O poder de cada cor!

Sílvia Cardoso – homify Sílvia Cardoso – homify
Google+
Loading admin actions …

Que cor para o interior? Que cor para aquele espaço pequeno? E para o maior que se perde no tamanho e nos leva, com ele, a sensação de aconchego? Devo manter-me pelos tons neutros e silenciosos ou ousar um tom vibrante ou mais intenso? Como devo decorar depois da cor inusitada que pus na parede? 

Pois é. Escolher uma cor para a nossa casa tem muito que se diga, há toda uma psicologia envolvida no acto de atribuir a cada divisão o seu tom e, como é natural, a nossa personalidade e maneira de ser também devem pesar nestas tão importantes e inquietantes decisões que apoquentam a humanidade. No artigo de hoje, discorremos sobre o significado de seis importantes cores que aparecem com frequência na decoração de interiores. Venha saber um bocadinho mais sobre o poder de cada uma.

Branco

MASTER BEDROOM AFTER: Quartos coloniais por Home Staging Factory
Home Staging Factory

MASTER BEDROOM AFTER

Home Staging Factory

O branco, assim como o preto, é uma cor clássica que nunca compromete, que reúne unanimidade. As suas principais qualidades são por nós conhecidas. É a cor da pureza e da luz. Uma divisão com paredes brancas é uma divisão que nos parece de imediato mais ampla e arejada. É, assim, uma cor utilizada amiúde quando a ideia é fazer um espaço pequeno parecer maior. O branco coaduna-se com uma decoração minimalista e vemo-lo com frequência em interiores que vão ao encontro do estilo escandinavo onde menos é mais e tudo ganha mais força e significado sobre um pano de fundo em branco. Não tem que optar pelo branco puro. Tal como o cinzento, também ele tem “fifty shades”. O marfim, o tom pérola, o branco sujo, o off-white são boas alternativas. Dir-lhe-íamos que funciona bem em qualquer parte da casa, sobretudo na cozinha e na casa de banho onde a sensação de limpeza é importante. Mas, um quarto todo branco e arrumado é um regalo! Olhe lá para a imagem que não nos deixa mentir.

Preto

Sala de jantar  por LUZIO

O oposto do branco. Não propaga a luz. Absorve-a. No entanto, é uma escolha interessante para criar ambientes intrigantes e luxuosos. O preto é uma cor altiva que causa impacto e eleva qualquer interior a um pedestal de pura elegância. Pode optar por usá-lo apenas numa parede sobre a qual quer fazer realçar alguns objectos - como um sofá, um candeeiro metalizado ou uma cabeceira de cama, por exemplo - ou a revestir todo o espaço. O preto com um acabamento mate é especialmente bonito e moderno, assim como o preto acastanhado. 

Se ousar optar pelo preto, certifique-se que escolhe criteriosamente os elementos decorativos. O branco e os metais ficam particularmente bem sobre paredes negras. Porém, o preto sobre preto também deve ser considerado. Este tom pode ser usado para pintar uma parede, num quadro de lousa ou num papel de parede que se for texturado, tanto melhor. A divisão em causa não tem, necessariamente, que ser ampla ou que dispor de muita luz natural. Mesmo divisões pequenas podem ficar bem com esta cor.

Arrisque! Prometemos-lhe que a sua casa não vai parecer a da família Adams.

Azul

Pinta a imensidão do céu e a profundidade dos oceanos. O azul sugere-nos a imensidão do tempo e do espaço. Estas associações a elementos naturais conduzem-nos a sensações de tranquilidade e repouso pelo que é uma cor a considerar para quartos - sobretudo de crianças inquietas – ou outras zonas de lazer como a sala de estar.

Há uma panóplia de tons azuis. O azul real, o cobalto, o azul meia-noite, o azul celeste, o azul céu e o azul campestre são algumas delas. Depois, depende de si. Quer um azul mais alegre para encher a sua sala de vida? Prefere um azul pálido que, à noite, o ajude a relaxar e a dormir melhor? A escolha pertence-lhe.

Tal como o branco, o azul é muito usado na decoração escandinava. A proximidade que estes povos mantêm com a natureza justifica, em parte, esta predilecção.

Verde

Cozinhas modernas por Dittrich Hudson Vasetti Architects
Dittrich Hudson Vasetti Architects

Double storey extension for artist in Bishopston, Bristol

Dittrich Hudson Vasetti Architects

Entre o céu e o mar está a terra e, por isso, falemos agora sobre o verde, a cor da natureza, da frescura e da vida. 

O verde nas suas facetas mais escuras e claras transmite paz. Já as tonalidades mais vibrantes, contribuem para uma atmosfera enérgica plena de vitalidade. O verde sálvia misturado com pormenores dourados tem sido não raras as vezes utilizado em cozinhas e, acredite em nós, funciona lindamente. Em casas rústicas ou mais tropicais em que a madeira prevalece, é uma perfeita opção. 

Procure tons mais suaves como o verde menta ou verde funcho, à semelhança do que vê na cozinha da imagem.

Cinzento

Se nasce da mistura do preto e do branco, só podia ter bom resultado. Para além disso, o cinzento é uma cor tendência e em 2015 aparece nas casas mais bem decoradas ao redor do mundo. E nem estamos a exagerar. O cinza betão, o cinza neblina ou o cinza muito pálido, quase branco, são, possivelmente, os mais utilizados. É uma cor que se adapta particularmente bem a interiores modernos, escandinavos ou industriais. A sua neutralidade permite muita margem de manobra no que à escolha do mobiliário e ornamentos decorativos diz respeito.

A nosso ver, não é de todo uma cor melancólica. Tanto que muitos decoradores de interiores usam o cinzento para quartos de criança num tom mais pastel que mantém o ambiente leve e apaziguador.

Livre-se de preconceitos e dê uma oportunidade ao cinzento aí por casa. Misture-o com o branco e pormenores decorativos coloridos como almofadas, candelabros ou até flores frescas. Ficará agradavelmente surpreendido.

Amarelo

Houve uma fase em que o amarelo era a cor de eleição para muitas casas, tanto no interior, como no exterior. Alguns resultados não era muito apelativos e cremos que, depois dessa fase, as pessoas começaram a torcer o nariz ao amarelo muito pouco belo! Mas, tal como em tudo, o que é preciso é sensibilidade e inteligência a aplicá-lo e a escolher uma tonalidade. Ao amarelo cor de gema, por exemplo, pode esquecê-lo. Está ultrapassado e é pouco elegante. No entanto, pode sempre considerar um amarelo trigo, um amarelo limão. mostarda ou raio de sol, tons mais modernos e elegantes. O amarelo é a cor do sol e da energia. É uma cor que tem o poder de nos levantar o espírito. Assim, fica especialmente bem num quarto de um jovem. 

E já que falámos no cinza, considere combiná-los aos dois. Pelo que temos visto em vários interiores que nos foram chegando, são uma dupla vencedora. Se mesmo assim não ficou convencido, inspire-se na imagem ou use-o apenas em alguns apontamentos.

Qual é a sua cor preferida? Qual a cor que nunca usaria para pintar o interior de sua casa? Diga-nos de sua justiça! 
Casas modernas por Casas inHAUS

Precisa de ajuda com um projecto em sua casa? Entre em contacto!

Encontre inspiração para casa!