Casas modernas por Joao Morgado - Architectural Photography

Casa de madeira moderna e perto da praia

Rita Paião – Homify Rita Paião – Homify
Google+
Loading admin actions …

Tal como Marisa e Rui, os proprietários da casa, também nós ficámos de boca aberta e completamente rendidos a arquitectura diferente e extremamente sedutora que lhe iremos dar a conhecer. Os volumes, os materiais e as zonas abertas e fechadas fizeram-nos morrer de amores por um projecto que se tratou de uma remodelação. Sem fotografias do passado para lhe poder mostrar (poderá ver no site pessoal do arquitecto) a solução final é só surpreendente e encantadora e em nada se assemelha à antiga. O casal apresentou a Ernesto Pereira, o arquitecto de renome, a sua casa e o que tinham em mente para a sua transformação – um espaço agradável que ao mesmo tempo os surpreende-se. Pediram-lhe que sem limite orçamental e temporal projectasse a habitação dos seus sonhos, uma verdadeira obra de arte, algo que os fascinasse e na qual se sentissem bem a viver. A casa anterior era de típica construção exterior e interior e existia uma ligação de interpretação rural com o exterior. Para que todos os dias os proprietários se sentissem próximos das dunas e da praia Ernesto Pereira deu o melhor de si e a prova está mais que à vista.

As fotografias são impressionantes e o responsável é João Morgado Architectural photography, arquitecto de formação e verdadeiro apaixonado por fotografia. Venha daí em mais um artigo homify 360º.

SilverWoodHouse

Para Ernesto Pereira, a arquitectura não é mais do que a interpretação da necessidade do cliente/utilizador, assim sendo, conheceu os seus exaustivamente, desde os seus gostos, às suas manias, rotinas e prazeres e apresentou uma única solução: a SilverWoodHouse. Marisa e Rui adoraram a proposta e assim foi a sua reacção: “Simplesmente… the SilverWoodHouse… qualquer tentativa de adjectivação fica muito aquém da experiência de contemplação final… parabéns e obrigado Ernesto.’ A satisfação era mais que notória…

A habitação fica no Mindelo e o ano de construção é o de 2014. A reportagem fotográfica deixou Ernesto extremamente surpreendido e cheio de orgulho devido à interpretação conseguida sob o olhar de alguém completamente alheio ao processo projectual e construtivo.

Os contrastes

Impossível acreditar que a arquitectura que observamos é uma remodelação, uma reinterpretação de algo antigo, tornado em algo tão moderno e contemporâneo. As superfícies brancas contrastam de forma forte com outras em madeira. Todas as fachadas são compostas por este jogo de planos, de cheios e vazios e por este contraste de cores e materiais. O verde é o cenário de  fundo e as plantas escolhidas para o jardim e zona da piscina reduzem-se apenas a rela e a canas e tufos característicos das dunas e a ainda a uma querida oliveira.

Queria-se sempre presente a mais próximo possível, a praia. Assim sendo toda a zona exterior foi coberta a madeira e lembra o deck dos bares de praia e dos passadiços de acesso à mesma. A madeira foi aplicada sem qualquer tipo de tratamento – madeira destratada – e esse ar já desgastado e sem cor consegue transmitir-lhe ainda mais a sensação do poder das condições climatéricas sobre os materiais e a reacção dos mesmos com o passar do tempo.

Os intervenientes do processo

Todo trabalho final não seria possível sem a ajuda preciosa de profissionais de várias e diferentes áreas e especialidades. Os responsáveis pelo conjunto de boas soluções tomadas que nos levam a conseguir percepcionar este projecto desta maneira deve-se a engenheiros, carpinteiros, picheleiros, electricistas, designers e arquitectos paisagistas. Sem eles e sem a sua mistura de conhecimentos a solução final não era passível.

As ripas de madeira foram colocadas de forma obliqua, tanto no revestimento da fachada como no piso e ainda nos interiores, dando sempre uma sensação de movimento iminente. Repare como na fachada o vão de janela fica imperceptível devido a conter portadas revestidas no mesmo material, que quando se encontra fechada deixa difícil de percepcionar onde realmente se localizam as janelas. Guardas em vidro protegem as zonas de varandas e aumentam a sensação de liberdade, não existindo visualmente, barreiras.

A planificação

A imagem permite perceber em como foi aproveitado e dividido o terreno. A habitação é composta por dois andares e ainda por uma segunda zona coberta que permite churrascos e refeições ao ar livre. O vão que consegue ver aberto na parede de madeira do lado esquerdo é aberto quando existe a necessidade de apoio a esta zona de confecção de comidas na churrasqueira. Engraçado é perceber como uma janela se pode abrir de forma horizontal, em vez da tradicional abertura vertical e a mesma quando aberta a 90º graus formar uma bancada/mesa de apoio. Toda esta zona encontra-se num nível ligeiramente inferior permitindo assim a construção da piscina ao mesmo nível da casa.

A zona de estar

A zona de estar é conseguida e marcada através de um plano de formato em L ligeiramente superior ao restante. Aqui é possível conseguir zonas em sombra,através de velas brancas triangulares colocadas estrategicamente unindo a habitação à zona murada.  A rede de descanso transmite o ar sereno e de harmonia que os proprietários tanto admiram e apreciam em zonas de praia.

As portadas em madeira podem abrir-se ou fechar-se por completo, sendo a diferença apenas a de uma habitação aberta para o jardim ou fechada em sete copas. A vantagem é de poder ir de férias e sentir que deixou a casa afastada de olhares curiosos e dificultar possíveis assaltos, fechando-se sobre si mesma.

A entrada principal

A entrada principal faz-se por uma das laterais da mesma e aqui é perceptível a diferença de madeiras e tamanhos de ripas. Os canteiros são nada mais nada menos do que muros com tufos de plantas verdes, tipo canas de folha pequena e perene que tem a vantagem de se encontrar a maior parte do tempo com folhas e com o seu aspecto mais verde e saudável.

areia vs praia

A vista superior dá a conhecer o solo em que estas plantas vivem – areia. Ou nosso fosse este o material que mais faz lembrar o local que Marisa e Rui tanto gostam, a praia!

A sala de estar

Os interiores, como já vinha a desvendar ao longo das fotos anteriores, também são modernos e as cores e os materiais mantém-se! O pavimento é em ripas estreitas de madeira e todas as paredes, divisórias e armários são feitas no mesmo tom de madeira mas em superfícies lisas em vez das tão presentes ripas obliquas.

A zona de estar é ampla e tem ligação directa com a zona de escritório e sala de jantar. Repare como os ramos de árvore enfeitam o interior, recorde o que anteriormente foi dado a conhecer, aqui!

A parede divisória

A parede larga e central que divide a zona de estar da zona do escritório esconde uma porta que dá acesso a uma casa de banho e evitando ver-se a porta aberta e o seu interior, criando uma certa privacidade em quem a usa não tendo ligação directa para a zona de estar. As zonas sociais estão localizadas no piso do rés do chão e as privadas no piso superior.

O escritório

A zona de trabalho pode ter ligação directa, ou não, à sala de estar, dependo se a porta de correr se encontra fechada ou aberta. Esta porta de correr encontra-se na parede divisória que falamos em cima e não nas paredes próprias do escritório.

O interior é completamente revestido a madeira, seja no piso, nos armários e ainda no bloco criado para secretária. No tecto, os candeeiros longitudinais foram colocados na melhor posição, criando zonas vantajosas de luz nas zonas mais necessitadas.

A zona de refeições

O mesmo tipo de iluminação de tecto aparece também na zona dedicada às refeições. Todo o mobiliário que aparece continua a ter a mesma cor e a mesma aparência. Estantes com buracos vazios tornam possível a colocação de objectos decorativos e na estante inferior também de forma quadriculada, a colocação de garrafas, servindo de adega.

A mesa de refeições é de tampo em vidro e a estrutura de pernas é de inox. As cadeiras são de pele de cor preta.

A cozinha

Nesta fotografia encontramos-nos dentro da cozinha. Apesar de não vermos nada mais, é possível compreender em que divisão estamos. A parede pintada de tinta de ardósia permite escrever a giz o que se quiser, tal como receitas e listas de supermercado. A parede total em vidro, incluindo a porta permite a total visualização para a zona de refeições e tem a vantagem de deixar mais luz natural para o seu interior.

A escada

Noutra perspectiva, estas são as escadas que dão acesso ao piso superior. Não era de estranhar que as mesmas não tivessem o mesmo material e a mesma linguagem em relação ao desenho. O cobertor dos degraus são em madeira e o espelho pintado de branco. Não existe a necessidade de guarda e corrimão visto estas serem largas e existir de um lado a parede e de outro o mobiliário de sala de jantar.

A suite

No piso superior apenas tivemos acesso a uma imagem que retrata uma das suites. A casa de banho é dentro do espaço do quarto e esta fica dentro de uma espécie de aquário em vidro preto, que devido à luz artificial colocada dentro é possível ver o seu interior entre as paredes em vidro translúcidas. Ao fundo vê-se o restante espaço do quarto que é composto por uma cama de casal de baixa altura e fica mesmo em frente à janela, tirando o melhor partido da luz natural. No tectos os candeeiros em calha iluminam ao mesmo tempo que decoram de forma original.

Ficou agradavelmente surpreendido como nós? É fantástica esta habitação, não é?
Casas modernas por Casas inHAUS

Precisa de ajuda com um projecto em sua casa? Entre em contacto!

Encontre inspiração para casa!