Nova vida para uma casa argentina!

Sílvia Cardoso – homify Sílvia Cardoso – homify
Google+
Loading admin actions …

Hoje, vamos visitar o bairro de Villa Crespo, em Buenos Aires, com vista a conhecer uma casa que, em 2007, foi remodelada de forma a que cada uma das suas divisões ganhasse uma nova vida. O projecto é dos arquitectos Paula Mariasch e Augustín Vital.

A casa – baptizada pelos seus criadores como Casa Jufré - tinha como premissa ser capaz de responder às necessidades de um casal sem filhos. Assim, a habitação é constituída por um piso térreo e mais dois pisos superiores, contendo ainda, no piso mais baixo, uma garagem, uma sala de estar/jantar, um amplo jardim, uma cozinha e uma casa de banho. No primeiro andar, o edifício acomoda um quarto com casa de banho, tendo-se reservado o segundo andar para uma suite principal com um estúdio semi-integrado.

Convidamo-lo a conhecer os desafios que os arquitectos responsáveis enfrentaram e a perceber como, a partir de boas ideias, se pode criar uma distribuição mais aberta e de maior contacto com o exterior.

A casa antas da intervenção

Na imagem que lhe apresentamos, é possível ver a frente da casa antes da renovação e da expansão. A condição geral da casa era bastante má, razão pela qual foi decidido manter apenas o esqueleto original.

As decisões mais importantes desta renovação foram, por um lado, derrubar o maior número de paredes interiores possível – que dividiam o espaço – de maneira a criar um ambiente único mais amplo e luminoso que integrasse a cozinha, a sala de jantar e de estar. Por outro lado, destaca-se a forma como se decidiu renovar as áreas íntimas. O quarto de hóspedes está colocado no primeiro piso, estando o segundo reservado a uma enorme suite principal com acesso directo ao terraço. Semi-integrado nesta suite, os arquitectos decidiram criar um estúdio que conta com acesso directo - através de uma escadaria – ao jardim das traseiras.

A fachada posterior antes da intervenção

A fotografia mostra o estado da fachada posterior da casa e do jardim das traseiras antes da intervenção. A escadaria exterior ligava o amplo terraço, pouco funcional e prático, ao jardim, sem existência de um espaço intermédio – tão necessário nesta zona – que permitisse desfrutar do exterior nos dias quentes de Verão.

A fachada posterior após a intervenção

Vemos, agora, a fachada posterior após a intervenção. Quase irreconhecível, a casa define-se por uma configuração estética moderna, utilizando grandes janelas de vidro, e uma maior proximidade ao exterior.

Podemos identificar o espaço onde existia o terraço, agora ocupado pelos quartos e pelo estúdio e o corredor lateral, anteriormente aberto, que se fechou para fazer a ligação entre os diferentes pisos. Este espaço é amplo e luminoso e permite aos moradores desfrutar das melhores vistas sobre o jardim das traseiras, convertendo a actividade rotineira do dia-a-dia numa experiência mais apelativa.

Antes: uma cozinha para reformar

O antigo espaço da cozinha era um ambiente pequeno  isolado das restantes áreas e que apresentava um estado de conservação muito mau. As paredes apresentavam enormes manchas de humidade de sujidade. Este tipo de problema é mais comum em casas de banho e cozinhas onde os vapores de água são emitidos a temperaturas próximas da saturação. Além disso, o baixo nível de ventilação e a utilização de sistemas de aquecimento por infravermelhos podem agravar bastante a situação.

Depois: uma cozinha prática e moderna

O espaço da cozinha é recolocado ao lado do luminoso pátio. Organiza-se de forma linear e tem um espaço de trabalho, criado a partir de um balcão, que o liga à sala de jantar. A contrário do anterior, este é um espaço mais amplo, aberto e luminoso. O mobiliário é moderno e minimalista - sem puxadores visíveis – e o seu balcão em quartzo branco.

Destaque ainda para o revestimento de madeira, utilizado sobre a parede, que oferece cor, textura e aconchego à decoração deste ambiente.

Antes: um pátio mal aproveitado

A fotografia mostra um corredor aberto cuja única função é iluminar e arejar os ambientes da casa. Um espaço mal aproveitado, mal conservado e que pouco ou nada oferece à casa e aos seus moradores.

Depois: uma circulação aberta e dinâmica

Após a intervenção, o corredor lateral aberto foi fechado para ser utilizado como espaço de comunicação entre os diversos pisos da casa. Assim, os quartos tornaram-se independentes do resto da casa ganhando, com esta espécie de hall aberto, uma maior privacidade e, ao mesmo tempo, um contacto mais próximo com o exterior.

O que lhe pareceu esta recuperação? É um "antes e depois" drástico. Não concorda?
Casas modernas por Casas inHAUS

Precisa de ajuda com um projecto em sua casa? Entre em contacto!

Encontre inspiração para casa!