Vista de cima por has - hinterland architecture studio moderno | homify
< >
Vista de cima por HAS - Hinterland Architecture Studio Moderno
< >
Vista de cima por HAS - Hinterland Architecture Studio Moderno
< >
Vista de cima por HAS - Hinterland Architecture Studio Moderno

O objectivo desta intervenção é, primeiro, dotar este vazio urbano de uma estrutura capaz de cumprir a sua função como equipamento da forma mais eficiente, propondo uma solução formal que se introduza no território como referência urbana, contribuindo dessa forma para o enriquecimento do espaço público envolvente através da adição de experiências e situações urbanas diferenciadas. As decisões do projeto, tiveram por base duas abordagens fundamentais:1 – A convicção de que neste tipo de contexto descaracterizado a arquitectura deve assumir um papel catalisador e de referência urbana, colocando em evidência a importância da autonomia formal do edifício em relação ao seu contexto, sem deixar de estabelecer uma relação entre o habitante e o território habitado. 2 – A análise cuidada das características do programa a que se pretende dar resposta, no sentido de definir estratégias de organização, utilização e manutenção do edifício no futuro. A solução final propõe um gesto claro e decisivo na relação entre a volumetria e o terreno, que procura dominar a relação entre a escala do território e do programa, através de uma forma contemporânea e muito abstrata.O terreno sofre o mínimo de alterações de topografia, adaptando-se ao espaço público envolvente através da continuidade do pavimento que conduz os utentes até à entrada do edifício. Com a intenção de libertar o máximo de terreno para utilização pessoal. O volume tem uma forma de planta circular e pretende-se afastar de qualquer diálogo formal com a envolvente para se assumir como uma referência na malha urbana, esta condição é reforçada pela aplicação de apenas um tipo de material de revestimento para o alçado exterior, criando uma imagem de unidade.2.1 A organização funcional do edifício pretende ser o mais clara e amiga do utilizador possível. A entrada é feita no piso 0 pela ante-câmara que dá acesso ao atendimento ao público, deste ponto os utentes podem aceder a todos os espaços sem recorrer a escadas ou elevador, a partir daqui o edifício divide-se em duas partes. Para o lado direito todos os espaços da US, para o lado esquerdo a URAP. No piso -1 localizam-se todos os espaços de apoio destinados a funcionários do equipamento. Pretende-se que o edifício represente um processo de síntese que resulte em conquistas no sentido de rentabilidade económica e programática, não só na construção mas acima tudo durante a utilização do edifício.

Fotos semelhantes
Comentários