Azulejos de cozinha: como a cerâmica transforma um espaço

Sílvia Cardoso – homify Sílvia Cardoso – homify
Google+
Loading admin actions …

Vem do antigo Egipto e da região da Mesopotâmia o pequeno quadrado ao qual chamamos de azulejo. Com o tempo, alastrou-se e vulgarizou-se. Primeiro, e porque a sua manufactura era trabalhosa, só as famílias aristocratas lhe tinham acesso. Hoje em dia, rara é a casa onde eles não existem.

Neste artigo, focamo-nos no uso de azulejos em cozinhas. No chão, na parede e até no balcão. Quadrados, em mosaico ou rectangulares. Dentro ou fora de casa. Lisos ou com padrões. E, claro está, sem esquecermos os tradicionais azulejos portugueses.

Estamos certos de que os azulejos não só são práticos, como também podem fazer toda a diferença no que toca à definição do estilo que quer dar à sua cozinha. Leia o artigo e diga lá se não temos razão. Se uma imagem diz mais do que mil palavras, então veja as dez imagens que lhe vamos mostrar tudo porque queremos que a sua cozinha seja mais convidativa!

Em pastel

SHOWROOM LOVE TILES Lisboa 2013: Armários de cozinha  por Catarina Batista Studio
Catarina Batista Studio

SHOWROOM LOVE TILES Lisboa 2013

Catarina Batista Studio

É um projecto português este de um apartamento de fim-de-semana baptizado como Love Maison. Foi pensado no sentido de criar espaços propícios ao convívio de quem o habitar. Assim, todas as zonas comuns estão ligadas entre si numa harmonia deliciosa. Reparem como os azulejos da Love Ceramic Tiles num tom verde pastel demarcam, ainda que subtilmente, a zona da cozinha e reservam o devido destaque para o bonito aparador do qual sai uma prateleira. Quão interessantes e dinâmicas são estas linhas? Muito!

Se também o seu apartamento se desenha em espaços abertos, faça um bom planeamento no que toca à escolha da cerâmica que vai usar na cozinha. Não queremos uma zona que choque com o resto da decoração, mas sim uma passagem quase silenciosa entre divisões. Estamos in love com esta ideia da CatarinaBatista Arquitectura e Interiores.

Feito em Portugal

Ai de nós fazer este artigo sem incluir os bonitos azulejos do nosso “jardim da Europa à beira mar plantado”. Este T1+1 no Convento dos Inglesinhos,  remodelado e decorado pela Home Staging Factory, é, para nós, uma referência de bom gosto e de “sensibilidade e bom senso” no que toca ao encontro entre o passado e o moderno.

A azulejaria portuguesa que foi mantida por todo o apartamento é um bom exemplo disso. Na cozinha, há pormenores que não podemos deixar passar em claro. Repare que os móveis de cima são brancos e os de baixo em madeira o que nos parece uma escolha inteligente. Se fossem ambos revestidos a madeira, o espaço iria ficar escuro e pesado e os azulejos passariam de elemento diferenciador a “só mais um elemento”. As coisas não têm que ser todas a condizer e as casas já não se decoram como nos anos 90.

Deixamos-lhe aqui o apelo para que preserve o património. Se possível, peça ajuda aos entendidos na matéria para que consiga fazê-lo sem perder de vista o que a modernidade traz de melhor.

Em mosaico

Cozinhas modernas por AL11 ARQUITETURA
AL11 ARQUITETURA

Ilha e cozinha

AL11 ARQUITETURA

Quando o espaço é exíguo e a cozinha e a sala quase se fundem e confundem há uma panóplia de opções, modernas e funcionais, para demarcar espaços. Esta imagem constitui um bom exemplo disso. O bloco em pastilha castanha-escura funciona na perfeição para esse efeito. Além de dividir a cozinha da sala, serve como suporte a um balcão de madeira. O contraste do castanho-escuro e a cor pérola dos restantes móveis quebra a monotonia de ser tudo decorado num único tom. 

Uma boa opção para separar espaços sem cortar a comunicação e o modo como a cozinha flui para a sala.

Como na parede do metro

Cozinhas modernas por Norfolk Oak
Norfolk Oak

Oak Worktops

Norfolk Oak

Azulejos rectangulares brancos são a epítome de sofisticação. Os ingleses referem-se a eles como “subway tiles” por, no início do século XX, terem sido escolhidos para revestir as paredes do metro de Nova Iorque. Vê? Connosco está sempre a aprender! É, possivelmente, o tipo de azulejo mais usado em todo o mundo pela versatilidade que lhe está inerente. Pode colocá-los na horizontal, na vertical e na diagonal, entre o móvel de cima e o de baixo ou na parede toda. Este azulejo é mais ou menos como aquela pessoa que todos conhecemos que fica sempre bem nas fotografias. We just can’t get enough!

A cobrir o balcão

O material mais comum nos balcões de cozinha é, possivelmente, o granito. É liso, fácil de limpar e, por isso, nem nos questionamos sobre a possibilidade de usar outros materiais. No entanto, ao observar a imagem que escolhemos para si, o realce recai sobre o balcão e a parte inferior da parede coberta com azulejos em vários tons de azul. 

Este “painel” funciona como uma montra de azulejos antigos que remete para a cultura de um país. São italianos, mas em Portugal temos, também, e como sabe, bela azulejaria. Em vez de os colocar na parede – onde é costume encontrá-los – atreva-se a ser diferente e experimente pô-los no balcão da sua cozinha. É uma forma de divulgar a cultura portuguesa e o que ela tem de mais precioso.

Como uma manta de retalhos

Esta imagem traz-nos ao pensamento aquela manta da avó feita com diversos retalhos de tecidos. Nesta cozinha, as cores vivas dos azulejos misturadas com o vermelho do balcão resultam numa explosão de cores. Se é o tipo de pessoa a quem a cor das paredes mexe com o humor e não está lá muito virado para paletas monocromáticas, então, esta opção não o vai aborrecer. E nem só de cores diferentes vive esta cozinha. Repare na mistura ecléctica de padrões como elemento diferenciador. 

Inspiração retro

Apartamento Saldanha_Reabilitação Arquitectura + Design Interiores: Cozinhas modernas por Tiago Patricio Rodrigues, Arquitectura e Interiores
Tiago Patricio Rodrigues, Arquitectura e Interiores

Apartamento Saldanha_Reabilitação Arquitectura + Design Interiores

Tiago Patricio Rodrigues, Arquitectura e Interiores

Outro projecto português bem conseguido. Faça o favor de se orgulhar. Este pelas mãos do arquitecto Tiago Patrício Rodrigues. Deixemos os balcões e as paredes de lado durante um bocadinho e voltemos a nossa atenção para o chão particularmente curioso desta cozinha. Os azulejos, ainda que recentes, têm um estilo retro e são o um elemento de ligação fundamental entre os armários modernos e o louceiro antigo. As cozinhas de hoje em dia tendem a ser um tanto ou quanto impessoais e é nos azulejos que pode encontrar o carácter que estava mesmo, mesmo a faltar à sua divisão!

Divisão de espaços

espaço aberto com cozinha e sala transparece harmonia, conforto e elegância. A mescla das duas áreas foi pensada ao pormenor, os materiais conciliam-se na cor e as restantes peças decorativas não fogem ao padrão neutro e suave. Repare como a demarcação da cozinha foi pensada. Os azulejos do chão, a respeitar a tradição e alguma rusticidade, separam a cozinha da sala não se impondo de forma exuberante, mas mantendo um contraste agradável. Além disso, condizem, pelo seu apelo à antiguidade, com as poltronas e os candeeiros de lustre.

Rústico

A cozinha da imagem, tipicamente rústica, apresenta duas áreas proeminentes: a do fogão e a da ilha que se completam e ajudam à beleza do conjunto. Ambas têm um elemento em comum que são os azulejos. Por baixo da ilha, o chão em cerâmica acinzentado com desenhos num tom de laranja ferrugem lembra o formato de uma carpete com rebordo. Assim, a área da refeição fica naturalmente destacada, sem ser necessário recorrer a um elemento decorativo mais banal. Na zona do fogão, sobressai outro conjunto igual ao do chão que tão bem diz com a grande chaminé a fazer-nos recordar as amplas cozinhas e os fornos de lenha de antigamente. Uma ideia original que pode adoptar, mesmo numa cozinha mais moderna. 

Cozinha exterior

Juntar as palavras “azulejos no exterior” deixa-nos, quase, a estremecer. É necessária muita sensibilidade e bom gosto se decidirmos colocá-los na varanda, no alpendre ou no jardim. Há uma linha que separa o bonito e elegante do excessivo.  Na imagem, de terras brasileiras, vemos uma cozinha oportunamente estendida até ao exterior por ali haver uma área de churrasco. Num país onde é Verão quase todo o ano – sorte a deles – faz sentido haver uma área tão ampla de convívio. Os azulejos diversificados, em tons terra e num estilo rústico, destacam-se neste espaço e propiciam-lhe uma atmosfera que diz tão bem com a leveza do samba e do espírito do outro lado do Atlântico.

Casas modernas por Casas inHAUS

Precisa de ajuda com um projecto em sua casa? Entre em contacto!

Encontre inspiração para casa!