Dez moradias de luxo ao redor do mundo!

Sílvia Cardoso – homify Sílvia Cardoso – homify
Google+
Loading admin actions …

O que define o luxo? O que é a beleza? Está no objecto ou nos olhos de quem o vê? A nosso ver, o luxo é o acesso ao conforto sem limites e está em permanente renovação. Mais que isso, é o zénite da vida civilizada, o gozo de tudo onde sequer o sonho cabe. Ainda que possa ser interpretado de diversas maneiras – até porque o direito à escolha também é um luxo -, é sempre desejável e, como disse, um dia, Coco Chanel, “o oposto da vulgaridade”.

Porém, só alguns a ele têm acesso. Vamos, neste artigo, percorrer dez moradias luxuosas. Passamos por Itália, Reino Unido, Estados Unidos da América, Brasil, México e, claro, Portugal. Passamos por casas de praia, casas de cidade, casas de campo. O que as torna bonitas? Os sítios em que se inserem, os materiais de qualidade com que foram erguidas, a simplicidade e o bom gosto das suas linhas, a privacidade, o refúgio ao caos ou a atenção ao detalhe.

Agora, encoste-se, descontraia e acompanhe-nos ao longo deste texto.

Olha que coisa mais linda, mais cheia de graça

Levantem o pé do chão, “galera”, pois que vamos até ao Paraty, no Brasil, ver mais uma moradia de sonho. 

A estrutura é evidente e sobressai de imediato. Materializa-se sob a forma de duas caixas em cimento que se salientam em relação à zona montanhosa em que se inserem, equilibrando-se na topografia do terreno. A parte superior destina-se à zona de descanso e a inferior a uma sala de estar, cozinha e área de serviço. As janelas do quarto estão protegidas por hastes flexíveis de eucalipto que resguardam o espaço e deixam a luz trespassar subtilmente. O mar está próximo e amplas janelas de vidro permitem usufruir da vista da frondosa e virginal vegetação.

Ai, que sonho!

Mas continuemos.

Entre a praia e a casa, há uma piscina – claro que há – com fundo esmeralda ladeada por um longo deck de madeira e palmeiras. Porém, os mais acautelados, podem proteger-se do sol usufruindo da sombra proporcionada pelo avançado da casa. As espreguiçadeiras coloridas são um pormenor que nos faz sorrir e uma ideia que pode tirar para a sua casa. Mesmo que não seja no Paraty! O acesso à moradia é apenas possível de barco o que lhe propicia total privacidade. 

Só há um problema. Não sabemos se os arquitectos falam a sério ou estão a brincar, mas dizem que, na zona, existem aranhas venenosas que entram pela casa e passeiam pela luxuosa mobília que ela abriga. Assim sendo, já não queríamos viver lá.

Mentira. Queríamos sim.

Um projecto do Studio MK27.

Guildford

Façam uma coisa. Com a vossa mão direita tapem a parte direita da casa. O que vêem? Uma casa moderna. Agora, façam o contrário e com a vossa mão esquerda tapem a parte esquerda da casa. E agora? O que vêem? Uma casa antiga. No entanto, a mescla entre a casa original e o acrescento funciona harmoniosamente. Senhoras e senhores, a isto se chama de sensibilidade. Zonas envidraçadas fundem-se, facilmente, com estilos arquitectónicos distintos. O vidro, tal como o preto, não compromete. Afinal de contas, é transparente e tem o poder de se adaptar a qualquer que seja o contexto. À casa antiga, de 600m², foi acrescentada uma nova zona, de 100m² que contém, no piso superior, uma zona de estar e cozinha e uma piscina interior no piso térreo. Um maravilhoso trabalho do gabinete Gregory Phillips Architecture.

A Casa M

Uma moradia de luxo, projectada pelo gabinete Monovolume Architecture + Design, localizada no centro de Meran, na região de Obermais, em Itália. Foi construída em cimento armado e dispõe de amplas áreas envidraçadas que alimentam a noção de fluidez e comunicação entre espaços interiores e exteriores. O piso térreo tem como que um subtil prolongamento que encontra o jardim e uma ampla piscina. De acordo com os arquitectos, o conceito que serviu como pedra basilar para o projecto foi jogar com fachadas transparentes e massivas que criassem pontos de vista interessantes e perspectivas avassaladoras. Conseguiram. As proporções são as ideias, as partes brancas, mais avançadas, são vertiginosas e as linhas minimalistas emprestam-lhe modernidade e refinamento. 

O “M” do nome é de “maravilhosa”, não é? Só pode ser. Quando é que nos podemos mudar?

Rumo ao Sul

Voltemos às origens que é como quem diz a Portugal, mais precisamente ao Algarve onde se localiza esta moradia, em Almancil, na Quinta do Lago. A imponente fachada pintada a azul e as palmeiras à entrada denunciam o sítio. A sul. Quente. De praia. Ainda assim, o estilo é clássico, mas pontuado com detalhes contemporâneos como as altas e estreitas janelas todas envidraçadas que facilitam a comunicação entre o interior e o exterior. Mais impressionante que a fachada é a retaguarda da casa. Lá, encontra um alpendre com área de refeições, um jardim, uma piscina e um lounge coberto por um toldo e com cortinas nas extremidades. O sonho de qualquer noite de Verão, dizemos-lhe nós. 

Um projecto da Reflexões Contemporary Design.

Pelo Gerês

É no Gerês e, por isso, português este projecto pelas mãos do atelier Correia/Ragazzi Arquitectos. A casa tem, na proximidade, o Rio Cávado e um ribeiro afluente. A isso chamamos de boa vizinhança. Como imaginarão, a área em que se insere é protegida pelo que não era permitido abater nenhuma árvore. O projecto deveria conter uma “casa para o casal e filho, uma suite para as visitas, de preferência destacada da casa e, ainda, um balneário com chuveiros, casa de banho e armazém de apoio às actividades aquáticas” praticadas pelos clientes já há vinte anos. 

No local existia uma ruína que surgiu como ponto de partida para os primeiros esquissos. As condições atmosféricas exigiam uma construção em betão, mais sólido e resistente, quando equiparado, por exemplo, à madeira. Ora, o homem quer, a obra nasce. A casa que vêem na imagem surge como se de um “barco encalhado” se tratasse, naquilo que é uma referência à Casa Malaparte de Adalberto Libero. O edifício funde-se com o ambiente circundante até por estar semi-enterrada o que a torna quase imperceptível. A parte mais dramática é o “óculo em vidro” que aparece suspenso visto que a área da casa teria, necessariamente, de exceder os iniciais 60m² da ruína. Os interiores deste ’volume em betão” são inteiramente revestidos a madeira de bétula e os pavimentos em “autonivelante cinza”.

Um incrível projecto no nosso país. Adoramos!

Entre o moderno e o victoriano

É um encontro entre épocas esta moradia de luxo, no Reino Unido. Atrás, uma casa em tijolo – o famoso brick – em estilo victoriano, à frente uma área toda envidraçada e um alpendre. Uma justaposição deslumbrante, não obstante a dissemelhança entre estilos, um mais fechado, austero e gótico, outro moderno, arejado e luminoso. Os opostos, de facto, atraem-se e, neste caso, criam ângulos e pontos de vista que não nos são indiferentes. A parte de baixo abriga uma cozinha e sala de jantar, assim como uma zona de refeições, no exterior, mas protegida. Se está a precisar aumentar a sua casa, eis um bom exemplo. Claro que depois vai ter que nos mostrar como ficou!

Um azul de que só o Mediterrâneo é capaz

Entregamos, desde já, as boas notícias: esta moradia não é privada e pode ser sua durante uns dias de férias. Imagina-se a acordar com uma vista panorâmica privilegiada sobre o Mediterrâneo, a Baía de Altea e a piscina de borda infinita? Nós também. Aliás, com as enormes janelas, ainda maiores terraços e jacuzzi panorâmico – sim, leu bem -, é inevitável fazê-lo. 

Vamos contar-lhe um bocadinho sobre ela. 

O projecto divide-se em três andares. O de baixo integra um parque de estacionamento com cobertura, três quartos - todos com casa de banho -, acesso ao terraço e jardim. Agora, vamos subir até ao piso principal. Prefere ir pelas escadas ou pelo elevador? Lá, encontraremos a sala de estar com lareira e uma cozinha de linhas contemporâneas, tal como o resto da casa. No exterior, o terraço com uma pérgula introduz-nos à maravilhosa – vamos dizer outra vez, mais devagar, ma-ra-vi-lho-sa – piscina perpendicular à fachada e, já agora, ao horizonte que não nos deixa saber onde começa o azul do céu e onde termina o do mar. Subimos mais um andar até ao quarto principal cuja casa de banho tem uma banheira de hidromassagem com vista para o mar. Ah, e também há um solário de 35m² e um jardim.

Aconselhamo-lo a ver todas as imagens desta moradia. A traseira da casa assemelha-se a uma coroa  pousada numa estrutura rochosa. Branca e vertiginosa, recorta o azul do céu com as suas belas linhas numa brancura marmórea. Um fascinante projecto da Spainville Immobiliaria.

Hollywood

Casas modernas por McClean Design
McClean Design

Blue Jay Way

McClean Design

É a típica mansão de luxo californiana daquelas que veríamos no “Welcome to my Crib”. Lembram-se?  O proprietário é o DJ e produtor, Avicci. Está explicado. 

A Blue Jay Way debruça-se sobre a Sunset Boulevard e tem vistas panorâmicas para o oeste de Los Angeles, Santa Mónica, Pacífico e ilha Catalina. Coisa pouca. As zonas de estar foram, por isso, projectadas de forma a que seja possível contemplar esta vista. Como é perceptível na imagem, a piscina, desenhada em comprimento, divide a moradia a meio. De um lado as zonas comuns, do outro o quarto principal. É, assim, em torno da piscina que tudo converge. Ela começa como uma parede de água em torno da qual a sequência de entrada é ajustada. Depois, ascende para o nível principal da casa até cair para um spa, mais abaixo. Os materiais de construção predominantes são o vidro e o betão. 

Segundo sabemos, a mansão dispõe de tecnologia de ponta que integra “controlo centralizado de iluminação”, aquecimento e segurança “garantida por um sistema de impressão digital à entrada”.

Um projecto assinado pelo gabinete McClean Design. Embora, a nosso ver, seja mais “mas que lindo design”!

Na cidade que nunca dorme

Casas modernas por MIDE architetti
MIDE architetti

Sam's Creek

MIDE architetti

Mas, aqui, nós dormiríamos. 

O cliente, dono de uma empresa de Relações Públicas, foi específico no pedido: pretendia uma casa onde várias actividades pudessem ocorrer ao mesmo tempo. Não percebeu? Nós explicamos melhor. A ideia era a de uma moradia onde, por exemplo, se pudesse dar um jantar e, ao mesmo tempo, entreter um grupo de crianças. Ou, ainda, onde os convidados tivessem a possibilidade de entrar e sair sem estorvar o resto da família. Uma casa em jeito de multitasking para um homem cuja profissão o habituou a tal.

A moradia é toda envidraçada e o conjunto parece formar-se a partir de uma série de caixas individuais, cada uma adaptada a determinado propósito. Os pavimentos, tectos e paredes são revestidos por tábuas de mogno. Reparem que na fachada da moradia, vemos partes avançadas, como uma moldura, que proporcionam privacidade aos moradores – e aos vizinhos também -, sem lhes obstruir a vista. 

Não podia, claro está, faltar uma piscina e um jardim com zonas de lazer e de estar diversas para usufruir do exterior em pleno. Fica em Nova Iorque esta moradia assinada pelo atelier Bates Masi Architects.

Arriba, México!

Acabamos esta volta ao mundo indulgente e hedonista com a moradia Xixim, em Tulum, no México. É ecológica, inteiramente auto-suficiente e envolve os seus ocupantes na luxuriante vegetação tropical que a rodeia. Prova disso é a abertura na parede ao lado da piscina como se fosse um quadro para a natureza. A casa abeira-se de uma praia pelo que a cozinha que é, em simultâneo, zona de jantar e de estar é voltada para o mar, assim como os quartos. Desta forma, o aproveitamento panorâmico é maximizado. Os pontos de luz, combinados com as cores quentes da madeira, dão-lhe uma sensação de aconchego e conforto. Na parte superior, existe um terraço com uma cobertura fotovoltaica que não só propicia sombra, como filtra água da chuva, armazenada para posterior uso. Um plano engenhoso com a sustentabilidade como mote. Aplaudimo-lo!

Um projecto de Specht Harpman.

Nós avisamos que era um artigo de luxo! Qual é a sua moradia preferida? Porquê? 
Casas modernas por Casas inHAUS

Precisa de ajuda com um projecto em sua casa? Entre em contacto!

Encontre inspiração para casa!