O condomínio onde seguramente gostaria de viver!

Rita Paião – Homify Rita Paião – Homify
Moradias em banda, Queijas Estúdio Urbano Arquitectos Casas minimalistas
Loading admin actions …

Felizmente temos profissionais de qualidade e de grande profissionalismo que nos fazem chegar projectos que são autênticas obras de arte. O de hoje é da autoria mais uma vez do querido Estúdio Urbano. Querido porque consegue sempre surpreender-nos pelos projectos que materializa, sem nunca nos entristecer.

O projecto de hoje é sobre um condomínio habitacional onde, ou muito me engano, ou gostaria de lá viver. Localiza-se em Queijas e é composto por 4 moradias com tipologias T3+1 e tem áreas sociais conjuntas como uma piscina coberta por uma jardim. O projecto começou a ser estudado no ano de 2009 e em 2013 viu concluída a sua obra. Além de especialistas a nível de arquitectura e interiores, tiveram também especial atenção ao nível paisagista e este ficou a cargo do Arq. Gonçalo Anastácio. As fotografias são de João Morgado, como já vai estando habituado.

O enquadramento

O condomínio insere-se numa zona urbana consolidada com origem nos anos 60, numa zona de transição entre quarteirões de habitações multifamiliares e moradias unifamiliares.

Apesar do desenho, visto da rua, parecer super regular e simétrico, do ponto de vista arquitectónico e construtivo o mesmo não acontece. Houve uma vontade enorme em querer normalizar e regularizar a frente do bloco habitacional, pois, o bairro era composto e caracterizado pela ausência de regras ao nível de afastamentos entre construções e em relação à rua. Para isso utilizaram-se materiais e cores que destacassem o volume como um todo e não como 4 diferentes moradias.

As mesmas são compostas por 3 andares e têm espaços comuns a nível do exterior.

Os espaços comuns

Houve além de toda a preocupação a nível do desenho arquitectónico e dos interiores, uma grande aposta no tratamento do espaço circundante e também, à relação do mesmo com o espaço construído. 

Queria-se um ambiente saudável, que fosse bem recebido por qualquer morador. Por ser um condomínio fechado de apenas 4 habitações seria lógico as 4 famílias se virem a conhecer e a saber certamente mais alguma coisa umas das outras e não simplesmente a cruzarem-se na piscina.

Deixam de ser vizinhos estranhos como acontece num prédio de 10 andares e passa a existir uma maior proximidade e afeição. Nos diferentes espaços comuns uns caracterizam-se por serem mais reservados e outros mais convidativos aumentando a socialização entre utilizadores do condomínio.

A fachada posterior

A fachada posterior vira-se para o jardim e é aqui onde cada habitação individualmente pode aproveitar a sua zona de deck e ainda a zona relvada. Os espaços mais privados viram-se para o interior do terreno e as portas de entrada sem do pado da rua, existindo uma eminente preocupação com o conforto e a privacidade de cada um.

É por baixo deste jardim, mais precisamente sob esta clarabóia em vidro, que a piscina coberta se localiza. Além da luz natural que entra por estas superfícies envidraçadas colocadas de forma estratégica sobre o relvado, as mesmas permitem visualizar e perceber se terá um mergulho sozinho e relaxado ou se terá de dividir com os filhos e os amigos dos seus vizinhos. 

Para os mais curiosos com números:

Área do lote – 994,00m2 

Área de construção –  1222,74m2

A piscina coberta e a relação com o espaço

Percebe agora onde fica a piscina? A imagem que vimos anteriormente era exactamente da mesma fachada mas num ângulo mais perto. Se nos afastarmos ligeiramente percebemos que a mesma fica por baixo do jardim numa zona mais privada e exclusiva. Uma grande zona relvada propicia a banhos de sol faz acompanhar toda esta área. A porta que se vê dá acesso ao piso superior e contem uma casa de banho com balneário.

As habitações têm também garagens individuais e as mesmas dão acesso directo ao interior da casa. As portas que ficam do direito dão acesso às mesmas. Para perceber melhor, o espaço de garagem fica por trás da parede de fundo da piscina. ou seja, os carros entram e saem e não incomodam quem está no jardim e não põe em perigo crianças pequenas saírem para a rua.

Preto no branco

A cozinha é um espaço de estilo moderno tal como toda a construção. A cor branca tem o papel de ser a cor base e o cenário prefeito para outras se destacarem. O preto apareceu numa grande superfície lacada em que os seus interiores são simplesmente um mundo de arrumação e armazenamento. Uma ilha de cozinha ocupa o espaço central e facilita a preparação de refeições. A janela que se vê é na realidade a zona em vidro por cima de uma porta e a mesma dá acesso ao exterior.

Na hora de cozinhar

Numa outra perspectiva mas do mesmo espaço percebemos que os dois candeeiros, também eles pretos, marcam a zona de entrada além de também a iluminarem. 

Na bancada do lado direito a placa de indução está presente e facilita na hora de cozinhados em família.

A sala de jantar

Ao longe vê-se parte do jardim mas é do interior que lhe quero falar. A sala de jantar divide o espaço com a sala de estar. O mesmo é amplo e de generosas dimensões. O pavimento é em madeira  tal como as escadas que dão acesso à zona mais privada da casa. Uma parede preta impede a visualização da mesma e não permite ver quem sobe e desce. A sua presença é importante pois aumenta o nível de segurança da mesma.

Privacidade é aqui!

Chegámos ao piso superior e ao mais privado de todos. Aqui os 3 quartos disputam a área, as paredes continuam brancas e o pavimento em madeira de cor clara. Postes são deixados à vista sem estranheza. Os mesmos quando aparecem são deixados no seu estado bruto e natural.

O quarto do filho

Um dos quartos é do mais novo da casa, foi escolhido assim pois é o mais pequeno mas nem por isso o menos agradável. A luz natural é imensa, o que o valoriza imenso. O armário alto com portas brancas pode servir de guarda fatos ou ainda para colocar brinquedos e jogos.

Um quarto

Apenas um dos três quartos é considerado suite, pois é o único que tem casa de banho privativa. Sendo o principal, um quarto de vestir também não podia faltar. A distribuição das áreas faz-se da seguinte maneira: uma porta dá acesso ao quarto e dentro do mesmo tem-se acesso ao closet e no fundo do mesmo encontra-se a casa de banho.

A parede de cabeceira de cama tem essa função além da de dividir o quarto de certa forma. A mesma não toca o tecto o que faz com que o espaço continue com uma sensação de amplitude intrínseca.  Existiu preocupação na altura de não esquecer pontos de luz e tomadas, prova disso são as que foram colocadas de forma simétrica a ladear a cama.

A casa de banho da suite

Por ter janela foi fácil perceber através de um olhar cuidadoso sobre a planta, que esta janela pertence à suite e não é a outra casa de banho que dá apoio aos outros dois quartos.

Revestida a pedra creme de marfil de tom bege o duche é de ampla área e de extrema luminosidade. De uma maneira geral, todo o ambiente é brilhante e luminoso.

Arrumação para que te quero!

Arrumação sempre foi e sempre será uma das grandes preocupações dos habitantes de cada casa. Querem-se armários altos e muito espaço interior. Quer-se poder esconder roupas, caixas, documentos e o espaço parece que nunca é o suficiente. Outra mais valia, é cada habitação conter na zona de garagem além do espaço da mesma uma divisão de arrumos própria para colocação de monos e objectos sem tanto uso.

Imaginava-se a viver aqui? Deixe-nos o seu comentário.

Precisa de ajuda com um projecto em sua casa?
Entre em contacto!

Encontre inspiração para casa!