Antes e depois: fábrica de moagem vira habitação moderna

Rita Paião – Homify Rita Paião – Homify
Google+
Loading admin actions …

Hoje queremos apresentar-lhe mais um maravilhoso projecto de antes e depois. É um edifício histórico que foi pelos documentos que lhe pertencem, esta é do final do séc. 18. Por norma apresentamos-lhe habitações antigas a precisar de obras, de garagens que virão verdadeiros lofts, celeiros em casas de montanha, mas hoje o espaço remodelado é uma fábrica de moagem. Este fica perto de um riacho em Eberstadt, um município da Alemanha e é o mais baixo das 4 torres. Chegou a ser uma fábrica tradicional de moagem em 1856 e 1924 até a década de 1960, foi palco de um restaurante popular, hoje é um monumento protegido!

A arquitecta Anja Thede  construiu dentro das muralhas históricas um lugar de conforto que ao mesmo tempo é super moderno. Ficou curioso? Venha daí..

Vista panorâmica

Com uma perspectiva elevada tipo olho de pássaro é possível ver o enquadramento do edifício perante tamanha natureza. Entender a dimensão do espaço e informá-lo dos 4 espaços distintos: a antiga casa privada, a casa do moinho, vários celeiros e estábulos.

Poderá estar neste momento a perguntar-se mas onde está moinho? Não o vê a olho nu, é certo. Pelo menos não tem a aparência a que estamos habituados. Apenas no interior verá as estruturas e peças que outrora trabalharam e fizeram o seu serviço mas que agora fazem apenas parte da decoração e do passado.

Antes: fachada

Aqui vemos uma imagem da fachada antes da intervenção. A fábrica estava em boas condições estruturais mas os interiores imploravam por uma nova vida. O trabalhado nas janelas são um testemunho da arquitectura dos anos de 1970. As inserções das janela são um testemunho da arquitectura dos anos 1970, fácil de perceber pela moldura em pedra e de forma curva que enquadra as mesmas.

Depois: fachada

Hoje, a fábrica tem um total de quatro espaço distintos como antigamente, mas agora estão capacitados para serem usados devidamente. Anja Thede conseguiu realizar o sonho dos proprietários em habitar uma fábrica de moagem antiga com a preocupação estética e ecológica intrínseca.

A casa do moinho é distribuída por três pisos. No rés do chão há uma pequena… ., os andares superiores abrigam uma espaçosa zona de estar e os quartos. A fachada foi ligeiramente alterada, apenas com a colocação de melhores janelas e de portas e caixilhos de cor azul acizentada, para um melhor isolamento térmico e acústico. A zona superior com torre e varanda foi tratada de maneira a parecer mais moderna e contemporânea. A madeira foi substituída por uma estrutura de ferro da mesma cor e as laterais foram abertas e tapadas com vidro.

Antes: interiores

A planta espacial interior da fábrica era antes da remodelação bastante dividida e não era particularmente atraente para a família que lá vivia. As divisões não sofreram qualquer tipo de intervenção durante anos e isso notou-se com a poeira que assentou no interior.

Todas as fachadas da fábrica davam para exteriores verdes onde a natureza parecia querer entrar sem pedir autorização. A floresta rodeava a fábrica e dava-lhe um ar misterioso.

Antes: interiores

O lado escuro e poeirento caracterizavam o espaço. A madeira em todos os revestimentos – cão e tecto – escureciam o ambiente e tornavam-no numa autentica caverna.

Depois: a estrutura em primeiro plano

Os interiores agora são amplos e luminosos e em nada se parecem com o passado. As clarabóias de tecto deixam entrar todo o lado poderoso do sol e o ambiente consegue alterar-se por completo. Brilho e claridade são as palavras que melhor caracterizam este ambiente. Para manter sempre presente o passado histórico e  misterioso foi com muita vontade que se quis manter algo que relacionasse com outros tempo e nada melhor do que as roldanas e estruturas da fábrica deixadas à vista como se uma obra de arte se tratasse. 

Depois: a panorâmica

As janelas panorâmicas quando se abrem para o horizonte permitem que exista uma abundância de luz natural nos interiores. A dimensão da janela é tão grande que a moldura em madeira clara à sua volta se assemelha a uma autentica obra de arte – um quadro.

Depois: a zona de estar

Ao fundo conseguimos ainda visualizar elementos preservados a servir como apoio mental. Aqui encontramos-nos no ponto focal da casa, a sala de estar. 

Os andares são ligados por uma escada que se assume como elo de ligação entre os vários andares. A área de estar é em plano aberto e é adjacente ao terraço. As cores fortes desempenham um papel importante na concepção e forma do ambiente criando um contraste entre o lado moderno e a natureza exterior.

Depois: quarto

Em toda a casa, o charme do antigo edifício é constante. No quarto, uma das paredes foi mantida virgem tirando-se apenas a camada de estuque que tinha por cima, aparecendo a cor alaranjada por trás. Estes tijolos formam agora uma atraente, artística e valiosa parede. Em oposição apareceu a parede e tecto de cor de rosa forte que marca a zona de descanso. O mobiliário apresentado é simples e intemporal.

Depois: casa de banho

Através do quarto espaçoso a casa de banho espreita. A parede em tijolo exposto também faz parte do interior desta divisão. O esquema de cores e a estrutura continua de forma consistente. O mobiliário sanitário foi colocado a par com as paredes, libertando assim espaço central privilegiando o movimento.

Depois: quarto de criança

O sótão foi atribuído às crianças e para elas não passa de um verdadeiro paraíso.  Uma característica notável também nesta divisão é a estrutura de traves no tecto, que foi exposta e actua como um elemento decorativo e ao mesmo tempo como zona de armazenamento original.

Materiais naturais

Além da conservação e transformação dos componentes de construção não foram esquecidos, tendo sido integrados no conceito desta habitação. Uma parede foi projectada como um elemento de separação das escadas. Esta parede não só fornece um desenho não convencional mas bonito, como também a vantagem de ser painel solar. Quando a luz solar incide, o calor é armazenado e produz energia suficiente para a divisão. Exclusivamente matérias primas renováveis foram utilizadas para o isolamento da casa a nível interior.

Mezzanine

A grade feita em aço galvanizado em combinação com o parapeito tem um carácter industrial que transformou a velha fábrica num loft moderno e contemporâneo. A mezzanine faz parte desta modernidade tal como a bicicleta faz parte da decoração.

Gostou da transformação? Dê-nos a sua opinião!
Casas modernas por Casas inHAUS

Precisa de ajuda com um projecto em sua casa? Entre em contacto!

Encontre inspiração para casa!