Casas rústicas: os mais aconchegantes refúgios

Sílvia Cardoso – homify Sílvia Cardoso – homify
Google+
Loading admin actions …

Poucas casas têm a capacidade de nos despertar os sentidos como as casas rústicas. Nelas, encontramos História e histórias também. Nelas, encontramos a natureza no seu estado mais puro. Nelas, encontramos um refúgio. Não temos, porém, que ser literais na interpretação do conceito de rusticidade. Ainda que por ele tenhamos particular apreço, é possível reinterpretá-lo, trazê-lo até nós, até à contemporaneidade. Matérias-primas rústicas, como a madeira, coadunam-se, por exemplo, com muito moderno vidro. Um tecto com vigas em madeira pode abrigar um sofá de linhas modernas. Espessas paredes em pedra podem ser interrompidas por amplas janelas de vidro. No artigo de hoje, deixamos-lhe alguns exemplos de casas rústicas. Da mais pura ou elevada até um outro nível pelos melhores arquitectos.

A casa da montanha

E da montanha nasceu uma casa. E que casa! Lindíssima pela simplicidade, pela combinação perfeita da pedra e da madeira, pela paisagem, e diríamos, pelo sossego. A pedra amarela e miúda e a madeira das janelas e do avançado da varanda são os materiais ideais para o local onde se insere, não colidindo com o ambiente bucólico da montanha. A obedecer ao traço tradicional, o arquitecto optou por utilizar um só vidro nas janelas, o que remete para uma certa modernidade de estilo. Já a varanda saliente e tapada, o que permite usá-la quaisquer que sejam as condições atmosféricas, lembra uma peça de lego na qual podemos pegar, rodar ou colocar noutro sítio. A outra varanda com finas grades de ferro, a acompanhar a irregularidade do terreno oferece a quem lá habita, dias ao ar livre, seja para fazer refeições ou para momentos de convívio. A ideia com que ficamos é que uma varanda serve o Inverno e a outra o Verão, sendo que se podem usar ao longo do ano porque o tempo é rebelde e muda quando lhe apetece. Tradição, modernidade e bom gosto são os objectivos que nos ocorrem quando observamos a casa. 

Vigas em madeira

Quinta H | eco-remodelação| Madeira: Salas de jantar rústicas por Mayer & Selders Arquitectura
Mayer & Selders Arquitectura

Quinta H | eco-remodelação| Madeira

Mayer & Selders Arquitectura

A madeira é a matéria prima das casas rústicas, por excelência. Quando imaginamos uma casa nesse estilo, um dos elementos que conseguimos visualizar na perfeição é um robusto tecto composto por vigas, uma cobertura maciça que nos transmite segurança e protecção. É o caso desta sala cuja intervenção, pelas mãos do gabinete Dirk Mayer Arquitectura e Design, foi feita com base numa premissa ecológica. Assim, os arquitectos recorreram a materiais sustentáveis, como é o caso da madeira, deixando-a exposta em diversos elementos, entre os quais o tecto. Note-se, porém, que este é baixo e a direito e não com uma inclinação alta a formar um triângulo, como vemos em casas dentro do estilo.

Como não podia deixar de ser, um alpendre

Casas rústicas por Uptic Studios
Uptic Studios

Lucky 4 Ranch

Uptic Studios

Esta parte da casa que vemos na imagem indicia lazer, descanso, convívio. A parte boa de ter um alpendre é que mesmo em dias de chuva pode desfrutar da paisagem circundante. Este, em particular é muito convidativo. O chão prolonga-se para a frente da casa, como que a desafiar o jardim a aproximar-se. Assim, pode sempre pôr mais uma mesa e cadeiras caso tenha amigos em casa. Outro aspecto a relevar é o facto de a madeira que envolve as janelas e a porta, quase como que a lembrar uma moldura, ser igual à da mesa e das cadeiras. Claro está que os candeeiros à moda antiga a lembrar lanternas a petróleo e a fechadura em ferro forjado da porta são pormenores que se destacam pelo bom gosto. E como a casa se insere em plena natureza, a escolha da madeira não a descaracteriza. Pelo contrário, há quase como uma simbiose entre o verde da natureza e a madeira da casa. A escolha dos materiais exteriores deve ter em conta o contexto paisagístico onde a casa se insere. Foi o caso aqui.

A pedra basilar do quarto. Literalmente.

Manter os materiais no seu estado mais puro é uma das prerrogativas da rusticidade. Com ela, a natureza chega até nós em estado bruto. Seja pela madeira pejada de nós e veios ou pela pedra despida de qualquer tratamento. Encontramos, não raras as vezes, nas casas de estilo rústico ou campestre, o aproveitamento de pormenores arquitectónicos que surgem por via do espaço natural em que o edifício está inserido. Veja-se o exemplo deste quarto que parece abrigado por uma gruta. Por entre os muros da parede em tijolo, rasga-se um recanto em pedra. Podiam-no ter tapado. Mas mantiveram-no. Deixaram-no à vista. Assim se constrói com sensibilidade. O quarto, porém, é confortável. A cama tem têxteis convidativos, a iluminação suspensa cria uma atmosfera aconchegante e até os turcos de banho aparecem embrulhados por um requintado e clássico laço acetinado. Repare, ainda, nas mesas de cabeceira. Dois troncos de um lado e um escadote do outro. Gosta da ideia? 

A cozinha da avó

Cozinhas rústicas por Marcello Gavioli
Marcello Gavioli

BioMalta RAL 7010 Grigio Tenda

Marcello Gavioli

A utilização dos elementos rústicos ou dos elementos que nos levam a considerar uma casa como sendo rústica está hoje em dia cada vez mais em voga na criação de espaços modernos e de luxo. A mistura entre elementos rústicos e, outros, de vanguarda é já um toque quase essencial para construir a sua casa de sonho. 

Na imagem, essa mescla a que nos referimos acontece na perfeição. Nesta cozinha predominam elementos rústicos como a pedra das paredes e a madeira das portas com um aspecto propositadamente envelhecido. Há, ainda, elementos característicos da construção antiga como as grandes chaminés e as traves de madeira que atravessam e suportam o tecto. Tudo isto, porém, joga na perfeição com as bancas corridas em linhas minimalistas, a longa prateleira que a acompanha e o chão em cinza ardósia. Realce-se, também, a ilha desta cozinha em madeira tosca cujo tampo tem dobradiças nas esquinas.

Uma construção equilibrada e uma forma inteligente de transportar o rústico para sua casa sem que esta pareça velha ou deslocada no tempo.

Quando a modernidade e a rusticidade se encontram

A utilização de determinados materiais e cores são importantes características da arquitectura rústica. A madeira, pela sua textura, cor e até cheiro é o elemento que mais facilmente associamos ao rústico, para além de que funciona em pleno, quer em termos arquitectónicos, quer em termos decorativos, quando combinada com elementos modernos. Conseguir que esta mistura seja perfeita é um desafio interessante e uma forma de dar à sua casa um ambiente alegre, contemporâneo, singular e esteticamente complexo. Na imagem, podemos ver como o jogo entre a natureza que quase é convidada para ser parte da casa, os elementos de construção, as cores e a decoração funciona tão bem. Com equilíbrio é possível jogar com as texturas, a luz, os brilhos e os reflexos dos materiais de forma a proporcionar um ambiente acolhedor e intimista.

Não tropece!

A sua casa, esteja situada na cidade ou no campo, pode conter pequenos elementos, pormenores ou espaços que lhe transmitam as mais variadas sensações e que o façam viajar no tempo para momentos e épocas que muito lhe dizem. Dentro de uma casa moderna é possível criar espaços de referência com toques arquitectónicos ou decorativos totalmente inspirados nos elementos e características da arquitectura rústica. São esses pormenores e a capacidade de os saber utilizar e dosear que criam elementos de originalidade e irreverência ao seu espaço. 

Na fotografia, é possível perceber como os elementos arquitectónicos da casa  – as escadas, o corrimão e o tecto - ganham uma nova dimensão decorativa e um novo destaque em relação às paredes e ao revestimento do chão. A utilização de troncos de madeira, que contrastam com o branco das paredes lisas e as luzes embutidas que acompanham a escada, proporciona um encontro agradável entre o rústico e o contemporâneo.

O refúgio da floresta australiana

  por Woodlands Rainforest Retreat
Woodlands Rainforest Retreat

Australian Rainforest Retreat

Woodlands Rainforest Retreat

A casa na montanha rodeada por natureza luxuriante, pela música de fundo de um qualquer riacho ou por pássaros madrugadores é o epítome da rusticidade e um refúgio idílico ao caos quotidiano. Com a tendência crescente no que toca à aposta em pré-fabricados, tropeçamos, cada vez mais, em pequenas casas em madeira com charme rústico. É o caso do Cockatoos Nest, um refúgio no meio da natureza da floresta australiana onde não falta um alpendre, o famigerado tecto inclinado suportado por vigas e, no interior, uma ampla lareira emoldurada a tijolos. A toda a volta, encontramos zonas envidraçadas que, não obstante serem um elemento próprio da arquitectura moderna, deixam entrar as cores da natureza contribuindo, também elas, para a rusticidade em que o chalé está imbuído.

Personalize os seus móveis

Escritório e loja  por Loaf
Loaf

Quill Bureau

Loaf

Não há uma regra no que diz respeito a mobilar uma casa rústica. Os móveis em decapê são, todavia, uma ideia que nunca o deixará ficar mal. Esta técnica de pintura sobrepõe várias tonalidades que no fim, resultam num aspecto envelhecido, mas elegante, associado ao estilo rústico. Para obter este efeito, deve escolher dois tons distintos. Passa, primeiramente, duas demãos da primeira tinta por si eleita. Depois de a deixar secar, pinte novamente o móvel, desta vez com a segunda cor que seleccionou. De seguida, lixe a peça até criar o efeito pretendido que pode ser mais ou menos suave e, por fim, envernize-a. Ou não. Fica a seu critério. O seu novo móvel assemelhar-se-á à escrivaninha da imagem onde não falta um rádio à moda antiga e uma jarra com flores campestres.

Vidro e madeira, uma história de amor

Haverá algo mais rústico e romântico do que um chalé no meio das montanhas em pleno Inverno? Por certo, não. 

Olhe para a imagem e absorva a magia deste cenário. A casa projectada pelo Atelier Reitsema & Partners Architecten é uma criação em jeito de conto de fadas que une a típica casa das montanhas típica dos Países Baixos – o telhado pontiagudo em colmo assim denuncia – com o conforto e luxo da decoração moderna do interior. A parede lateral da casa completamente envidraçada – um elemento importante da arquitectura moderna – permite-nos ter acesso visual ao interior da mesma, deixando-nos perceber que, embora a construção seja rústica e jogue na perfeição com o cenário em que está inserida, a decoração é moderna.

Não ficou cheio de vontade de fazer a mala e ir passar o fim-de-semana a um destes paraísos? Nós ficámos! Diga-nos, de todas, qual a imagem mais bo...
Casas modernas por Casas inHAUS

Precisa de ajuda com um projecto em sua casa? Entre em contacto!

Encontre inspiração para casa!