rua e saborear cada minuto do que a vida lhe dá. 

Esta cozinha, proposta da Inside Creation, aproveita os materiais típicos do exterior de uma casa. Usa a parede de pedra como ponto de referência, estando nela embutida uma área de churrasco. O chão em deck reveste esta zona, assim como a área em torno da piscina. Há, ainda, uma cobertura laminada – possivelmente controlada por um comando – tão importante para o espaço, como para quem o usa. Para a completar, não falta uma ilha multifunções de linhas minimalistas e tons escuros e discretos. Com a piscina ao fundo e a natureza em redor está criado o quadro ideal para o Verão. Aproveite-o! 

Em mármore

Chalé das Três Esquinas: Cozinhas ecléticas por Tiago do Vale Arquitectos
Tiago do Vale Arquitectos

Chalé das Três Esquinas

Tiago do Vale Arquitectos

O mármore numa cozinha não é inovador. Ainda assim, parece-nos que ainda está para ser descoberto material mais nobre do que este. Quando bem utilizado, eleva qualquer espaço para um pedestal de luxo e elegância ímpares. 

É o caso desta cozinha. A área não é espaçosa. Pelo contrário. Desenvolve-se sob o comprido pelo que é essencial que haja uma boa percepção do espaço disponível e dos materiais que o valorizem e o ampliem. A predominância do branco e a ilha e as paredes em mármore cumprem essa função. A cozinha da imagem, criada por Tiago do Vale Arquitectos, revela sensibilidade no que toca à interpretação da essência de uma casa. A luz, quer natural, quer artificial, aumenta os brilhos, os reflexos e os contrastes do mármore, o que ajuda a manipular a nossa percepção. A maior desvantagem do mármore? O preço e manutenção. 

Uma obra perfeita de arquitectura minimalista, tanto no sentido estético, como funcional.

Não falta pintar? – perguntará a avó

Fazer da sua cozinha um espaço único e original por vezes não é tarefa fácil. Habitualmente, associamos a cozinha aos tons brancos que nos transmitem uma sensação de limpeza indispensável à área em questão. Mas a verdade é que nem tudo tem que ser sempre tão linear e, com bom gosto e irreverência, é possível descobrir a forma de dar uma imagem diferente à cozinha sem que isso a retire daquilo que é a sua função.

A cozinha da imagem ilustra o que lhe dizemos. É em tudo diferente daquilo do que costumamos ver. Dentro de uma decoração que viaja entre o industrial e um vislumbre futurista, o espaço criado pelo Estúdio de Design Santiago leva-nos para outra dimensão. A mistura entre materiais como o betão nas paredes e no tecto, os elementos metálicos e os móveis brancos funciona em pleno. 

Actualmente, o cimento afagado ou micro-cimento são usados com frequência. O aspecto de casa não acabada vai ao encontro da estética moderna e industrial. É, no entanto, importante dar-lhe um acabamento para que a sua condição não se deteriore com o passar do tempo. 

This kitchen is closed. Unless the cook is you.

Numa casa habitada por jovens, a cozinha é muitas vezes a ’divisão non grata

Mas, não tem que ser assim. Com um espírito divertido e bom gosto no que concerne à decoração, o espaço pode elevar-se a uma zona original e convidativa. A imagem mostra uma cozinha ideal para uma casa dividida por jovens e destaca-se pela decoração simples que joga com as cores e as formas geométricas. Os balcões de diferentes tamanhos e laterais pintadas de diferentes cores, os bancos de madeira de estilos e formas distintas e os candeeiros a lembrar um bar são elementos que contribuem para a atmosfera jovial do espaço.

O toque de humor surge na frase pintada na parede. ’The kitchen is closed. Unless the cook is you. que é como quem diz A cozinha está fechada. A menos que o cozinheiro sejas tu.’ 

Bem visto.  

Branca de neve

Sempre que pensamos numa cozinha pensamos na cor branca que, invariavelmente, associamos à limpeza e à pureza. E à organização. E à amplitude. E ao cenário imaculado de que precisamos para começar a cozinhar. E ao facto de nunca passarem de moda. E à facilidade com que se decora. Pronto. Paremos por aqui. Mas, olhe que a lista podia continuar.

Assim sendo, é normal que essa seja a cor predominante das nossas cozinhas. Mas se pensa que o uso excessivo do branco torna o espaço aborrecido, desengane-se. É preciso saber jogar com os objectos, os espaços e as luzes para criar o ambiente perfeito. Na imagem acima, mostramos uma cozinha criada pelo gabinete Estúdio Urbano Arquitectos. Um espaço amplo e moderno decorada com móveis brancas que beneficiam de um jogo de formas e luzes. A cor empresta-lhe um ambiente tranquilo e luminoso e apenas o chão em madeira castanha e o metal dos electrodomésticos ou dos puxadores se destaca. Repare, ainda, que os armários inferiores são suspensos o que não só lhe providencia leveza, como também a torna mais fácil de limpar. 

Que modelo de cozinha prefere? Qual a que gostaria de ter em sua casa? 
Casas modernas por Casas inHAUS

Precisa de ajuda com um projecto em sua casa? Entre em contacto!

Encontre inspiração para casa!